Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

A Descoberta 18(Conclusão)

  • Publicado em: 25 de janeiro de 2016 09:03
  • Expira: Nunca!
A Descoberta 18(Conclusão)
A Descoberta 18(Conclusão) - Imagem1A Descoberta 18(Conclusão) - Imagem2

Detalhes do Conto Erotico:

[Após passar uma semana em ansiedade, finalmente estava pronto para meter com Cassiano, depois de passar a semana em planejamento, de como e onde seria, afinal nada iria nos atrapalhar].

Era manhã de sábado,Cassiano e eu decidimos que nossa primeira trepada não seria nem em nossas casas,colégio,mato ou na casa de Caio,que decidi que iria ficar na mão devido a picaretagem de me emprestar sem meu conhecimento.
Decidimos que seria na casa de praia de seus pais, na praia de barreta, litoral sul…

Caio dirigia e pegou um dos carros da família,um bugre,obviamente porque dificilmente ele pegaria o carro de sua mãe ou pai para uma putaria dessas.
Já havia me preparado bem,além de roupas de praia,levara comigo um frasco fechado de lubrificante e camisinhas e um anestésico,além de roupas limpas,escova,pasta de dente,shampoo,sabonete,desodorante e perfume,dois lança-perfumes e o mais importante: Dinheiro para não ficar desprevenido,afinal eu não iria ser cozinheira de ninguém…

Saímos cedo,até para ninguém nós ver,ainda iria dar 08 horas,como sempre,fiz um café da manhã leve,pois nunca gostei de dar de barriga cheia já para evitar algum evento inesperado que possa “melar” o programa.
Havia dito a minha mãe que iria passar o dia na praia,que como toda mãe,apesar de fazer seu drama típico,me deixou ir,apesar de saber que a praia que eu iria,não seria nenhuma da área urbana e sim no litoral sul,somente há uns 55km da capital.

Como sempre houve aquele momento interrogatório.
-Mas você irá a praia somente com Cassiano meu filho ou irão mais amigos? O Caio irá também? O Cassiano é prudente ou anda feito um desembestado?

Então eu disse:
Não mãe, haverá outros lá e eu não sei se Caio irá também… Mas tenha calma, Cassiano já é bem grandinho, tem 20 anos e cuida dos carros de seu pai com toda frescura e para acalmar a senhora irei logo dizendo,eu não irei beber…

-Posso confiar em você e ficar tranqüila aqui?
-Não tem o porquê ficar aflita, pode confiar em mim… Então. eu posso ir para a praia?
-Tudo bem,mas chegando lá me ligue,compre um cartão telefônico.
-tudo bem…eu lhe amo…

– Cassiano chegou,mas também não deixou de escutar as recomendações de minha mãe,somente então partimos.
O dia estava perfeito com uma boa temperatura,não fazia muito calor,conversávamos amenidades e escutávamos o rádio enquanto íamos pela estrada,onde o fluxo estava leve e não havia muitos carros,tanto que o momento deu a oportunidade para alguns abusos de trânsito.podendo ousar um pouco mais na velocidade,oque nós fez ganhar tempos preciosos,chegando cedo.
Cassiano desceu do Carro e abriu o portão,que após a passagem do carro fechei pondo o cadeado.
Era uma casa simples de muros altos,nada espetacular, mas que tinha uma generosa varanda em torno dela, ótimo para quem gosta de uma cervejada ou somente dormir ao ar livre…
Ao abrir a casa,notei que ela estava limpa,como se alguém a tivesse preparada para o fim de semana.
Quebrando o silêncio,Cassiano perguntou:
– E aí Didi? Gostou da casa?

Não é uma mansão mas dá para o gasto…
-Besteira Cassiano,a casa é uma beleza,tem um acabamento legal,seus pais tem bom gosto…

-Obrigado Didi,eles gastaram bem aqui,ficou muito bom mesmo…Você vai gostar daqui,vai ser um bom final de semana,a madeira vai comer nesse rabinho,vai passar o sábado e o domingo levando rola e tomando banho de praia.
Eu me espantei,não iria querer passar dois dias levando rola direto,ainda mais de um cavalinho,então eu perguntei:

-Caralho Cassiano! Você quer passar dois dias fazendo meu lombo? Você só pode estar querendo me arrombar mesmo…
– Oque que tem Didi? Serão somente dois dias,não se preocupe,vai ser um ótimo fim de semana,vamos nos divertir trepando e tomando banho de praia,pode ficar tranqüilo,eu sererei carinhoso.

Antes de mais nada,avise a sua mãe que chegou,para ela ficar despreocupada.
Então perguntei:
Tem algum orelhão aqui perto Cassiano?
– Ei menino, tem um telefone aqui, você não viu não?
De fato havia um telefone,eu não tinha percebido o aparelho no canto da sala,melhor,não precisei sair no sol para falar com minha mãe.

-Fique a vontade e ligue para sua mãe Didi, disse Cassiano saindo da sala.
Depois de passar o relatório para minha mãe e escutar novamente suas recomendações,desliguei o telefone e me dirigi a varanda,onde Cassiano estava escutando som e tomando uma latinha de cerveja.
– E então? Falou com mamãe?,senta aqui,vamos conversar enquanto tomo cerveja.
Sentei ao seu lado e começamos a conversar e em meio a conversa eu disse:
– Gostaria de tomar um banho de praia Cassiano,bora?
Cassiano franziu a testa e olhando para mim disse:
-Sabe oque é Didi não gostaria de ir para a praia agora,você está tão limpinho,gostaria de aproveitar que ainda estamos assim e começar a pirocar.
Cassiano alisava sua rola que já fazia um belo volume em seu calção, então olhando para mim ele disse:
-Chega Didi, se ajoelha e faz uma chupetinha no seu pirocão cabeçudo!

Não tive alternativa, eu queria ir para a praia me divertir mas Cassiano queria começar a “festa” logo,sem opção,comecei a engolir aquele peru cabeçudo e cheio de veias,oque a princípio não foi tortura alguma.
-Viu? Nem doeu Didi..Tem algo melhor de que curtir uma praia e poder dar uma pirocada gostosa também?
Disse Cassiano enquanto empurrava minha cabeça,me fazendo engasgar algumas vezes.
-Isso… Chupa gostoso a chibata de seu novo macho, engole o bichão até engasgar minha putinha!
Cassiano me fazia chorar de tanto enfiar seu cacete em minha boca e se divertia com a situação.
– Oque foi putinha?! Está engasgando com a rola de seu macho? Está chorando Didi? Está emocionado?
Se está emocionado agora, daqui a pouco você vai chorar como uma menininha…
Parei de chupar e olhando para Cassiano disse:
Porra mago, você quer me comer ou quer me assustar?! Eu já estou de cú trancado…

-Relaxa Didi! Só estou tirando onda com você, só me divertindo… Não fique com medo,pode até doer um pouquinho,mesmo usando camisinha e lubrificante sempre dói,mas depois que eu atolar minha rola no seu rabinho,acredite,você não vai querer nem a de Caio…Eu juro que vou fazer gostoso,mas vou trepar como homem,afinal beijo a gente dá em namorada,puta a gente dá é tapa e come o cú…
-Mas deixa de frescura e cai de boca que eu quero gozar!…
Sem perder tempo,voltei a chupar novamente cada pedaço daquela rola,cabeça,tronco e bolas,fazendo Cassiano delirar de prazer.
– Caralho Didi! Chupa essa porra com vontade… Bote para lascar com essa boquinha fresco! Quero ver até o talo…
Eu teria mandado ele tomar no olho do cú caso não estivesse de boca cheia,o filho da puta do Cassiano quase me sufocando e pedia para eu engolir mais,cada coisa que o cara tem que aturar…
Cassiano aumentou o vai e vem em minha cabeça,para bom entendedor um gesto basta,ele estava prestes a gozar,oque não demorou muito,pois senti minha goela ser invadida por jatos de leite quente,acompanhados pelos gritos de Cassiano.
Uuuuuuh!! Chupa! Chupa Didi! Engoli o leite de seu macho… Quero ver engolir tudo sem reclamar!
Finalmente havia terminado, apesar de prazeroso, minha mandíbula doía,assim como meu pescoço.
Cassiano, com cara de relaxado,já estava abrindo uma outra cerveja para “descansar” depois do “esforço” feito e me fez o acompanhar na bebida.
Apesar de não querer, o acompanhei e ficamos bebendo e ouvindo o barulho do mar e vendo a hora passar,ainda estava longe da hora do almoço e com certeza ele não iria querer ficar somente na chupetinha,iria passar para a segunda fase.
Mas enquanto Cassiano se recompunha,ele mostrou interesse em minha relação com Caio,perguntando coisas,como começou,quando,porque,se havia sentimento ou se era apenas “profissional”.
Apesar de sermos amigos,preferi dar uma resposta direta,talvez seca.
-Não me leve a mal Cassiano,somos amigos,Caio é nosso amigo também,mas não vou falar nada da minha relação,agora se ele quiser falar depois,aí é com ele,não acho legal falar sem a presença dele,é algo particular e pessoal,não gosto de falar de minhas relações,me desculpe…
Então Cassiano olhou para mim sério e balançando a cabeça em sinal de aprovação disse:
-Muito bem Didi! Gostei de ouvir oque você falou…Isso é coisa de homem,ninguém gosta de alcagüete,se todos tivessem esse seu pensamento,muita merda não aconteceria,como aconteceu com vocês dois.
-Como assim aconteceu comigo? Disse eu.
– Sem essa Didi,ou você acha que eu acreditei na historinha de que o ruivo te sacaneou por confusão com Caio? Se não foi ciúme eu cegue!
Para por fim aquela conversa chata eu disse:
Eu já estou ficando chateado com essa conversa Cassiano,vamos parar por aqui.
Realmente,a conversa está boa mas temos oque fazer, Disse ele…
– Já está na hora de darmos uma trepadinha, vamos para o quarto?
Eu surpreso disse:
-Já?! Pensei que era apenas uma chupetinha antes do almoço…
– Nada disso… Vamos dar uma trepada legal,depois iremos almoçar,dar um cochilo e vamos nos divertir na praia para lá pelas 17 horas tomarmos um banho,comer algo e dar mais uma pirocada.
Cassiano levanto-se e me deu um “puxão’,fazendo me levantar e me levou-me até a sala,onde trancou a porta e colando sua rola no meu rabo,guiou-me pelo corredor,me encoxando até o quarto dele e colando sua boca em meu ouvido disse com voz de safado:

-Está sentindo o tamanho da pressão no rabo “Didizinho”?! Não fique com medo,eu serei carinhoso…Eu não vou dizer que não vai doer,senão estaria mentindo para você,quando o “cogumelo” Toad entrar no seu “caneco” ,vai doer,isso se você não chorar…Mas depois de passar a dor,vai ser só curtição,você confia em mim?
Fazendo uma cara de triste eu disse:
-É né? Fazer oque? Bora, é o jeito…
Sentei na cama enquanto Cassiano tirava sua roupa em minha frente,ao ver aquilo,meu batimento subiu,minha respiração ficou ofegante,minha mão tremia.
Era uma bela visão,Cassiano com seu belo corpo,com belas pernas malhadas por futebol e academia,além de seu abdômen com aquela pelugem,aquele belo caminho chamado por alguns de “caminho da felicidade” que me deixava louco.
Cassiano estava seminu, apenas trajando uma cueca com um grande “calombo” entre as pernas, ele se dirigiu até mim, botando seu pinto para fora onde dei-lhe uma mamada rápida.

Então pegando uma borrachuda, ele “envelopou” sua rola e me pediu para deitar na cama.
Como seria nossa primeira vez, com vergonha fiquei somente de camiseta, como um vestidinho e deitei-me de bruços onde Cassiano para meu espanto e dor, deu um tapão em minha bunda, fazendo-me gritar e disse:
-Eita porra! Se prepara Didi, que a rola vai comer a tarde toda…

Então Cassiano começou o ato,tentando colocar a enorme cabeça de sua rola em meu rabo,forçando a entrada do “cogumelo”,oque me fez começar a pedir para aliviar,pois estava a doer.
-Para Cassiano! Para…está doendo! Quer me rasgar?! Passe a porra do KY…
Então rindo ele disse:
– Deixa de frescura Didi, mal coloquei a cabeça e você já está chorando?!
Para que KY? A camisinha já é lubrificada boyzão… Oque foi que eu disse sobre dor?
Eu “choraminguei” e pedi para ele “brincar” devagar, que o meu rabo não era coletivo e nem do governo, Cassiano me mandou eu tomar no cú e calar a boca.
Abrindo minhas pernas,Cassiano voltou a tentar me penetrar,me fazendo gemer de dor,até que devido a insistência sua cabeça adentrou meu rabo,me fazendo sentir um ardência,uma dor aguda,senti como se fosse uma falta de ar,meus olhos lacrimejavam pela dor infligida.
Cassiano após a penetração deu uns instantes para que me acostumasse com sua presença dentro de mim.
– Viu? Nem doeu…
-Seu cú!
Sim,agora é meu, disse ele.
Se encaixando,Cassiano começou a dar estocadas realmente muito fortes,enterrando sua rola bem dizer até o talo.
– Aaaaaaah! Aaaaaaah! Para caralho! Por favor… Você vai me rasgar! Devagar Cassiano…
Então sem parar de penetrar ele disse para mim:
-Sabe oque é isso Didi?! É Caio que deve te deixar muito mal acostumado, te tratando como uma “menininha” virgem… Viadinho tem que ser tratada como putinha safada
Eu soluçava, chorava,suplicava e alheio as minhas súplicas Cassiano estocava e dava tapas e enterradas profundas no meu lombo.
Depois de alguns minutos de agonia, eu consegui transformar aquela dor em algo suportável, apesar do ritmo das estocadas, eu comecei a sentir prazer,sentir tesão,sentir meu corpo quente,como se estivesse febril.
É estranho, tanto que para descrever essa situação, me vem aquele velho ditado: “Depois da tempestade a bonança”.
Comecei então a rebolar o quadril enquanto era penetrado, vendo isso, Cassiano rindo falou:
-Huuuum… Está gostando heim putinha safada… Eu não te disse que você ia acabar gostando da pirocada?! Até rebolando está… Depois que amacia fica tudo beleza…
Vendo minha mudança de comportamento, Cassiano começou a dar tapas e falar obscenidades para me incitar.
-Vai fresco! Você agora quer rola?! Então rebola esse rabo e se prepare que o fim de semana vai ser bom… Rebola puta!
Seguindo seus “pedidos”, eu rebolava sem parar enquanto ele continuava a penetrar-me com mais intensidade de que antes,louco de tanta rola,botei para fora tudo oque queria.
-Me fode Cassiano! Fode a sua puta! Enche meu rabo de rola… Seu fresco! Seu broxa! Me faça ficar alegre…
Cassiano continuou o vai e vem até que ele anunciou que iria gozar,então abruptamente ele retirou sua rola de meu rabo,retirando a camisinha onde veio em direção a minha boca,me fazendo engolir todo seu leite quente.
-Aaaaaah,vou gozar fresco! Vou encher essa boquinha de leite seu viado!
Deitado, recebi toda sua carga de leite em minha boca, onde engoli cada gota de sêmen quente.
Cansado, deitei minha cabeça no travesseiro da cama, enquanto ele em um gesto de gentileza, me vendo cansado e suado, ligou o ventilador para me refrescar, e sentando ao meu lado da cama disse:
-Parabéns Didi! Apesar de sua manha, você agüentou legal…Mais tarde vamos repetir a dose,mas agora vou deixar você descansar um pouco e depois iremos tomar um banho para procurarmos um lugar para almoçar.
Foi um fim semana cansativo e “trepativo”,onde nós divertimos na praia,bebemos e passamos o resto da tarde e da noite na sacanagem,só parando após uma visita surpresa desagradável,atrapalhando parte da tarde e da noite de domingo.

Fim…

Referência do Anúncio ID: 50456a2bf436404e

Não há Tags

1354 visualizações, 0 hoje

  

2 Comentários para “A Descoberta 18(Conclusão)”

  1. Adoro ler seus contos varias vezes ,sao muito interessantes .

    • Obrigado,são histórias de vida muito divertida e de sacanagens mil…

      Mas foi muito bom enquanto rolou…

      Meu final com Caio não foi o planejado,sofri muito mas a vida continuou.

      Um abraço !

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 88 Guests, 26 Bots