Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

A flor Scarlet

  • Publicado em: 22 de dezembro de 2013 11:32
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Todos temos fazes em que a libido diminui e no meu caso foi a sexualidade intelectual por assim dizer. Digo isso porque fiquei um tempo sem escrever contos. Mas o destino tem suas peripécias e acabei tentando novamente depois de um bate papo no WhatsApp.
A garota em questão não tem os pudores puritanos imposto pela sociedade. É uma mulher que gosta de sexo e não tem vergonha de seus desejos e fantasias. Nem tenta reprimi-los. Como diz o ditado popular: uma dama na sociedade e uma puta na cama. Desde então meus devaneios começaram e um deles é o que passo a relatar agora.
Em nossos papos acabei descobrindo sua cidade e profissão, portanto só precisava colocar em pratica o que tinha em mente. Algo bem simples e que me fez sair de férias alguns dias mais cedo para poder me divertir. Devido uma pesquisa realizada na internet descobri que haveria um feriado municipal e a possibilidade de encontrá-la nas festividades aumentariam muito a minha possibilidade de sucesso. E foi mais ou menos assim que ocorreu:
Chegando na cidade tentei um local inusitado para me hospedar e acabei conseguindo um pequeno galpão com um escritório em uma das principais avenidas da cidade, mas ele serviria como uma luva para os meus planos. O local era praticamente aprova de som, devido o movimento de veículos do lado externo.
Então iniciei os preparativos (…) No dia em questão logo nas primeiras horas do dia entro em contato com ela, falamos sobre banalidades e descubro que ela estaria trabalhando durante o dia e que a noite iria se divertir nas festividades o que de imediato me causou grande ereção. Mas me contive e assim mantivemos o papo. Mas já sabia que hora ela iria sair do trabalho e faltando uns 5 minutos para que isso ocorresse ligo e falo que estou em sua cidade e que gostaria de vê-la antes que ela se encontrasse com os amigos. Ela ficou muda momentaneamente, não sei definir se de emoção, surpresa ou qual outro sentimento, mas concordou em me encontrar. Passei o endereço do local onde estava e ela me disse que em 5 ou 10 minutos teria chegado.
E assim ocorreu. Ela chegou antes dos 10 minutos marcados. Ela estava trajando uma farda azul, no estilo gandola do exercito, nos ombros ostentavam o brasão da companhia e a bandeira da cidade. Um quepe também azul, uma caneta no bolso esquerdo. Um cinturão com um coldre e outros materiais de trabalho. Um coturno preto e óculos escuros. Nos cumprimentamos com uma beijo no rosto e começamos a rir. Pois a minha felicidade e sua surpresa quebrou todas as convenções sociais. Como já havia me preparado para essa ocasião a convido para tomarmos um Uísque Jack Daniels que havia levado. Ambos rimos novamente e assim a fiz entrar no escritório. No bate papo ela diz estar surpresa com a minha ousadia por ter feito uma viagem tão longa, sem ter avisado nada. Que ela poderia ter arrumado hospedagem melhor. Digo que não me importava e me levanto. Passo para suas costas e sem que ela perceba, imobilizo seu braço esquerdo com força e com o outro braço apertando seu pescoço para que não grite. Ela diz que não ira oferecer resistência e assim vamos para o fundo do galpão. Onde estava tudo preparado para a festa.
Já havia fixado uma carretilha no teto do galpão para realizar uma suspensão, consegui fixar uma trave e também um cavalete. Agora só faltavam os acessórios finais como chicote, correntes, pulseiras, algo necessário para uma pequena sessão de BDSM. Quando minha amiga percebeu o que estava acontecendo seus olhos ficaram brilhando de satisfação. Uma de suas fantasias era essa e hoje eu estava ali na sua cidade como o seu Don. Depois da dominação inicial soltei seu pescoço. Pego uma pulseira de couro e prendendo ambos os braços, anexando na corrente com a carretilha. Mantenho seu corpo reto, mas sem tirar totalmente os pés do chão. Vou ate a mesa analisando qual o melhor acessório para iniciarmos os trabalhos. Escolho uma venda e retorno até ela. Tiro totalmente sua visão do que vai ocorrer.
Começo tirando o cinturão que esta sobre a farda, depois abro sua farda e me deparo com uma camiseta azul que fui obrigado a rasgar em seu corpo, pois estava dificultando a brincadeira. Consigo prender sua farda na corrente, deixando o antebraço, o busto e as costas amostra. Vou ate sua calça e tiro o cinto, abro a braguilha e deixo que caía a seus pés. Nesse momento me afasto para visualizar melhor seu corpo. Ela está usando um sutiã em tom violeta claro, onde realça seu bronzeado nos ombros. Uma sulquine de renda preto que realça suas generosas curvas o que a deixa muito excitante, no ombro uma tatuagem e na perna outra. Magnifica essa imagem. Não resisto mais e vou ate meus brinquedos pego uma corda faço um laço e começo amarrando seus seios e ombros, ela da um leve gemido, pois sua tatuagem é recente o que excita ainda mais. Deixo seus seios bem apertados querendo pular para fora do alcance das cordas. Pego um pequeno chicote e vou batendo neles deixando cada vez mais vermelhos e ouço pequenos gemidos de prazer. Passo para suas costas e dou palmadas em sua bunda para ouvir os estalos e seus gemidos. Meu pau lateja de excitação a acompanhando cada gemido que ela dá. Em sua bunda ficam as marcas da minha mão. Libero um pouco seu corpo para que ela respire melhor. Porque pretendo suspender totalmente seu corpo para brincar com ele. Assim que seu corpo esta no chão acaricio seus seios vermelhos e doloridos e sem aviso enfio dois dedos em sua bucetinha quente e húmida. Automaticamente seu corpo da uma pequena rebolada que não distingui se foi prazer ou dor. Tomo uma dose de Uísque e lhe beijo com os dedos ainda enfiados em sua buceta. Ela suga minha língua e o gosto do destilado junto. Me afasto e sua boca procura a minha durante um pequeno instante. O ritual esta completo.
Volto para a carretilha e a suspendo uns 40cm do chão. Prendo uma trave entre suas pernas para que não a feche durante a próxima sessão. Pego algumas pedras de gelo e esfrego fortemente em seus seios agora vermelhos e entumecidos, seus gemidos aumentam o que me obriga a lhe colorar uma mordaça o que lhe atrapalha um pouco a respirar devido a suspensão. Pego uma palmatoria e começo a bater na parte interna de sua cocha, trazendo muitos gemidos e prazer. Bato tanto na parte interna quanto externa. Depois decido fazer outra coisa, desço seu corpo para que descanse e tiro totalmente sua roupa enquanto isso. Mas sem liberar totalmente os braços. Com ela deitada coloco suas pernas atrás dos ombros e prendo novamente a trave deixando o braço preso de forma que seu corpo fique imobilizado deixando sua buceta totalmente exposta. Suspendo novamente seu corpo e ouço tentativas de gritos de dor. Ate que seu corpo se acostuma e passo a dar pequenas palmadas e beliscões em seu clitóris. Seus gemidos agora são de prazer. O cheiro de sexo toda conta de todo o lugar, sua face demostra toda a satisfação que esta sentindo com essas caricias. Não resisto e coloco um vibrador em sua buceta molhada e em questão de minutos noto seu orgasmo. Com isso acelero ainda mais os movimentos acariciando cada vez mais forte seu clitóris que ela tem um segundo orgasmo, mais intenso. Mais cansativo e ofegante. Mas ainda não terminados e acendo uma vela.
Resolvo tira-la da suspensão e a desamarro, mas não tiro a venda. Levo ela ate um cavalete que já esta com as algemas e tornozeleiras prontas. Deito ela por cima dele prendendo os pulsos, abro muito as suas pernas e prendo os tornozelos. Pego a vela que já derreteu o suficiente e começo a pingar a cera em suas costas e bunda, seu corpo se contrai e os gemidos aumentam cada vez mais. Enfim descobri o momento de penetra-la, vou para suas costas e sem qualquer aviso coloco uma camisinha e a penetro de uma só vez, firme, viril. Ela solta um gemido e seu corpo começa a se mover lentamente, com a vela em uma das mãos vou derramando em sua bunda e com a outra puxo seu cabelo, inclinando totalmente o seu corpo. Não satisfeito pego um pequeno lubrificante e acaricio seu cuzinho. Coloco a cabeça na portinha mais a excitação é tanta que acabo penetrando quase q em uma estocada apenas. Fico alguns instantes fudendo seu cuzinho e ouvindo seus gemidos. Saio de dentro dela, tiro a camisinha e coloco um vibrador quase do tamanho de meu antebraço em sua buceta, o menor que havia usado antes enfio em seu cuzinho e tiro sua mordaça. Chego bem em seu ouvido e pergunto: – Ta gostando minha putinha gostosa. Foi a primeira vez q conversamos depois que tudo começou ela diz que sim. Puxo seu cabelo e enfio meu pau em sua boca, agora fudendo sua garganta, fazendo que às vezes ela se engasgue. Tiro a venda de seus olhos e nos olhamos agora olho no olho. Fica explicito o desejo realizado, a satisfação sexual proporcionada e assim olhando olho no olho ambos atingimos o orgasmo. Ao terminarmos deixo os vibradores em seus orifícios e solto apenas suas mãos. Ela timidamente tira a tornozeleira um dos vibradores caem no chão. O outro ela tira e coloca ao lado do que caiu. Me aproximo dela, desamarro seus seios e percebo que seu corpo esta todo vermelho e em alguns locais com sinais que ficará roxo. A partir deste dia ela se tornou minha flor Scarlet. Um dos melhores feriados que existem no meu calendário.

Referência do Anúncio ID: 55252b48d9665b65

Não há Tags

2326 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Informações deste Autor

  • Autor: Curle
  • Membro desde: 3 de julho de 2013

Contos publicados por Curle

Últimos itens anúnciados por Curle »

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: SeiyaRJ, adrianosacana, Homem com Pegada, 75 Guests, 21 Bots