Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

A MAI$ DELICIO$A E EXCITANTE AVENTURA

  • Publicado em: 27 de agosto de 2001 12:21
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

´Esta excitante aventura aconteceu comigo quando eu tinha 18 anos, virgem, e estava completamente maluco pra transar, já não agüentava mais somente ficar batendo punheta, solitário. Eu estava num apartamento na praia, em Ubatuba, verão de 97, com a minha família e a família do meu tio. E, é claro, a gostosa da minha prima, uma morena de 18 anos, alta, linda, seios redondinhos, bundinha arrebitada, coxas macias. Meu Deus, como aquela garota me dava tesão! Naquele verão, eu estava quase enlouquecendo de vontade de comê-la, aquela corpo moreno colado no meu, nossos corpos suados bêbados de orgasmo. Tudo aconteceu numa tarde em que todos foram dar uma volta, menos eu e minha prima, que ficamos no apartamento, sozinhos, descansando. Ela foi tomar banho e eu fiquei na cama , batendo uma punheta alucinada, pensando naquela morena gostosa, nua e molhada. Eu não podia agüentar mais. Então, de repente, a porta de abriu e Jéssica apareceu, enrolada numa toalha. Ficou de boca aberta ao me ver com o pau pra fora. Ficou olhando para o pau duríssimo, maravilhada. Envergonhado, pego de surpresa, botei o cacete pra dentro da calça e me levantei. Caminhei até ela, que ainda estava parada na porta, tentei dizer algo, mas não consegui. Agarrei seu corpo e beijei aquela boca, sugando aqueles lábios sensuais. Para minha surpresa, ela não reagiu, colou em mim e me beijou como uma louca, esfregando a boca na minha, agarrando meu pescoço. Acariciei sua bunda macia e ela começou a gemer baixinho, o que me deixou louco. Sentindo que iria comê-la, afinal, fomos pra cama. Tirei a toalha de seu corpo e contemplei aquela escultura fenomenal, aquele corpinho tesudo. Jéssica pediu pra eu chupar seu grelinho, fiquei espantado com a ousadia da putinha, mas não perdi tempo. Pousei minhas mãos naquelas coxas sensuais, arregacei a língua e comecei a enfiá-la naquela doce grutinha virgem. Ela se contorcia, gemia e eu a controlava com as mãos. Berrava palavras sem sentido e pedia pra eu enfiar mais. Fiquei com a boca metida naquela caverna cheirosa até sentir o mel de Jéssica escorrer pela minha boca. Comecei então a chupar aqueles seios adolescentes durinhos, enquanto enfiava o dedão naquele cuzinho. Jéssica puxava meus cabelos, gritava e enrolava as pernas na minha cintura, segurando meu pau. Depois de dar uma boa sugada naqueles mamilos, deitei na cama com o gigantesco pau pra cima e ela começou a punhetá-lo, a chupá-lo, a sentir o sabor daquele monstro que estaria castigando aquele seu cuzinho dourado minutos depois. Gozei gostoso na boca de Jéssica e adorei vê-la aproveitando todo meu leite, lambendo o saco que nem louca, babando porra e saliva. Você é um demônio, dizia ela, me dá mais, quero ser mulher. Depois de algum tempo, meu pau se recuperou, pronto pra continuar a primeira e deliciosa foda de nossas vidas. Jéssica sentou devagarzinho na pica, que doía de tão dura. Fazia caras sacanas de dor e prazer que eu adorava. Encaixei direitinho naquela bocetinha virgem, depois começamos as estocadas, que arrancaram berros demoníacos da minha prima, que pulava e debandava, com os 17 cm de meu pau enfiados naquela xota de menina. Segurava sua bunda, controlando-a, mal agüentando o tesão. Iríamos ter um grande orgasmo, fomos juntos aos berros. Então, o leite choveu dentro daquela bocetinha deliciosa e molhada. Extasiada, ela deitou em cima de mim, ofegando. Acariciei seus cabelos, enquanto o pau murchava, ainda dentro da boceta. Enquanto eu passava a mão pela sua bunda maravilhosa, Jéssica sussurrou no meu ouvido : Tá faltando comer o cu, seu pintudo. Fiquei pensando : Essa menina tá louca. Quase a mato de tanto foder sua xota e ela ainda quer que eu meta na sua bunda. Recuperada, ela começou a punhetar meu pau, que voltou à vida. Com vontade, coloquei a putinha de quatro na cama, aquele rabinho arregaçado na minha frente me deixou extasiado. Resolvi lubrificar o cuzinho com a língua, a fim de facilitar a entrada do cacetão. Depois disso, comecei o gostoso trabalho de enfiar naquela bundinha apertadinha, mas simplesmente deliciosa, enquanto Jéssica se contorcia, gemia, parecia que não agüentaria mais, mas acabou resistindo. Enfiei tudo e gozei naquela caverna do amor. Depois de terminada a inesquecível foda, tomamos um banho, pois nossos pais chegaram minutos depois.

Referência do Anúncio ID: CT-000004857

Não há Tags

6114 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Informações deste Autor

  • Autor:
  • Membro desde: 23 de março de 2019

Contos publicados por

Últimos itens anúnciados por cunha2 »

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 110 Guests, 14 Bots