Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

A Minha História Com Minha Tia – Part 01

  • Publicado em: 11 de setembro de 2008 01:35
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

´Olá caros leitores, a história que vou contar é verdadeira, e aconteceu em 2007, mais precisamente no verão. Me chamo Pedro e na altura tinha 19 anos, quase nos 20. Não vou falar como sou, pois sou uma pessoa normal e muito calma! Mas tenho uma tia de 40 anos que sempre me deu tesão e grandes orgasmos! Nunca pensei em ter absolutamente algo com ela, pelo menos não ao ponto de tentar.

Mas passando à história em si, todos os anos os meus pais e eu vamos para a zona sul do país, em busca de boas praias, e connosco vão sempre os meus tios e os seus 3 filhos, meus primos! Quase todos os anos esta rotina se mantém, e todos os anos vejo minha tia, umas vezes melhor outra pior, mas nos seus 40-43 anos mostra uma bela forma física. Morena, cabelos compridos, alta e forte. Não gorda, porque no seu tamanho o corpo é bem distribuído, uma mulher alta, quase 1 metro e 80. Seu cu é grande e seu peito não fica atrás. Na praia poucos são os homens que olham para ela devido a família estar muito junta, mas sempre consigo um ângulo para a admirar, seu biquíni apertado e justos sobre o seu corpo volumoso dá-me vontade de me masturbar ali mesmo. Essa mulher chama se Glória.

Partimos para o sul de noite, cada família no seu carro, e conseguimos chegar ao destino pela manha. Só teríamos o sabor da praia um dia depois e foi algo normal! Muita mulher boa na praia, sol quente e pouca gente na área. Minha tia trazia um biquíni azul-escuro, condizia perfeitamente com seus cabelos escuros e pele branca, mas em vias de escurecer.

Na manha do terceiro dia acordamos com minha tia apressada, dizendo que teria de voltar ao norte pois alguns fornecedores não estavam a ser bem recebidos pela empregada que minha tia deixou a tomar conta do seu negócio. Como fornecedores importantes que são, não podia dar-se ao luxo de os perder e decide voltar o quanto antes. Nós tentamos mantê-la o mais possível, mas ainda nesse mesmo dia estava disposta a partir.

Foi sugerido que alguém viajasse com ela, viagem que demoraria 12 horas e sempre era melhor ter companhia. A verdade é que meu Mp3 estava um pouco vazio, e havia ainda muitas músicas que queria, e como ninguém estava com vontade de se oferecer para acompanhar minha tia, eu tomei a iniciativa. Mas nunca com a vontade de acontecer alguma coisa.

Minha tia sempre gostou de brincar e é divertida, mas nunca teve atitudes de uma putinha, inclusive quando há uns anos, eu estava jantando em sua casa, e me distraí olhando seus peitos. Ela os tapou sem o mínimo de prazer em ser apreciada, e seu casamento sempre foi bem sucedido.

Saímos do hotel ainda de manha, caminhamos para o carro, minha tia usava uma blusa vermelha, justa com um decote em V. Sem nada por baixo era possível ver-se seus mamilos, não estavam salientes, nem ela excitada, mas podiam-se notar porque a blusa não era muito grossa. Vestia umas calças de ganga normais, azuis e como sempre seu rabo assentava bem.

Eu cheguei primeiro ao carro e me assentei, Glória demorou mais para meter umas coisas na mala, e rápido se assentou. Mas se virou de lado para pôr a mala no assento de trás, e deixou a sua tanga (fio dental), ou como dizem os brasileiro, calcinha à mostra. Era vermelha, pequena e estava enfiada no seu rego, sem dúvida chamou a minha atenção. Ela ligou o carro e eu disse Gostei da tanga&, e ela respondeu: Como assim? Haaa& a tua namorada não tem é? eu disse ter roupa ela tem& não tem é um cu como o teu! Ela deu uma risada, e puxou-me a orelha em sinal de brincadeira, não levou a sério nem a mal. E eu não insisti mais no assunto.

Paramos numa estação de serviço para almoçar, tinham sido preparadas sandes para o almoço e já eram horas. Puxamos os bancos da frente para baixo e fomos para trás almoçar.

Glória me contou como ia o negócio e disse que trabalhar com decorações, nem sempre era fácil, e que dava muito trabalho. Eu ouvi e falei que esperava em breve poder abrir uma loja de discos, pois sempre foi a minha paixão! Durante o almoço, não tirei os olhos do pequeno fio lateral da tanga que saia para fora a cada segundo, nem nas mamas que já não bastavam ser grandes e naturais, seguras ao seu corpo moreno, ainda era possível ver-se o relevo e saliência dos mamilos&

Glória falou algo mais, ma seu nem a ouvia, estava noutra dimensão, ela estava de lado arrumando os papeis e só pensava no que via, quando dei por ela estava teso, tanto que nem os meus calções de praia pareciam disfarçar, mas acho que ela também não reparou.

Não sei onde fui buscar coragem, mas segurei no seu braço, e ela recebendo o toque colocou-se frente a mim, foi na altura de eu ir ao lado esquerdo da blusa e tirar uma mama para fora! A minha primeira reacção foi lamber em volta do mamilo, depois beijei-o e por fim chupava-o com tudo o que tinha! Quando parei ia para repetir o mesmo no lado direito, mas reparei que minha tia estava em estado de admiração tal, que só conseguia perguntar O que estás a fazer?, estava com tanto desejo que a ignorei. Ela tentando se desviar foi bloqueada pelos meus braças em sua volta, enquanto que me atirei á mama direita, lambi-a e mordia-a por cima da blusa, esta acabou por cair por completo e acabei por estar cerca de 30 segundos a chupar-lhe as mamas. Toda molhada com a minha saliva por toda a parte, acabou por se afastando e sair do carro, mas eu fui junto e já de pé me aproximei dela, com as mamas totalmente molhadas, numa estação de serviço, eu encostei-me a ela por trás epequei na blusa, encostei-a às mamas mas ao mesmo tempo apalpando-as, enquanto a beijava no pescoço& Acabei por lhe colocar a blusa, um pouco mal mas pelo menos já não mostrava nudez, virei-a de frente contra mim, e levo a mão à face dela& beijo-a nos lábios, e ponho a mão esquerda no cu, não só para o apalpar, mas também para impedir que ela fugisse e também para a forçar contra o meu corpo. O beijo não era retribuído, e os olhos dela não se fecharam, mas quem por ali passasse diria que éramos companheiros. Aos poucos foi mexendo um pouco mais os lábios, mas não a podia reter para sempre e ela acabou por se afastar um passo, e ajeitando a blusa disse não sei que te deu, isto é de loucos. Eu apenas pedi desculpa e expliquei que não resisti a tamanha sensualidade! Ela pegou num lenço de papel e metendo a mão por dentro da blusa limpou as mamas da minha saliva, pode ver aqueles bonitos seios uma vez mais, era uma visão bela, mas não estava com a mínima vontade de o repetir, e pedi mais uma vez esculpa. Ela apenas disse que nunca mais se tocava neste assunto, e disse que tínhamos uma longa viagem pela frente e devíamos de a fazer de dia. Eu concordei e arrancamos minutos depois.

Muito mais aconteceu, mas só para a parte 2 do conto, para breve.´

Referência do Anúncio ID: CT-000041301

Não há Tags

8059 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 52 Guests, 10 Bots