Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Babá Safada – Xoxota Sempre Molhada

  • Publicado em: 5 de junho de 2017 18:05
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Bom, meninos e meninas. Vou relatar minha experiência com o máximo de fidelidade aos fatos.

Me chamo Laura, sou morena clara, tenho cabelos enormes, na altura da cintura. 19 anos, 160 cm, corpo magro, cintura fina, mas com uma bunda enorme pro meu tamanho e meus seios também são muito fartos. Daqueles que parecem travesseiros de tão fofos, macios e grandes que são.

Minha história começa em 2013, quando conheci o casal a qual até hoje presto serviço de babá. Até esta época eu era virgem.
Conforme dito, eu conheci o casal Júlia e Thiago em 2013. Júlia, uma loira perfeita, parece atriz de cinema internacional, muito linda e muito gostosa. Já o Thiago era um homem normal, a princípio não enchia os olhos e sinceramente não me atraía nem um pouco, ele era barrigudinho e não tinha muito tamanho. Na verdade ele ainda continua assim. Mas após conhecê-los, vi que era um homem encantador por causa de suas palavras e uma lábia descomunal.

Eles vieram morar em meu bairro com seu filho Leandro de um aninho, logo fiz amizade por conta do bebê. Sempre gostei de bebês e crianças.
Ao aumentar o contato com o bebê e consequentemente com o casal, chegamos ao ponto onde me pediram para trabalhar como Babá, porque confiavam em mim, que eu era a pessoa ideal para cuidar do filho deles e gostavam muito de mim, o Thiago fez questão de reforçar que ‘gostavam muito de mim’. Eles precisavam de alguém para ficar com o bebê porque os dois trabalham e como mudaram de bairro, não tinham com quem deixar a criança.
Eu apenas ri e disse que ia pra casa administrar meu tempo e ver o que podia fazer por eles.

Passando cerca de 3 dias, eu fui a casa deles e informei: Júlia, posso ficar com o Leandrinho sim, sem problemas.

Acertamos um valor mensal e pronto, no dia seguinte eu já começaria. Nosso acordo era de eu entrar 09:00 e sair 17:00. Esses eram os horários que o Thiago ia trabalhar e chegava do trabalho. A Júlia saía bem mais cedo e chegava um pouco mais tarde. Até aí tudo bem, comecei meu período de trabalho no dia seguinte e tudo normal, chegava no horário combinado e saía no horário combinado, sem atrasos. Acontece que com o passar dos dias, comecei a chegar um pouco mais cedo, porque certas vezes eu chegava na casa e o Thiago ainda estava terminando do banho, saía só de toalha e ao me ver, corria para se esconder. Acho que ele tinha vergonha do corpo, por não ser um objeto de desejo das mulheres a princípio. Sinceramente nem sei como ele conseguiu fisgar aquele mulherão. Enfim, quando eu chegava mais cedo, nós conversávamos, porque o filho deles ficava dormindo até mais tarde, acordava sempre por volta de 10:00 da manhã, me deixando com as manhãs livres para fazer o que eu quisesse. Após alguns dias de conversa, vi o quanto aquele homem era inteligente e comecei a entender como ele conseguiu fisgar aquele mulherão. Ele tinha muita lábia, sabia conversar sobre tudo, tinha explicação para tudo. Alguém muito agradável para se estar junto. E isso não era tudo, vocês vão entender.

Após um mês de muita conversa, não tínhamos mais assuntos, a não ser assuntos eróticos. Por eu ser tão nova e bonita, ele me perguntou se eu tinha namorado, devolvi um rápido e espantado não. Ele, com ar e cara de espanto respondeu: “Como pode alguém do seu porte não ter um namorado? Com certeza é por opção, não estou certo?”. Fiquei sem entender o “Alguém do seu porte” e ri. Mas a curiosidade era tanta para saber o que ele achava de mim e perguntei: Como assim alguém do meu porte?, ele rapidamente sorrindo pelo canto da boca respondeu: Alguém linda, inteligente, que entende tudo o que falo e tem respostas agradáveis às minhas conversas, não posso deixar de salientar o corpo que é muito atraente. Me assustei e perguntei: Por que acha meu corpo atraente? Ninguém nunca me falou isso?

(Eu já imaginava o que poderia ouvir e também onde isso poderia nos levar no futuro)

Dito e feito, ele começou: Bom, é impossível não notar, mas você tem duas partes no corpo que chamam muito a atenção ao te ver de primeira: Sua bunda é enorme e seus seios são completamente perfeitos. Acho que tudo que o Homem de verdade mais gosta nessa vida está em você, peitos enormes e bunda maior ainda. É quase que impossível não pensar no seu corpo nu.

Fiquei instantaneamente vermelha de vergonha, sem saber onde enfiar a cara, sem saber pra onde olhar, ouvindo todas aquelas coisas, aqueles elogios que fizeram meu coração palpitar mais rápido e minha queridinha bucetinha marcar todo o sofá da casa deles com um líquido que ele já sabia o que era.

Ele prontamente interrompeu meus pensamentos com as palavras: Me perdoe por dizer tudo isso, mas você perguntou, eu tive que ser sincero.

Eu sorri e falei: as vezes é bom ouvir esse tipo de elogio de alguém como você, inteligente e casado com uma mulher daquelas.

Quis lembrá-lo de que ele era casado.

Ele ficou meio sem graça e levantou dizendo que tinha que trabalhar.

Passou o dia seguinte, cheguei bem cedo, fiquei esperando na frente da casa deles, até que a Júlia saiu. Rapidamente entrei e o peguei no banho ainda, como ele sabia que eu só chegava mais tarde, ele estava tomando banho de porta aberta, como imagino que é o comum para pessoas casadas. Quando eu olho pela porta, pelo espelho consegui ver aquele homem que aparentemente era um homem comum, mas que tinha uma habilidade com as palavras que me deixou molhada só de ouvir os elogios, ele tinha uma voz mansa e grave, boa de se ouvir, daquelas que te deixam imaginando coisas.

Ao vê-lo acariciando o membro dele, que não era dos maiores do mundo, eu comecei a me acariciar por cima da roupa. Quando percebo, ele está se masturbando, eu NUNCA tinha presenciado uma cena daquelas tão de perto. Vi muito em filmes e ouvi amigas contando, mas com aquela proximidade foi a primeira vez. Dava pra ouvir ele gemendo um “hmmm” tão gostoso, por vários minutos ele esfregou aquele pau grosso pra cima e para baixo, olhando para ele e com certeza pensando em alguém.
Quando eu estou bem ofegante, quase gritando ao me masturbar presenciando aquela cena, ouço meu nome: “Ah! Laura! Como eu queria que você estivesse aqui”. Meu coração disparou ao limite, achei que não era possível eu estar viva após meu coração bater tão rápido, com o susto que tomei. Rapidamente minha mente pensou: Pronto, ele me viu aqui! Ferrou!

Mas não, naquele momento do susto, eu deixei escapar um som de espanto e ele me viu, olhando pra ele, com a mão na minha buceta.

Ele, parando de masturbar o seu membro e desligando o chuveiro, abriu a porta do banheiro e me fala: Me desculpe, eu não sabia que você estava aí. A cara dele de espanto foi a melhor. Ele estava mais espantado do que eu, acho que porque ele pronunciou meu nome e o desejo dele foi realizado. Acho que ele não estava acreditando naquela situação.

Ele colocou uma toalha e fomos para a sala, eu pedi desculpas por não chamar, por não avisar. Ele disse-me que não sabia que eu já estava lá, que eu normalmente chego mais tarde e ele acabou não se preocupando. Mas que isso não ia acontecer mais.

O problema maior é que eu queria que acontecesse mais do que o que aconteceu até aquele momento. Eu estava excitada, meu corpo pedia por um homem, eu precisava daquilo, apesar de ter 19 anos, ser virgem e não ter sentado na pica de ninguém, eu sentia que precisava daquilo, mesmo sem saber do que estava por vi, EU PRECISAVA!

– Thiago, não se preocupe, eu estou errada, você é homem, está na sua casa. Mas como sou virgem, eu nunca tinha presenciado algo do tipo de tão perto.

Ele com cara de espanto me pergunta: Você? Virgem? Como pode?

Acho que aquilo enlouqueceu ele, porque foi impossível não notar que a toalha dele levantou bruscamente e muito rápido. Instintivamente eu olhei para aquele volume e me veio a mente cenas de nós dois transando, que tentei, sem sucesso, parar de pensar nisso, porque ele era meu patrão, eu estava lá para cuidar do filho dele. Mas não consegui.

Continuei explicando sobre minha virgindade e sobre os filmes que eu andei vendo, que tinha curiosidade de transar e sentir a vara dentro de mim. Expliquei que no máximo que fiz foi dar uma mamada nos meus antigos namorados. Falei também que nisso tinha muita prática.
Não sei como, não sei de onde, mas falei: Se quiser posso te mostrar! Aquilo saiu tão natural que eu fiquei vermelha de vergonha, ele ficou sem entender nada e depois de um longo tempo, que parecia 1 mês, ele fala: Desde que te vi pela primeira vez eu fico imaginando o que você pode fazer com sua boca e com o resto do seu corpo.

Aquela foi a deixa, eu só precisava ouvir aquilo para atacar aquela vara grossa.

Como ele estava sentado no sofá, eu rapidamente me ajoelhei em sua frente e fui passando minhas mãos em suas coxas, até chegar próximo ao pau e voltava. Ele ficava doido, sentia a vontade dele de pegar minha cabeça e enfiar sua grossa piroca na minha garganta. Mas ele resistia. Novamente fiz o processo de passar as mãos em suas coxas por baixo da toalha, levantei a toalha o suficiente para que eu conseguisse entrar com minha cabeça lá. Foi o que fiz, o pinto dele estava muito molhado, o cheiro eu já conhecia, era porra, já tinha engolido a dos meus namorados.
Continuei com minhas mãos, acariciando todo o pênis, eu passava a mão, pressionava contra a barriga dele, apertava com minhas duas mãos e ao mesmo tempo que eu sentia que ele estava se contorcendo mais, eu comecei a lamber a cabecinha do pau dele. Naquele momento eu achei que ele ia gozar, mas pensei: Não, ele não vai acabar com a brincadeira agora.

Eu tenho muita prática com minha boca, comecei a masturbar o pau dele com um pouco mais de velocidade, e masturbava dentro da minha boca. Minha buceta já estava toda melada, eu estava de roupa ainda, mas dava para ver através dela que minha buceta estava mais do que melada. Continuei lambendo e chupando o piru do meu chefe com muita vontade. Eu NUNCA tinha chupado um piru com tanta intensidade. Eu estava tão feliz com aquele momento, aquilo estava me trazendo um grau de excitação que eu desconhecia até o momento. Enquanto a cabeça do pau dele batia na minha garganta, eu só pensava: Hoje me acabo, quero tudo que for possível hoje, quero gozar ao extremo. Após uns 15 minutos de pica na minha garganta, sinto um forte tapa em minha bunda, engasgo com aquela pica mais fundo em minha garganta e ouço: Você não imagina como eu queria fazer isso há muito tempo. Ele tira a toalha por completo, olha em meus olhos e me diz: Agora você vai sentir um prazer incomensurável. Ninguém nunca te fez sentir o que você vai sentir agora e ninguém nunca vai te fazer sentir. Está preparada?

Rapidamente, com voz e cara de safada gemi dizendo que sim. Ele me pega pelo pescoço, me levanta e me deita em seu lugar no sofá, ele me pede para fechar os olhos, e tira toda a minha roupa, fico só de calcinha. Eu já estava com uma calcinha de renda, bem provocante, que realçava muito bem minha bunda enorme. Com os olhos fechados, sinto beijos no meu pescoço, sinto suas mãos percorrendo minha cabeça enquanto ele me beija, ele vai descendo para os meus seios, lambe meus biquinhos extremamente durinhos, começa a apertar os biquinhos com a boca, sem morder, só de leve com os lábios, aquilo faz minha buceta escorrer. Continuando com os olhos fechados, sinto aquela boca tentar abocanhar todo o meu seio, mas eu tinha certeza que ele não conseguiria, e ele também tinha essa certeza, mas mesmo assim insistia. Enquanto ele tentava enfiar o máximo dos meu seio em sua boca, ele apertava o outro. Eu já estava ficando sem forças para me contorcer. A única coisa que eu conseguia pensar era em controlar para não gozar, porque aquilo não estava bom, estava perfeito. Ninguém nunca fez aquilo comigo.

Ele desce um pouco mais para minha barriguinha perfeita e fica beijando, beijando e beijando enquanto esfrega seus dedos sobre minha calcinha, ameaçando entrar por baixo da calcinha, mas retornando. Ele volta a beijar meus seios e a esfregar os dedos na minha buceta por cima da calcinha mesmo, que por sinal já estava absurdamente molhada.

Ele me manda abrir os olhos e me mostra o dedo dele pingando, ensopado com o líquido que saía de minha vagina constantemente. No momento que meus olhos se abrem, ele enfia o dedo na boca e suga todo aquele líquido. Me beija intensamente, meio que querendo que eu provasse o gosto da minha própria buceta perfeita e depilada.

Ele molha o dedo de novo e enfia em minha boca. Chupo o dedo como se estivesse chupando a rola dele. Ele sorrir, me manda fechar os olhos novamente. Me vira de costas pra ele, com o rosto bem próximo da minha bunda, ele começa a tirar minha calcinha, bem lentamente, e a medida que a calcinha vai saindo, ele vai beijando minha bunda. Quando toda a calcinha já está bem longe de mim, ele me pede que eu abra a bunda, porque ele quer admirar meu cuzinho apertado. Ele me pergunta se meu cuzinho também era virgem, bem alto disse que sim, que nem dedos entraram ali.

Ele sorrir e me vira de frente pra ele novamente. Abre minhas pernas com cuidado e coloca a cabeça entre elas. Ele manda que eu repouse minhas pernas sobre as costas dele.

Faço conforme ele ordena. A partir desse momento, eu fui além do que eu podia imaginar que era possível.

Ele veio beijando minha virilha, rapidamente beijou o capô de fusca e desceu para os grandes lábios, ele chupava aquilo como se fosse necessário fazer isso para viver. Ele chupava com tanta vontade, que parecia que ia acabar. Eu sentia sua língua tentando entrar em minha vagina, mas não conseguia, porque era lacrada.

Em cerca de 5 minutos sendo chupada, eu senti mutias contrações em minha bucetinha gostosa, quente e virgem. Eu estava gozando, mas gozando fora do comum. Eu estava tão fraca que nem conseguia gemer. Eu estava em transe, não conseguia pensar!

Parece que aquilo despertou a vadia que estava presa dentro de mim. Falei pra ele: Caralho! Chupa essa porra dessa buceta. Eu quero gozar assim de novo, eu preciso jogar na sua cara de novo. Chupa, chupa, chupa… Me faz gozar de novo, seu gostoso.

Ele sorrindo começa a me chupar freneticamente, de tudo quanto é jeito que você possa imaginar. Eu nunca fui tão bem chupada. Ele me disse: Calma que ainda vai ficar melhor.
Ele sabia que eu estava sem forças, ele me chupava tão rápido para que eu chegasse ao ponto de bala para gozar e parava…
Eu o xingava de muitos nomes e perguntava: Por que fez isso? Eu quero gozar!

Ele: Calma, você vai, mas vai gozar direito.

Ele começou a massagear meu cuzinho. Aquilo foi diferente pra mim, eu tinha avisado a ele. Mas no final eu estava gostando. Ele ficou um bom tempo me chupando e massageando a porta do meu cuzinho, que naquele momento nem tinha muitas forças para piscar. Mas ele viu que eu queria. Ele começou a molhar o dedo na minha vagina, para lubrificar e foi forçando até o dedo entrar. Eu contraía o cú e ele esperava, forçava mais um pouco e assim foi conseguindo comer meu cú com o dedo. Depois de alguns minutos eu gozei o mais gostoso da minha vida na cara dele, na língua dele. Aquela língua que a esposa dele beijava.

Por um momento eu comecei a lembrar dela, fiquei desesperada. Mas meu corpo precisava de mais, eu precisava de rola, de pica, de piru.

Eu ainda fiquei em espasmos por um minuto, ele com o dedo dentro do meu cú e com a cara na minha xoxota toda ensopada.

Eu olhei pra ele e disse essas palavras: É hoje! É você!

Ele sorrindo, tirou o dedo do meu furingo com calma e sorrindo me virou de costas. Chupou meu cú com a mesma intensidade que chupou minha buceta, como se fosse o melhor do mundo. Eu estava muito realizada, toda gozada e prestes a realizar o sonho de ser toda comida.

Ele acerta a toalha de banho dele sob meu corpo e começa a empurrar seu grosso pênis na minha xoxota depilada.

Naquele momento eu consigo ver em seus olhos o prazer que eu estava dando a ele, até que me bate um estalo e eu esbravejo: Calma, pera aí! Cadê a camisinha?

Ele diz: Me pede qualquer coisa, menos camisinha!
Como eu estava doida para foder, eu pensei! Ah, que se foda, quero dar, quero gozar mais.

Ele começa a meter com calma, bem devagar e eu me contorcendo e ele pedindo para eu não contrair, porque ia doer mais, ficava me mandando relaxar e eu relaxei até que sentir romper meu hímen. Eu fiquei tão feliz, porque antes achava que seria uma dor insuportável, mas acho que o prazer me anestesiou. Ele foi metendo de vagar até acomodar todo o piru na minha xana, e depois de algumas metidas eu já me acostumei com a rola dele dentro de mim e pedi para meter mais forte, eu estava anestesiada e sedenta por pica.
Ele me obedeceu e foi metendo do jeito que eu estava com vontade, aqueles movimentos foram incríveis, ele enfiava a pica toda até o final da minha vagina. Eu gritava controladamente para não acordar o bebê que dormia no quarto ao lado.

Eu queria era mais, que ele me atravessasse, que me arrombasse.
Depois que ele começa a meter mais forte, eu gozo bastante na pica dele e começa a escorrer pelas minhas pernas eu cravo minhas unhas na coxa dele e ele reclama, que a mulher dele vai perceber, mas mesmo assim não para de me comer. Ele demonstra querer gozar dentro de mim, eu fico preocupada. Ele para de meter, tira a rola e pede para eu virar de costas pra ele e começa a sugar meu cú como se fosse um desentupidor de pia sugando. Ele queria aquele cú, eu sentia a vontade que ele tinha de enfiar a grossa pica dele no meu cuzinho apertadinho.

Eu estava tão excitada, toda gozada, cheia de tesão ainda. Pensei nas palavras que disse a ele: É hoje! É você!

Me entreguei, ele pegou um tubinho de gel, que estava no chão da sala, embaixo do sofá e espremeu no meu cú, massageou e enfiou um dedo no meu cú, forçando o gel a entrar. Eu sentia o dedo dele deslizando de uma forma melhor lá dentro do que enquanto ele me chupava a buceta.

Depois de algumas dedadas no meu cú, eu sinto a cabeça quente do pau latejante dele na porta do meu cuzinho. Minha cabeça revirou: Puta que paril! Vou ser arrombada. Ai minhas pregas…

Ele forçou a entrada e me pedia para relaxar o cú: Não faz foça, vai doer mais.
A cada tentativa ele apertava mais e mais a carne farta da minha bunda. Parecia que ele ia estourar um balão, de tanto que ele apertava minha bunda. Depois de alguns minutos de tentativa, sinto a cabeça rasgar meu cuzinho, instintivamente contraio o cú e ele fala: Cuidado, vai te machucar. Eu relaxo novamente ele torna a meter o pau no meu cú. Ouço ele cochichar coisas enquanto mete e olha pro meu rabão. Ele fala coisas do tipo: “Nossa, que cuzão, que cú delicioso. Isso sim é que é rabo, vou gozar aqui dentro”. Depois disso lembrei do porquê não utilizamos camisinha. Fiquei mais tranquila e relaxada e a pica foi entrando mais fácil. Me acostumei com aquela vara dentro do meu cú e ele foi metendo mais rápido um pouco. Pedi que ele segurasse meus seios enquanto metia em minha bunda enorme. Ele prontamente fez o que pedi e começou a beijar meu pescoço. Cochichando em meu pescoço ele fala: Masturbe sua buceta gostosa. Eu só vou gozar e parar de te comer, quando você gozar com meu pau dentro do seu cú.

Depois de alguns minutos dando o cú daquele jeito que ele mandou, eu não sentia mais dor, só sentia prazer e pedi para ele meter mais forte porque eu ia gozar. Ele assim o fez e eu melei meu dedo mais uma vez, só que dessa vez com uma pica grossa no meu rabo. Senti algo estranho escorrendo em mim, era quente e espesso. Quando em instantes ouço um “Aaaahhhh” preso entre dentes, para não acordar o bebê e sinto minha bunda sendo pressionada ao extremo por mãos meladas de gel lubrificante. Naquele momento eu senti que ele gozou muito dentro de mim. Tirei minha mão da minha bucetinha e dei para ele chupar. Ele chupou e ficou mais alguns segundos dentro de mim. Meu cú estava anestesiado, cheio de porra e todo arrombado. Eu já não tinha mais pressa que ele saísse dali.

Ele saiu de mim e viu que tinha perdido a hora para ir trabalhar, ligou para a Empresa e informou um “problema” e que iria atrasar. Depois daquele dia, eu ia pra casa deles mais cedo todos os dias, exceto fins de semana esperava a mulher dele sair. Eu não me importava em ser comida por ele após ele ter comido a esposa uma noite inteira. Eu queria era gozar naquela vara grossa e deliciosa. Mesmo o filho dele não precisando mais de babá, ele ainda insiste em me manter trabalhando lá, até hoje não sei o porquê. rsrsrs Transamos quase que diariamente, troquei meu anticoncepcional para não menstruar mais e poder dar a buceta e o cú todas as semanas. Gosto de pica, gosto de rola. inclusive estou escrevendo este post agora depois de uma foda maravilhosa com meu Thiago.

Obrigada por lerem minhas lembranças. Espero que tenham gostado, sei que ficou massante, mas quis dar um pé à história.

Até breve!

Beijocas da Laura nas pirocas.

Referência do Anúncio ID: 2315935891c16cbf

Não há Tags

867 visualizações, 0 hoje

  

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: puffrxd, 149 Guests, 14 Bots