Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Banheira

  • Publicado em: 3 de novembro de 2005 23:44
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Me chamo Maurício, 1,70m, 30 anos. Trabalho numa financeira. Em frente à loja existe uma banca de jornais, onde páro diariamente, antes de começar o dia de trabalho para dar uma olhada nas manchetes. Com o tempo, passei a bater papo com Jonas, 34 anos, moreno, deve ser uns 10 cm menor que eu. Como sempre estou vendo revistas de informática, um dia ele comentou que queria sair do Win98 pro XP. Falei que tinha o CD de instalação, se ele quisesse. Ele disse que não sabia mexer com essas coisas direito e se eu não faria isso pra ele. Até me pagaria, já que teria que gastar com os serviços de algum técnico de qualquer forma. Isso foi numa terça-feira e combinamos para quinta, depois das 19:00 hs. Entrando na casa, segui Jonas que foi para o quarto, que era onde ficava o micro. Apesar da enorme cama de casal, ele mora sozinho. Comecei a instalação e como ela faz praticamente tudo sozinho, pedi para ir ao banheiro. Cheguei lá encostei a porta e enquanto estava mijando, corri sem interesse os olhos pelo local. Vi algo que parecia uma banheira. Quando acabei e dei a descarga, dei uma examinada melhor na coisa. Era uma banheira tipo artesanal, feita de tijolos dentro do box, que era bem amplo, com acabamento de azulejos, parecendo uma pequena piscina. Achei engraçado, porque nunca havia visto nada assim e no final funcionava. Voltei pro quarto e ficamos jogando conversa fora, enquanto a instalação estava acabando. Concluído o processo, perguntei se ele queria instalar alguns dos programas que tinha no cd que levei comigo, abrimos a pasta e fui instalando alguns como ACDSee, que é visualizador de fotos, Winamp entre outras coisas. Ele viu alguns arquivos de vídeo e perguntou o que eram. Disse que eram vídeos pôrno. Ele se mostrou animado e pediu pra mim rodar, caso ele gostasse se eu poderia passar pro micro. Falei que eram muitos vídeos e que levaria muito tempo. Jonas disse que como eu conhecia os filmes, era pra eu colocar uns 3 ou 4 que achava melhores. Comecei com um da Heather Brooke que chupava um pau enorme e depois dava o cu sorrindo. Eu estava sentado numa cadeira em frente ao micro e ele estava na beirada da cama do meu lado direito, mais ou menos 1m de mim. Por isso pude ver pelo reflexo da tv desligada, que estava ao lado do micro que Jonas estava alisando o pau por cima do short. Parecia estar sem cueca. E parecia ser bem grande. Como não dou bandeira, não tinha porque pensar que ele poderia estar me provocando, já que a loirinha dava. Mas estava. Meu pau estava estourando dentro da calça jeans e toda hora eu procurava me ajeitar na cadeira. Achei estranho o comentário que ele fez, quando ela voltou a chupar o cara do filme. “- Caramba, o pau do cara nem cabe na boca da safada, hein? É muito grande!” . Caramba, pensei eu, que toda hora me pegava olhando Jonas esfregar o cacete no reflexo da tv. Passei para outro vídeo. Nesse, uma outra loira estava de 4 dentro de uma banheira de motel e o cara se prepara pra comer a bunda dela. Os ângulos e closes animaram Jonas mais ainda que rapidamente me pediu para copiar esse pro micro dele. Mas nem ouvi o que ele dizia, porque estava hipnotizado pela cena dele tirando o pau pela parte inferior do short. Jonas tinha um pau magnífico. Devia ter uns 18cm. Marrom, com a cabeça um pouco mais escura que o resto. Grande e grosso. Minha boca encheu d´água, e visualizei rapidamente aquilo tudo no meu cu. Mas ele rapidamente se ajeitou e desviei o olhar bem na hora que ele também olhou pra tv. A banheira estava cheia e a loira segurava na borda enquanto o cara metia gostoso nela. Era uma verdadeira tortura ver aquela cena e ter um pau daqueles bem perto de mim. Não via como “forçar” alguma situação, já que nunca dei bandeira e como ele trabalhava próximo de mim, podia acabar me queimando. Pra quebrar o gelo, comentei: “- Eu queria estar ali agora” . E o que ele disse me pegou desprevinido, apesar do tom de brincadeira: “- Mas você gostaria de estar no lugar do cara ou da garota?” . Virei um pouco pro lado e antes de encará-lo, acabei olhando pro pau dele de novo. Quando o encarei, ele tinha um sorriso sacana e debochado no rosto. Resolvi arriscar: “- Humm, ela até que é bem gostosa. E ele parece ter um pau bem gostoso também. De repente, até seria legal ser a garota. Mas e você, queria ser quem?” . Com a resposta dele, vi que não tinha mais como voltar atrás: “- Com certeza iria querer ser o cara” – ele fez uma pequena pausa e prosseguiu: “- Se a garota fosse você!” . Voltei a olhar pro micro pra gravar o vídeo e falei: “- Tu tá falando sério cara?” . Ele demorou pra responder e me assustou quando ouvi sua voz colada no meu ouvido: “- Se eu encher a banheira, respondo à sua pergunta?” Puta merda! Ele tem uma banheira! Aquela… Ah, caralho. Nem lembrava disso. Silêncio. Achei que ele ía soltar mais uma piada e quando olhei, ele estava saindo pela porta do quarto, tirado a blusa. ´Cacete! O quê é que eu estou fazendo? Ele vai encher aquela bendita banheira e vai voltar aqui. E vai querer me comer.´ Aquele último pensamento me deu um baque. E um tesão incrível. Sacudi a cabeça, voltando as idéias pro computador, como se aquilo pudesse me ajudar a não pensar no assunto. Logo ele estava parado do meu lado. Pelado. Com aquele pau lindo que antes parecia intocável pelo reflexo da tv. Estava duríssimo. Como ele estava de pé e eu sentado, a pica dele ficou na altura da minha cabeça. O perfume dele me enfeitiçou. Passei a lingua nos lábios e ele chegou mais perto, encostando o pau no meu rosto, de leve. Não pude pensar em mais nada. Só em chupá-lo, lambê-lo, mordê-lo, mamá-lo. Segurei aquela delícia com a mão esquerda e senti aquela coisa grossa e quente pulsando. Pensei na hora de como seria aquilo tudo dentro de mim. Quebrada essa última barreira, abocanhei o pau dele. Que delícia. Chupava, lambia. Mamava. Adoro mamar um caralho, principalmente lindos como aquele. Ele logo me levantou da cadeira e me ajudou a tirar a roupa. Ele me puxou, com a intenção de irmos pra banheira. Eu disse: ” — Vou querer na água sim, mas eu quero que você me coma aqui na cama primeiro ” . Ele disse para eu ir me ajeitando por que ele ia fechar a torneira da banheira. Quando voltou, me encontrou deitado de bruços, com as pernas bem abertas. O pau dele parecia pular de alegria, com a visão do meu cuzinho. Ele veio pra cima de mim mas saiu logo. Senti suas mãos na minha bunda e de repente, uma lingua lambia o meu cu deliosamente. O canalha comeu meu cu com a lingua. Mordia minha bunda e voltava a lamber. Estava ficando maluco. E pedi logo: ” — Vem Jailson. Mete essa piroca gostosa no meu rabo. Mas eu queria te pedir duas coisas. Na verdade são três. – Ele ficou curioso e perguntou o que seria – queira saber se a webcam chega até aqui. ” Ele riu e ao mesmo tempo que levantava e ia pegar a pequena camêra. Ele ligou o monitor e eu pedi pra ele gravar. Quando ele voltou pra cama, eu disse qual era o segundo pedido: ” — Você vai poder me comer de tudo que é jeito, mas o que eu mais adoro é ficar assim de bruços e sentir o pau entrando e saindo bem devagar. E por último, você poderia colocar a camisinha uns dois minutos depois. Eu quero sentir o seu pau me comendo mesmo. Puro, sem camisinha. Lógico que tem que usar a camisinha, mas chega a ser pecado não poder sentir a pele do teu pau invadindo o meu rabinho ” . Ele ficou um pouco pensativo e antes de me dar o tubo de gel, passou um pouco no dedo e besuntou meu cuzinho. Girei um pouco o corpo e antes de passar o gel, voltei a chupar o pau dele. De repente olhei pro monitor e me vi, engulindo aquela rola. Babando, Chupando só a cabeça. Lambendo. Ele estava com a camêra bem perto do meu rosto. Mamei com mais gosto ainda. Olhava pro monitor e pra ele.

Ele gemia e dizia: ” — Caralho Maurício, se a sua bundinha for tão gostosa quanto a sua boca, acho que vou te comer a noite toda ” . Aí fui eu que gemi. Ele ouviu e tocou no meu ombro, indicando para eu me deitar. Passei o gel por todo o cacete dele e me deitei novamente Coloquei um travesseiro embaixo do meu pau e minha bunda ficou bem levantada. Quando olhei pra ele, vi que ele segurava a webcam. Olhei pro monitor e vi que a visão era ótima. Ele deitou em cima de mim e senti aquela tora cutucando minha bunda, procurando o caminho certo. Quanto encostou no meu cu soltei um: ” SSShhhhhh ” . Relaxei e senti o pau dele entrando. A cabeça passou e logo aquela piroca estava toda enfiada no meu rabo. Ele passou a tirar e colocar tudo. Deliosamente devagar. Perguntei: ” — E então, minha bundinha é gostosa? ” Quando falei isso ele enterrou tudo no meu cu. Senti aquelas bolas gostosas batendo de leve nas minhas. Ele disse: ” — Nossa, além do seu cu ser delicioso, dá pra ver que você gosta de dar a bunda. Gosta de ser putinha… ” . ” — Isso! Me chama de puta. Vagabunda. Bichinha. Por que só puta sente tanto tesão com uma pica dessas no cu. – não tem como descrever a sensação dele entrando e saindo – Aiii Jonas, eu adoro dar o cu. Aiii… aiii, ainda mais assim. Aiii, que piroca gostosa, me come gostoso, vai. Fode o meu cu, mete essa pica na bunda da tua bichinha, vai. – ele tirava e enterrava tudo de novo. entrava e saia ” . Ele pediu pra eu levantar um pouco e ficar de quatro, pra filmar com a webcam. Levantamos junto e ele nem saiu de dentro de mim. Quando olhei pro monitor, meu tesão pareceu ter dobrado. Senti pequenos tremores no corpo todo. Já estava delicioso dar a bunda, ver então… Acho que também não tem como descrever isso. A imagem mostrava nitidamente aquela pica entrando todinha no meu rabo. E depois saindo. Bem devagar. Num momento ele tirou o pau de dentro do meu cu e senti um enorme vazio, e pude ver meu cu piscando, “pedindo” pra ele voltar. Quando ele entrou novamente, pude ver cada pedacinho invadindo meu cu. Parecia que ele não ia aguentar muito tempo, quando ele disse: ” — Maurício, estou sendo sincero. Não transo com ninguém sem camisinha, mas como você disse, esse contato é delicioso. Vai ver que por isso não transo sem, já que a borracha tira muito da sensibilidade. Por isso eu queria te perguntar, já q-que par-rece que não vou aguentar muito tempo. Posso gozar dentro do teu rabo? ” . Pensei na possibilidade dele estar mentindo, mas a estória do cantato é mesmo verdade. Depois que toca, fica difícil voltar atrás. Talvez até tenha planejado isso, mesmo que incoscientemente, já que pedi pra ele meter sem… ” — Vai Jonas, enche meu cu de leite. Meu rabo quer tua porra todinhaaa… aiii ” . Quando ele enfiava tudo novamente, eu impinava mais a bunda, pra ele poder entrar todinho. Deitei novamente e quando ele caiu sobre mim, enterrou o pau entrou mais ainda ” . Senti a hora que ele gozou, enchendo minha cuzinho com aquele leite quente. Ficamos uns dois minutos tentando recuperar a respiração. Logo que saiu de mim, ele disse: ” — Caramba Maurício, que doideeira hein?! Não sei dizer o que aconteceu. Eu já transei com homem, mas faz muito tempo. Não sei o quê que me deu, afinal você nem parece bicha… ” . ” — Eu também gosto de mulher. Mas de vez em quando também gosto de dar a bunda ” . ” — Hum, e que bundinha deliciosa. Olha só, meu pau já está levantando de novo ” . Enquanto ele alisava metade da minha bunda, levantei e segui direto pro pau dele. Chupei ele novamente por uns dois minutos e foi a minha vez de interromper ele e dizer que precisava ir ao banheiro. Corri lá e descarreguei a porra dele que estava no meu cu. Usei o chuveirinho e consegui injetar um pouco d´água no cu e voltei a descarregar. Me enxuguei e quando ia volta pro quarto, vi a banheira cheia e mudei de idéia. Entrei nela e chamei Jonas, que apareceu rapidamente na porta, com o pau totalmente ereto e me encontro de quatro, com os braços apoiados na borda da banheira. ” — Então, não era você que queria estar no lugar do cara do filme? Vem foder o cu da tua loirinha, vem… ” . Ele correu de volta até o quarto e quando voltou, segurava o tubo de gel. Brinquei dizendo que achava que ele tinha ido buscar a webcam. Ele riu e disse o óbvio: que não tinha como chegar lá. Mas antes de entrar na banheira, le abriu a porta do armário da parede, que era um enorme espelho e posicionou num ângulo que desse para ver bem. Ficou ótimo. Ele então entrou na banheira e sentou na borda. Chupei o pau dele novamente. Ele gemia e dizia: ” — Cacete, você chupa muito gostoso ” . ” — Não tem como não chupar direito, uma pica linda dessas ” . Logo passei o gel novamente em todo aquele cacete e voltei a me apoiar na borda, olhando por cima do ombro e pro espelho, a hora que ele se aproximou e começou a enfiar aqueles 18cm novamente no meu cuzinho. Olhando pelo ombro, pude ver aquela piroca entrando e saindo do meu rabo. Quando ele enfiava tudo, ficava parado por alguns segundos. Comecei a rebolçar gostoso e ele pediu se podia foder mais rápido. Olhando pro espelho a cena da rola dele sumindo no meu cu, eu disse: ” — Me come gostoso. De qualquer jeito, mas não pára de foder meu rabo com esse pau gostoso, aiii… ” . Jonas estava com a piroca toda enterrada no meu cu e disse: ” — Nooossa, podia ficar fodendo a sua bunda a noite inteira! ” . ” — Isso é um convite pra eu dormir aqui? – ele respondeu qeu sim – Aiii, come sim. Eu quero. Come a noite toda, me acorda de madrugada comer meu cu. Eu quero dormir com essa pica enterrada no rabo. Aiii… aiii… aiii… você mete muito gostosooo. ” . Levei a mão pra trás e pude sentir aquela grossura entrando gostoso no meu rabo. Ele passou a foder mais rápido. A água da banheira estava na altura do meu pau e fazia um barulho engraçado. De repente, avisei pra ele que ia me mexer um pouco e disse: ” — É que eu nunca dei a bunda dentro d´água ” . Ele riu mas assim que abri bem as pernas e fiquei segurando na borda com as mãos, ele voltou a meter gostoso no cu. Que delícia. Pena que não dava pra ver pelo espelho, mas olhando por cima do ombro, tinha uma boa visão, embora parcial. Aquela pica era realmente linda. E deliciosa. Jailson colou o rosto disse: ” — Sabe, sempre que você quiser levar pica nesse cu, é só aparecer aqui… ” . ” — Olha, não fala isso porque senão eu acabo passando aqui todo dia ” . ” — Pode passar. Como sua bunda sempre que você quiser. Isso vai, rebola no meu pau, pede minha rola sua bichinha. – ele enfiava tudo e dizia – você vai ser o meu viadinho. Vou comer muito esse rabo ” . ” — Isso … enterra essa pica todinha no meu cu. Aiii, mete meu macho… aiii que gostoso que é tomar no cu. Aiii que delícia. Mete no rabo. Fode meu cu. Aiii… assim, come minha bunda. Aiii assim, fica parado. Aiii que pau gostoso, Jonas. Aiii… vamos voltar pra cama? ” . Saímos da banheira e nem deup pra se enxugar direito. Quando ia saindo do banheiro ele me puxou de volta. Paramos em frente o espelho e levantei um pouco a perna pra poder ver o pau dele entrando no meu cu. Fodemos de pé uns dois minutos e foi delicioso levar e ver em cada detalhe a pica dele entrando. Puxei ele pelos pulsos e voltamos pro quarto tentando sincronizar os passo, já que ele continuava enfiado no meu cu. A cena devia ser engraçada, mas eu só conseguia sentir o tesão de ter aquele caralho de 18cm todo enfiado no meu cu. E a sensação quando a gente andava era uma delícia. Paramos na beirada da cama e subimos devagar. Em nehum momento meu cuzinho deixou aquela rola escapar. De joelhos, me preparei pra deitar e lembrei de quando ele caiu em cima de mim. ” — Olha só, deixa ele bem na portinha, só a cabeça lá dentro e cai junto comigo ” . Ele fez o que eu pedi e quando cai na cama, ele veio junto e senti aquela piroca entrando completamente no rabo. ´´ — Aiii… Jonas, que delícia. Que pica é essa meu deus?! Uiii, aiii, vai, fode gostoso. Soca essa piroca na minha bundinha – falei de um jeito ´menininha´ – ai minha bundinha. você tá comendo gostando de comer meu bumbum? ” . A resposta dele foi a desacelerar os movimentos e passar a meter do jeito que eu adoro. E novamente com a webcam na mão. A cena no micro e ele me comendo daquele jeito, implorei pra ele: ” — Putaquepariu, que delícia. Aiii, aiii, quando você for gozar, põe na minha boca? ” . Ele riu e eu senti um jato quente no rabo. Foi tudo muito rápido, já que ele tirou a pau de dentro e eu virei na direção dele. Tomei um banho de porra e cai de boca naquela rola, dando tempo de sentir três jatos na garganta. A porra era quente, grossa, deliciosa. Descia pela garganta enquanto eu mamava. Jonas desabou, exausto. ” — Nossa, essa foi a melhor foda da minha vida ” . Ficamos um tempo deitados e ele acabou pegando no sono. Uma hora depois, ainda não tinha conseguido dormir e fui pro micro. Fiquei vendo o filme e as cenas me deram tanto tesão que quando vi, estava me masturbando e Jonas estava de pé, do meu lado, também de pau duro. ” — Caramba, você tem um tesão ” . Antes de enfiar o pau na boca novamente, disse que não tinha como não ter, vendo aquela pica linda no vídeo. Ele me puxou pra cama e eu me botou de frango-assado. E começou a me foder novamente. Fodemos mais uma vez antes de dormir e quando acordei, ele estava passando aquele pau gostoso no meu rosto. Sorriu e me deu bom dia. Puxei ele pra cama e o coloquei sentado. Enquanto mamava seu cacete, ele alisava minha bunda, dando uns tapinhas que me faziam gemer, mostrando que estava gostando. Ele comentou: ” — Caramba, nunca ia imaginar que você gosta de dar a bunda ” . Me levantei, passei as pernas por cima das dele e ficamos abraçados de frente. Encostei o pau no cu e fui sentando lentamente. Enquanto meu cuzinho era invadido por aquele pau gostoso, falei: ” — Claro que gosto. Adoro dar o rabo. Amo ser enrabado. É delicioso uma piroca fodendo meu cu. Adoro, adoro levar uma pirocada bem dada, e você é tudo isso. Você tem um pau maravilhoso. E come meu cu como ninguem ” . Jonas deu sinais de que ia gozar e eu rapidamente sai de cima dele e cai de boca naquela rola. Após umas 4 chupadas, dessa vez ele inundou minha garganta. Era muita porra, e engoli cada gota. Pedi pra ele meter no meu cu assim mesmo e esperar até amolecer. O dia já estava claro e eu precisava ir trabalhar. Na porta ele disse que tinha sido a melhor foda da vida dele. Eu disse que tinha adorado e ele pediu pra eu voltar à noite, pois à estava com saudade da minha bundinha. Mesmo por cima do jeans, era muito bom sentir ele alisando minha bunda. Eu disse que voltaria sim, e com uma surpresa. Ele ficou curioso e eu segui pro serviço. Na hora do almoço, entrei numa loja e comprei uma calcinha vermelha minúscula. Corri de volta pro trabalho e me tranquei no banheiro. Meu pau já estava durissimo quando vi pelo espelho, a calcinha toda enfiada na bunda. Fiquei imaginando a cara de Jonas ao tirar o jeans e me ver assim. Acabei batendo uma punheta ali mesmo. À noite fui direto pra casa dele… [continua]

Referência do Anúncio ID: CT-000024462

Não há Tags

6762 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Informações deste Autor

  • Autor: dcalcinha
  • Membro desde: 11 de março de 2005

Contos publicados por dcalcinha

Últimos itens anúnciados por dcalcinha »

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 86 Guests, 16 Bots