Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Camila, beijada pelo fogo

  • Este conto está Suspenso
  • Publicado em: 22 de fevereiro de 2017 16:31
  • Expira: Nunca!
Camila, beijada pelo fogo

Detalhes do Conto Erotico:

Sou Fabio, tenho 28 anos, casado e sem filhos. Este conto é sobre uma história que vivi a pouco tempo com uma garota que conheci pelo facebook, seu nome era Camila.

Já conversávamos a algum tempo, Camila e eu, havendo +10.000 linhas no privado, ela parecia ser uma garota interessante e eu buscava conhecer novas pessoas. Marcamos de se encontrar em um barzinho próximo ao trabalho dela no fim do dia, ela morava perto e pensei logo que se algo tivesse de rolar entre a gente seria uma boa oportunidade.
Naquele dia sai de casa bem cedo como era de costume, sempre tem muito engarrafamento pela manhã, ao longo do dia fomos conversando pelo messegen, ela foi me contando alguns casos que havia vivenciado nesse novo apartamento, chegando ao ponto de entrar em detalhes sobre seus relacionamentos íntimos, foi a confirmação que eu queria, ela estava mesmo pensando em fazer uma sacanagem naquela noite e o bar era mesmo só uma desculpa.

Autor: Fabio Sobrado, e-mail: fabio.sobrado@outlook.com
No fim do dia como planejado deixei o carro em um estacionamento e peguei um Uber até o bar, na região ele era conhecido pelo clima agradavel e pela música ao vivo que tinha todas as noites. Camila chegou um pouco depois de mim, ela era bem alta, tinha 1,70m de altura, cintura fina, seios discretos e pernas bem torneadas. Ela usava um vestido verde, bem curto, que provavelmente ela havia cabado de vestir só para se encontrar comigo.
Conversamos um pouco, bebemos algumas cervejas e pouco tempo depois começamos a nos pegar na porta do banheiro de frente a um corredor, algumas pessoas passaram e isso chamou nossa atenção, aquele não era o local mais próprio para o que tinhamos em mente.
Camila me tomou pela mão e fomos embora, ela queria me levar até o seu ap. disse que tinha uma surpresa pra mim, algo que ela queria muito que eu visse, achei estranho mas não exitei..
Quando chegamos ao elevador ela começou a me despir, disse que morava sozinha naquele andar e quase ninguém aparecia por eli nos corredores, quando a porta se abriu eu já estava com a camisa aberta e ela com o vestido pela cintura, sua calcinha eu havia tirado e quardado no bolso. Ela estava com muito tesão, mal podia se conter, me lembro de a minha calça ficar molhada só dela se encostar em mim.
Logo assim que entramos no seu apartamento ela me olhou nos olhos, ergueu os braços e deixou seu vestido deslizar pelo corpo até o chão, se virou e foi caminhando até o seu quarto, pelo caminho fui despindo minhas ultimas peças de roupa, ela pediu que levasse a gravata e o cinto.
Nos devoramos como animais, Camila cavalgou com força e vigor, por mais de uma vez gozamos juntos, me lembro que enquanto a penetrava não parava de pensar em como o sexo com ela era perfeito, sem frescuras sem tabus, até os fetiches eram perfeitamente compativeis com os meus. Àmarrei na cabeceira da cama com a minha gravata, lembro da sua voz meiga me implorando para açoitar suas coxas e sua bunda nua, sua pele branca ficou corada rapidamente, seus cabelos ruivos e encaracolados ficaram enrolados entre meus dedos quase todo tempo, ela pedia que a possuisse com esse impeto animal.
As horas se passaram e eu havia perdido completamente a noção do tempo, me levantei para ir até a cozinha, quando vi o relógio sobre a cômoda, eram quase uma da manhã, tinha de pensar em uma boa desculpa, porém no meu celular não havia uma chamada se quer. Quando retornei ao quarto ouvi gemidos de Camila, imaginei que ela estivesse se tocando pensando em mim, porém o que vi me deixou pasmo. Ela estava deitada no chão com as pernas afastadas e seu dog, um labrador, a lambia. Pouco antes de me levantar eu havia gozado sobre seu corpo nu, me lembro bem de deixar seus labios brancos com a minha porra, agora seu dog a lambia por inteira, lando um banho de lingua, penetrando até seu interior, pelo sorriso no rosto de Camila seu dog lhe proporcionava muito prazer. Ela provavelmente se virava bem com ele morando sozinha naquele ap, mas sentia falta de um homem que a possuísse com mesma selvageria e vigor.
-Isso era o que eu queria te mostrar, disse Camila em meio a pequenos gemidos.
Eu não podia crer no que estava presenciando, me sentei na cama e apenas assisti. Ela se virou, colocou-se de quatro e com um comando de voz o dog a montou, bem como se faz com as cadelas, possuindo Camila, penetrando de forma semelhante a como eu havia feito a poucos minutos. Ele possuia um vigo incrível, permanecendo em seu interior por muito tempo, ela já estava sem folego de tanto gritar, seus gemidos estavam soando roucos devido ao desgaste de sua voz.
Assim como começou parou, de forma inesperada, o dog apenas ficou lá, sem sair de seu interior, ela disse que ele sempre faz isso quando goza, ficava “preso”. Eu me aproximei dela, e nos beijamos, Camila sussurou algumas sacanagens no meu ouvido e tornou a me tocar, ela sabia como me deixar excitado, e sabia que eu estava gostando a pesar de estar muito impressionado. Me sentei a sua frente e enquanto ela permanecia com a bunda empinada e seu dog com o pau inchado dentro de sua bucetinha, Camila me chupou, não demorou muito para que eu tornasse a gozar na sua boca, ela sugou e engoliu cada gota, olhou em meus olhos e tornou a sussurrar, logo em segida o dog tirou o pau inchado de suas entranhas e aquela porra densa e abundante escorreu por suas coxas inundando o chão do quarto, o cheiro erar muito forte. Camila se afastou de mim e pediu que apenas apressiasse o seu espetaculo particular. Ela rolou sobre aquela porra densa como uma cadela no cio, se esfregou pelo chão e a espalhou por todo seu corpo, pegou um consolo em uma gaveta e continuou se masturbando, penetrando seu cuzinho com ele, gemendo e chamando meu nome enquanto seu dog a lambia, dando-lhe outro banho de linguia. Logo em seguida ela se lebantou, dirigiu-se até o banheiro.
-Por essa você não esperava eu aposto! Disse Camila quanto se ensaboaba.
Entrei com ela no box e continuamos nos pegando ali mesmo sob o chuveiro, ela se virou e me pediu que a penetrasse apenas por trás porque já estava muito larga. Queria me sentir duro e grosso dentro de seu cusindo até o dia amanhacer, claro que atendi a seu pedido!
Pela manhã, me levantei sedo, era sábado mas eu ainda iria passar no escritório, me despedi de Camila e retornei a minha vidinha pacata.
Continuamos nos falando por mais algum tempo, até que Camila se desligou de todos, umas amigas disseram que ela foi atender a uma oferta de emprego em uma cidade distante , pórem não havia deixado contato, uma pena, imagina que ela ainda esteja gozando com outros homens como fizemos naquela noite.

Referência do Anúncio ID: 40858a73f6353f4a

Não há Tags

8189 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Informações deste Autor

Contos publicados por fabio.sobrado

Últimos itens anúnciados por fabio.sobrado »

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: Jbcuritiba, Jbcuritiba, 94 Guests, 19 Bots