Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

COMI MINHA TIA GORDA

  • Publicado em: 13 de agosto de 2001 12:14
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Minha Tia Gorda I Antes de contar como aconteceu meu caso incestuoso, quero cumprimentar a todos os participantes do site Contos Eróticos. Eu sou um homem negro, 1,87 de altura e 82quilos, pernas grossas, tórax bem definidos, bem aparentado, praticante de natação e professor de Educação Física, hoje estou com 26 anos. Na época em que tudo aconteceu eu tinha 16 anos e somente hoje depois de ler histórias interessantes a que se refere a incesto, resolvi relatar a minha. Minha tia não é uma mulher gostosa, ela não tem nada que um homem possa admirar fisicamente, é gorda, tinha na época 40 anos, devia pesar em torno de 145kg e 1,66m de altura, cabelos pretos e pele clara, sempre levou uma vida muito sedentária e cômoda, nunca cheguei a ver ela praticar nenhum tipo de exercício, enfim, ela é uma mulher extremamente gorda. Desde pequeno, freqüentei a sua casa tanto com meus pais, quanto sozinho, e nunca reparei minha tia com nenhum namorado em sua casa, sempre muito sozinha, somente ela e seus cachorros de estimação, e nós da família, sempre aos finais de semana costumávamos ir passar o dia lá com ela para que não se sentisse solitária, fazíamos almoços de confraternização churrascos etc, tudo para que ela não se sentisse sozinha. Ela não morava tão longe de minha casa, eram mais ou menos uns 15 minutos de ônibus e desde dos meus 12 anos, sempre que entrava de férias escolares eu ia para sua casa passar umas duas semanas para acompanha-la, a pedido de minha mãe e depois de uns 4 anos sempre passando 2 semanas de minhas férias em sua casa, ela já não tinha mais nenhumas timidez comigo, nunca se privou de andar com as roupas que gosta de usar dentro de sua própria casa, que era, suas camisas regata e seus shorts largos, ela também nunca me reservou a nada, me deixando sempre a vontade em sua casa. Certa noite nós estávamos na sala assistindo televisão, ela sentada e eu deitado em seu colo, e de uma hora para outra ela começou a fazer perguntas de minha intimidade, do tipo se estou namorando, se eu já era um homem completo, se eu sabia como era amar bem gostoso, coisas desse tipo. Eu como não esperava por essas perguntas, engasguei com vergonha fiquei sem saber o que responder e logo desconversei, falei que estava tarde e tinha sono, levantei do sofá e fui para o quarto dormir. Ela por sua vez ficou insistindo por umas 3 noites seguidas as mesmas pergunta, eu sem saber como responder e não ter mais como fugir do assunto fiquei muito encabulado e constrangido, pois não sabia quais eram as intenções de minha tia então decidi não mais ficar a noite na sala com ela. Na segunda noite da segunda semana que estava na casa de minha tia gorda, resolvi voltar a fazer compainha a noite para ela na sala, afinal, minha mãe havia dito para que eu fosse a casa da tia para não deixar ela sozinha. Então depois de chegar da casa de um amigo que mora ao lado da casa de minha tia, tomei um banho coloquei minha cueca samba canção que uso de costume para dormi, sem camisa e fui para a sala ficar com minha tia, ela já havia tomado banho e estava assistindo a novela das oito, eu tentei ser o mais natural possível, deitei no colo dela e fiquei assistindo TV, mas como eu estava muito cansado, logo cai no sono deitado em seu colo, esticado no sofá. Eu tranqüilamente deitado, durmo pensando que minha tia não mais faria aquelas perguntas, mas de repente sinto o elástico de minha cueca esticar, era minha tia que estava sendo mais ousada que as noites anteriores e colocando uma de suas mão gordas por dentro de minha cueca. A principio eu penso em acordar e dar um basta em tudo, mas vem em minha cabeça “Poxa, minha tia é uma mulher tão solitária e carente que deve estar precisando de sexo. Vou deixar ela a vontade e ver até onde ela vai com sua ousadia”. Minha tia precisava de minha ajuda e eu como um homem poderia ajuda-la, sinto então ela tentar deixar meu pau ereto coisa que não demora muito a acontecer, eu fingindo sempre estar dormindo fico imóvel, apenas me acomodando no sofá, ela então não satisfeita em somente deixar minha pica dura por dentro da cueca, tira meu pau para fora e começa a tocar uma punheta para mim eu sendo um homem é claro que gostei abri mais minhas pernas para facilitar as coisas e deixei ela continuar. Eu por ser um negro que sempre tive um bom porte físico, também tenho um pinto negro consideravelmente grande, medindo em torno de 22cm x 6mm e cabeça parecendo um morangão. Como minha tia estava agarrada em minha pica e não queria mais largar, parecia muito contente em ter um órgão daquele tamanho em sua mão, eu sentia a respiração dela cada vez mais ofegante como estivesse desejando muito meu pau em sua bucetona. Depois de muito me punhetar, e ela vê meu pau esporrar em sua mão, meu corpo treme e ela logo trata de limpar meu cacete pensando que eu estava dormindo e para que eu não percebesse o que ela teria feito. Ela não querendo me incomodar levanta e vai p/ o quarto dormir me deixando dormindo na sala. No dia seguinte ela levanta toda eufórica e eu finjo não saber o que acontecia, tomamos o café da manha e logo eu saio para a rua na intenção de cumprimentar meus amigos. Por algumas horas fico conversando com eles enfrente a suas casas, e quando se aproxima o horário do almoço me despeço de meus amigos e volto p/ casa na intenção de almoçar, chego em casa e abro a porta da sala de supetão, e sem querer encontro minha tia tentando fazer carias em sua buceta, mas como ela era muito gorda, não estava conseguindo e com minha entrada de surpresa na sala, ela se assustou e tentou esconder, ajeitando seu short, entro naturalmente e ela logo vem se explicar para mim, falando que tinha algo a incomodando e que estava tentado ver o que era. Eu para não contrariá-la falo para ela não se preocupar pois estava em sua casa. Fui para cozinha ver o que ela havia preparado p/ o almoço, mas não encontrei nada pronto, voltei p/ a sala e sentei ao lado de minha tia, ela por sua vez muito envergonhada, tentava esconder o rosto e eu perguntei se ela estava daquele jeito por eu ter visto ela mexer em sua buceta, ela respondeu positivamente e não falou mais nada. Então resolvi entrar em sua brincadeira, falando a respeito da noite passada, ela se fez de desentendida e para colocar mais pimenta no assunto falei que estava acordado e adorei o que ela havia feito. Depois de ter dito isso ela se entregou a conversa, falando que estava precisando muito de um homem e que ao me ver deitado no sofá não resistiu e resolveu tocar uma punheta e ver meu pinto crescer e esporrar. Eu comovido com a situação de minha tia, deito em seu colo na intenção de ela bater mais uma punheta para mim, ela logo percebe que também estou afim e começa a me acariciar passando a mão em meu peito, por cima de meu short, logo minha pica vem a tona ficando completamente dura, logo pede para mim tirar meu short e ficar pelado, eu faço charme e êxito, ela então sem titubear, tira meu pau para fora do short pela lateral da perna, e começa a massajea-lo com isso minha pica fica cada vez mais enorme e minha tia vai ficando impressionada com o tamanho e levanta do sofá pedindo para que eu encoste a cabeça no braço do sofá, é o que faço e fico vendo o que ela iria fazer, ela então se ajoelha no chão e com sua boca de lábios carnudos começa e me chupar, ela a principio lambe apenas a cabeça, coisa que me deixou louco, e por partes ela foi engolindo o restante, chegando até os pentelhos do meu saco, por certa vez ela se engasga pelo fato de minha pica encostar em sua garganta. Mas ela chupa como se nunca tivesse chupado uma pica antes, sobe e desce com a cabeça em um movimento gostoso, eu fecho meus olhos e vou empurrando a cabeça de minha tia contra meu cacete ele baba em minha pica e engole ele com mais gosto, eu enxugo a baba de minha tia que escorre pelo o corpo de meu pinto e limpo no sofá. Enquanto ela vai engolindo meu cacete bem gostoso, eu tento alcança a buceta dela com o dedo p/ poder fazer caricias nela também, mas não alcanço e então tiro minha pica de dentro da boca de minha tia para olhar seu rosto, vejo ela toda despenteada e com a boca toda lambuzada doida para retornar com a boca no meu pinto, ela não falava nada, só respirava muito forte, eu então logo deixo ela retornar a chupar bem gostoso meu pau que estava muito molhado de sua saliva. Foi então que pedi para ela parar de chupar meu pau e resolvi deitar no tapete da sala, ela para não deixar meu pinto amolecer fica me punhetando com sua mão pequena e gorda, logo então levo sua cabeça até meu cacete para que eu sinta sua boca aveludada chupa-lo novamente, até que então não agüentando ficar sem fazer nada e ficar somente sendo chupado, tento puxar a bundona de minha tia para perto de meu rosto, não consigo por ela ser muito pesada, então ela percebe minha vontade e vai se aconchegando passando uma de suas pernas sobre meu corpo e deixando sua bunda em meu rosto. Ela não parava de me chupar e minha pica já estava muito vermelha de tanto ser sugada, eu confesso ter me assustado quando vi aquela bundona enfrente ao meu rosto, mas logo procurei uma fora deixar a buceta de minha tia a mostra para eu poder chupa-la também, no principio tive uma certa dificuldade para chupar bem gostoso a sua buceta, pois a gordura de sua bunda atrapalhava minha lingua chegar a seu clitóris que escondia entre tanta gordura, ela tentou me ajudar abrindo sua buceta com a sua mão, até que então eu consegui encostar levemente com minha língua em seus lábio vaginais vermelhos e peludos, percebi que seu corpo tremeu de tesão, onde fez com que ela agarrasse meu pau com mais vontade e chupasse ferozmente. Confesso que também fiquei louco de tesão, meu pau latejava e ela não queria mais parar de me chupar, quando então eu finalmente consigo chegar com minha língua a fundo em sua xana e senti profundamente o seu gosto, ela fala para não parar, mas não estava mais agüentando ser chupado e prestes a gozar, eu peço para que pare um pouco para que eu possa respirar por algum instante, ela parou somente para que eu achasse alguma posição melhor para continuar de imediato, foi então que eu disse que faltava pouco para gozar e que gostaria de fazer isso dentro da sua buceta, onde ela me atende prontamente, dentando no tapete e abrindo suas pernas com uma certa dificuldade já que era muito pesado e não tinha muita elasticidade. Demoramos alguns instantes para achar uma posição gostosa para foder a buceta de minha tia gorda, até que então ela se deitou de lado dando as costas para mim, dobrando uma de suas pernas deixando seu corpo acomodado e sua buceta um pouco amostra, já que a gordura cobria ela parcialmente. Quando percebi que ela estava pronta para ser fodida, meu pau já havia amolecido, então levei minha pica até sua boca para que ela o fizesse endurecer novamente, depois de algumas caricias com a boca e com a mão, meu pau encontrava-se rígido novamente, e fui descendo vagarosamente com minha pica até chegar na entradinha da buceta de minha tia. A principio eu não penetrei meu pau em sua xana, fiquei fazendo acaricias nos lábios de sua buceta com a cabeça do meu pau, e escutava ela gemer forte, como se estivesse implorando para enterrar meu pau de uma só vez em sua buceta, que estava muito molhada. Não teria trabalho nenhum para penetrar a buceta da minha tia que estava molhada e bem dilatada, ela olhava para mim e dizia: Meu sobrinho gostoso, não judia de sua tia gorda, fode logo minha buceta, não estou mais agüentando, fode logo!!! Foi ai então que coloquei a cabeça de minha pica dentro da buceta de minha tia, mas rapidamente retirei, pois estava mesmo era querendo brincar com ela, quando fiz esse movimento, de colocar e retirar minha pica rapidamente de dentro dela, ela estranhou e perguntou se eu não queria mais fode-la, foi então que dei um tapinha na bundaona dela e falei p/ ela ficar quieta e só gemer quando sentisse prazer. Com a buceta de minha tia encharcada, não resisti por muito tempo, e fui enfiando minha pica para dentro dela, e ela foi gemendo e pedindo para eu enfia tudo sem deixar nenhum centímetro da minha pica para fora da buceta dela e prontamente atendi o pedido de minha tia. Ela então abriu mais a sua buceta e fui socando minha pica nela, eu via as banhas delas balançar o que me deixava mais excitado, o meu saco batia em sua coxa e fazia um barulho gostoso, ela gemia muito forte e perguntava se a buceta dela estava vermelha, ela se preocupava muito com estado de sua buceta e pedia para não parar enquanto a buceta dela não ficasse vermelha e eu gozasse dentro dela, eu então fui socando cada vez mais forte e perguntando se estava bom, minha tia, não respondia, só balançava a cabeça positivamente e respirava forte fechando os olhos e passando o dedo do seu grelho com minha pica dentro e levando na boca. Foi então que novamente retirei minha pica de dentro da buceta de minha tia e ela pediu p/ não parar, pedi para ela deitar de barriga para baixo e abrisse as pernas como um sapo, foi então que eu abri a sua xana e coloquei meu pau novamente dentro dela. Mais que gostosura, meu pau ficou dentro da buceta dela e ralando em suas nádegas, ela gemia muito o tesão era muito, foi então que veio a vontade de gozar. Avisei a ela, e ela ficou louca para sentir minha porra dentro de sua buceta, comecei então a bombar mais rápido e ela pedia para gozar tudinho dentro de buceta dela, após algumas bombadas, falei a ela que estava gozando, e ela disse: goza meu sobrinho, goza dentro da buceta gorda se sua titia, e a cada socada que eu dava, enchia mais a buceta de minha tia de porra, melando todos os cabelos pubianos dela, e depois de gozar e tirar minha pica toda melada de dentro de minha tia, ela deu uma lambida para limpo-lo e fui tomar um banho, foi quando a campainha tocou… Continua…

Referência do Anúncio ID: CT-000004593

Não há Tags

6247 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: jaquelinecesar, 261 Guests, 47 Bots