Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Como Eu Gosto de Levar no Cu!

  • Publicado em: 20 de novembro de 2005 11:16
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Léo bombou na minha buceta com força, eu estava tão excitada que apenas assistia sua rola dura entrando e saindo, quando ele me segurou pelos cabelos e puxando contra seu corpo encheu minha buceta de porra, soltando meus cabelos e caindo sobre meu corpo urrando de prazer, senti o peso do corpo de meu marido e nós suávamos como se fossemos derreter, ficamos ainda um tempo naquela posição com sua rola dentro da minha xana e eu toda gozada, começamos a nos beijar de leve, estávamos com nossos rostos melados da porra de Eliomar e então nos levantamos para tomar uma ducha, meu corpo estava colando, no caminho para o banheiro encontramos Eliomar que já havia tomado sua refrescante ducha, ele nos olhou com um ar de cumplicidade e de quem havia gozado gostoso, e foi descansar, assim que saímos da ducha, comemos alguma coisa e tomamos uns drinks para relaxar, falamos sobre nossas aventuras, sobre nossas fantasias e Eliomar não acreditava na safadeza que aprontávamos, ele não tocou diretamente no assunto mas percebemos que sua rola saltava quando recordamos do beijo que trocamos com sua porra na boca, ele ficou excitado e Léo fascinado porque realizamos mais uma fantasia gostosa, logo o meninão de Eliomar já estava ansioso novamente e ele exclamou: Gente me perdoa, mas é que eu sou muito tarado mesmo e gosto de demais de sexo nem deixei ele terminar a frase e já me aconcheguei no meio de suas pernas e comecei a chupar sua rola, ele fechava os olhos e gemia gostoso cada vez que a vara sumia entre meus lábios, Léo já acariciava a rola excitado, eu lambi as bolas de Eliomar que gemeu gostoso, desci a lingua pelo nervinho atrás das bolas e ele estremeceu de prazer, claro que levei a lingua no cu dele e beijei gostoso, ele faltou uivar de tesão e batia com o pinto no meu rosto, a pica ficou petrificada de tão dura, Léo se levantou e disse com o rosto bem próximo do meu para Eliomar, agora chegou a hora de você esfolar o cu dessa vadia, você vai ver como ela gosta de levar rola no anel! Eu ainda lambia o cu de Eliomar que estava fascinado com o beijo gostoso, então fui subindo para o vão entre o cu e as bolas, voltei para o cu dele e cada vez que eu saia e voltava com a lingua no cuzinho dele ele gemia gostoso, sem nenhum pudor, Eliomar é um amante inveterado e puto como eu gosto na cama, depois de mais alguns minutos revezando entre as bolas e o cu dele, voltei a chupar a rola, só na cabeça, Léo se enfiou entre minhas pernas, eu arreganhei a bunda e ele salivava no meu cuzinho, passava a lingua lá dentro, forçando a entrada e eu fui ficando alucinada, depois pegou um gel e passou na minha bundinha, preparando para a foda gostosa, a cabeça da rola de Eliomar estava inchada de tanto tesão, então ele se levantou e disse: Já que é preciso, vamos ver como você geme tomando no cu Flavia, quero ver todo esse tesão acumulado dentro desse cu gostoso hem? Eu me ajoelhei na cama, como num ritual me preparando para a enrabada, fiquei de quatro e empinei a bundinha, Léo chupava meu cuzinho enquanto Eliomar agitava o pinto bem próximo, Léo ficou do meu lado e abriu minhas nádegas, então pediu para Eliomar depois que metesse a rola até o talo, subisse em cima de mim que eu agüentaria numa boa, porque ele ia assistir a foda por trás de nós para poder se deliciar com a rola do amigo entrando fundo no meu cuzinho! Eliomar pincelou a pica na entrada do meu cu, cuspiu no pau e eu estava ansiosa para a entrada da rola, que foi entrando mansamente, ele era carinhoso, foi empurrando e passou a cabeça, senti uma dor do caralho, mas não deixo o braço a torcer, eu adoro anal, gosto de dar a bunda e agüentei aquela dor inicial, apenas segurei nas pernas de Eliomar para ir devagar, ele acariciava minha bunda e aos poucos senti mais um pedaço de carne entrando no rabo, depois de mais algumas caricias ele empurrou com certa força a pica e senti suas bolas na minha buceta, a dor foi do caralho mas fiquei imóvel, ele acariciou bastante minha bunda e falava: Que cuzinho gostoso cadela, você vai se amarrar na minha pica, vou te dar uma surra de pau no cu que você vai ficar arregaçadinha, sua putinha sem vergonha! Aquelas palavras me deixavam mais excitada ainda, olhava para trás e via o meu corno safado se masturbando enquanto eu estava sendo possuída no cu, olhei para Eliomar e disse: Élio fode meu cu com força, arregaça mesmo e me faça gozar na sua vara que eu adoro tomar no cuzinho, me come como você fode uma vagabunda de zona, é para meter sem dó nem piedade! Ele fechou os olhos sentindo prazer nas minhas palavras, então esticou sem corpo em cima do meu, como um touro cobre uma vaca ele começou a se mexer, que delicia sentir aquela vara no cu, olhei rápido para Léo que se aproximou, ele adora ver uma rola comendo minha bunda, Eliomar começou a foder com mais força, porém sem ainda estocar com gosto, Léo levou a mão em minha buceta e acariciava meu clitóris, eu suspirei quando Eliomar começou a gostar do jogo, na primeira estocada mais firme a rola entrou até o talo no meu cu e ele exclamou: Toma vadia, toma no cu vagabunda, esse rabo de cadela vai ficar arregaçado, sua piranha do caralho!, a segunda estocada, a terceira, Eliomar começava a arregaçar meu cuzinho, e tapas na minha bunda e rola no fundo do cu, não agüentei e mostrei a piranha que eu era tomando no rabo: Isso caralho fode meu rabo, cacete, fode meu cu, arregaça caralho, mais forte, quero mais forte cacete! Eliomar foi perdendo a compostura, claro todo homem gosta de subjugar uma mulher e ele então entendeu que eu sou uma VAGABUNDA mesmo, esqueceu que era nosso amigo comum e parecia que tinha sido possuído, Eliomar passou a foder meu cu me chamando de cadela e arregaçando mesmo, estocadas fortes: Você quer com força no cu vadia, então toma, toma cadela, toma puta safada, toma no cu piranha, toma vadia, toma no rabo gostoso cadela safada, toma rola no cu vaca do caralho! Ele não parava de falar sacanagens e me xingar, metia como se mete numa buceta, a rola entrava firme no meu cu, senti aquele calor na espinha, ele foi subindo pela costela até a cabeça, parecia que meu sangue estava fervendo, Eliomar continuava a meter sem dó, enfiava a rola com força e falava sacanagens, eu estava prestes a gozar, quando senti as vistas escurecerem, minhas forças se esvaíram e eu perdi o equilíbrio, numa estocada forte de Eliomar eu deixei os seios tocar na cama já quase perdendo os sentidos, Eliomar vacilou um pouco e Léo gritou: Mete caralho, mete nessa puta, mete no cu dela que ela ta gozando caralho! Eliomar não se deu por vencido e mandou ver no meu cuzinho, eu cai deitada e ele enfiou o pinto até o talo, agora com seu peso em cima de mim, meteu com força me chamando de puta: Goza pelo cu vadia, goza vagabunda safada! Perdi os sentidos, e apertei a rola de Eliomar no cu, meu cuzinho moia a pica dele que não parava de se movimentar, ele me puxou pelas ancas e então falou: Não acabou não piranha, toma no rabo cadela, não é assim que você gosta, e continuou a meter no meu cu que logo afrouxou e deixou a vara entrar até o talo, quando senti a lingua de Léo na minha buceta, que delicia, geladinha, ele lambia minha xana enquanto o amigo fodia meu cu feito um touro, falando sacanagens Eliomar anunciou aos berros o seu gozo! Toma leite no cu cadela safada! Meteu na minha bunda e começou a urrar de tesão, surpreendentemente tirou a pica do meu cuzinho, e direcionou o pau para o rosto de Léo e encheu a cara do meu marido de porra quente: Toma corno, toma o leite que sua puta me enlouquece, toma leitinho corno! Os esguichos de porra não paravam de sair da rola de Eliomar, eu levei os dedos à buceta e gozei vendo o rostinho de Léo sendo gozado na minha frente, meu cuzinho ainda ardia de tesão e me joguei na cama quase desfalecida, Léo segurava as coxas de Eliomar e a pica do amigo ainda soltava pequenos jatos de porra, nesta mesma posição, na frente do pinto de Eliomar gozado, Léo se masturbando começou a gozar feito um cavalo, ele se punhetava e a porra do amigo escorria pelo seu rosto, eu atolada com os dedos na buceta não acreditava naquilo, caímos os três na cama sem forças, nem nos lavar fomos, adormecemos ali, moles de prazer e eu sabia que Léo estava realizado, há tempos ele desejava receber uns jatos de porra na cara e eu sabia disso, dormimos os três abraçados e perdemos a noção do tempo porque estávamos saciados de prazer, pela manhã acordei e o cheiro de sexo era intenso, acariciei os meninos e fui preparar um café gostoso, não sem antes tomar um bom banho para acordar para mais um dia, de sexo claro, porque não tínhamos a menor vontade de terminar aquela orgia e naquele dia foi muito sexo, durante o dia e durante a noite novamente, dei feito uma cadela de rua, era Eliomar e Léo se dividindo nos meus buracos, e porra na cara, rola no cu e muita sacanagem, hoje Eliomar bate cartão na minha bucetinha, Léo continua bebendo sua porra, só que sempre direto na minha xaninha, ou no meu cuzinho, Eliomar adora ver essa cena e sempre que pode fica para apreciar, mas a maioria das vezes ele me come e tem de ir embora, eu guardo o leitinho para o Léo se divertir, porque afinal de contas o meu Amorzão merece uma bucetinha esquentada pelo amigo! Vem lamber meu amor, vem, sua gatinha tem porra quentinha na buceta…ah…que tesão do caralho vê-lo lamber minha buceta gozada! Te amo Amor, seja sempre assim dedicado, isso lambe tudo meu corninho sem vergonha!

Referência do Anúncio ID: CT-000027573

Não há Tags

10247 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 111 Guests, 9 Bots