Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Esposa Safada e o Policial na Rodovia

  • Publicado em: 4 de dezembro de 2017 09:40
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Este conto é a continuação do conto, Esposa safada no posto de gasolina, onde eu narrei a primeira experiencia de exibicionismo da minha linda esposa vadia.
Somos do interior de São Paulo, ela 32 anos, morena, 1,75, pele branquinha, peitos durinhos e uma bundinha pequena, mas muito gostosa, de deixar qualquer marmanjo louco para come-la, eu tenho 37, cabelos pretos levemente grisalhos, 1,80, pele clara e olhos castanhos. Nossa cidade é muito quente, faz sol praticamente o ano todo, minha esposa aproveita para deixar o bronzeado em dia e se exibir na piscina do prédio, sempre com os biquínis fio dental que o maridão compra para ela.
Como escrevi no conto anterior, estávamos vindo de um exibicionismo maravilhoso onde minha gata havia se mostrado para pelo menos uns seis caras em um posto na margem da rodovia anhanguera. O tesão era tanto que nem aguentamos chegar em casa, na pista ela me pediu para parar tirou sua roupa e começamos a transar ali mesmo, esquecemos de tudo inclusive onde estávamos, os caminhões passavam dava luz alta e buzinavam quando de repente, encosta uma viatura, tomamos um susto enorme o policial desceu, um homem de meia idade forte e bem bonito, veio em nossa direção, fiquei na frete dela na tentativa de protegê-la, minhas mãos tentando tampar minhas partes mais íntimas, o vestido dela estava sobre o teto do carro próximo a porta do passageiro, ela tentou alcançar e nesta hora o policial que até agora não havia dito uma só palavra, diz com uma voz máscula e imponente.
—Nada disso mocinha, vai ficar assim do jeito que você está!
E ela responde com a voz tremula e assustada
–Sim senhor, eu só queria alcançar o meu vestido! Deixa eu me vestir por favor!
–Fiquem onde estão eu pego suas roupas.
Ficamos aliviados por alguns instantes, foi quando ele caminhou até o vestido pegou levantou e exclamou – Com esse vestido você saiu de casa mal-intencionada, também não estou vendo sua calcinha nem sutiã, parece que não estava usando né! Voltou para trás do carro no caminho pegou minhas roupas e jogou tudo dentro da viatura.
Tentei argumentar pedindo para ele devolver pelo menos a roupa da minha esposa que só estávamos realizando uma fantasia e que isso não iria se repetir, então e elevou a voz e em tom áspero me disse. Cala essa boca se não quiser parar atrás das grades. Vocês sabem que posso deter os dois não sabem?
Ele então retornou e pediu para virarmos e colocar as mãos em cima do carro, obedecemos prontamente sua ordem, nesta hora já havia perdido totalmente o controle da situação, só conseguia pensar na minha esposa que assustada já se derramava em lagrimas, segurei sua mão e disse, calma vai ficar tudo bem!
Ela estava totalmente nua de salto alto, virada de costas para o policial ele coloco a luz da lanterna que estava em sua mão iluminando a bundinha a da minha esposa e se aproximou dizendo sua mulher tem uma bela bunda e com essa marquinha fica ainda mais gostosa, meus amigos vão adorar ver esse monumento desfilando peladinha na delegacia.
Foi então que ela falou “Não Sr. Policial, não nos leva para a delegacia, não estávamos fazendo mal à ninguém, faço o que o Sr. quiser, mas libera a gente!”
Essas eram as palavras que ele estava esperando ouvir “Faço o que o senhor quiser”, ele então se aproximou encostou nela por trás e falou ao seu ouvido calma gatinha se fizer tudo do jeito que eu falar vai ficar tudo bem! Pegou ela pela cintura e sarrando sua bunda a conduziu para a viatura e me ordenou que eu o seguisse.
Quem conhece o interior de SP, sabe que a Rodovia Anhanguera fica rodeada de canaviais em um determinado momento ele entrou por uma estrada de terra em meio aos canaviais até chegarem em um rancho velho e bem aconchegante, fez ela descer e abrir uma porteira de madeira entrou com o carro e eu o segui, tinha um gramado com bastante arvores com uma casinha simples e toda avarandada com o Rio Pardo passando ao fundo, saímos dos carros ele encostou do meu lado e ficou admirando ela fechar a porteira e vir em nossa direção. Ela estava nua de salto alto caminhando pelo gramado sob a luz do luar que desenhava sua silhueta e destacava os belos seios durinho e empinados e sua bucetinha lisinha e rosada, ele admirado com a beleza da minha esposa sussurrou “essa gata merece uma rola de verdade”!
Ela chegou se apoiou em meu ombro com as duas mãos encostando seus seios no meu braço, empinando a bunda para o Policial e me disse, AMOR, ele não vai machucar a gente, achei estranho, ela estava bem mais calma e relaxada, percebi que algo havia acontecido dentro daquela viatura. Ela se aproximou do meu ouvido e disse “contei que você deseja ser um corninho bem mansinho, essa é a sua oportunidade relaxa e aproveita”, ele completou, “é isso mesmos, não queria ser corno então você vai ver como um homem com H maiúsculo pega uma gostosa como essa”.
Fiquei paralisado, não sabia o que fazer, ter a fantasia de ser corno é uma coisa mas aquela situação era real, a essa altura ele já acariciava o traseiro da safada que não oferecia resistência, ele pegou ela no colo levou para dentro da casa, colocou no sofá e começou a chupa-la eu só olhava era um misto de ciúme, raiva e tesão ela se contorcia toda esticava o corpo e jogava a cabeça para trás, parecia que estava vivendo intensamente aquele momento ela se esticava e com as mãos apertava a cabeça dele contra sua buceta, ele por sua vez chupava sua xaninha com maestria estava se deliciando com minha esposa que estava ali toda abertinha eu via pela primeira vez minha amada se entregar a outro homem de pernas abertas deitada no sofá com os joelho apontados para cima e um macho no meio dela a fazendo gemer de prazer. Os dois ficam nesta posição por um quinze minutos então ele se levantou ficou em pé na frente dela e não precisou nem falar nada, ela se ajoelhou na frente dele soltou seu sinto e desabotoou sua calça foi abaixando e até que pulasse em sua frente uma bela rola bem grossa e muito dura era um pouco maior que a minha que tem cerca de 18cm, . Ela ficou admirada segurou aquele mastro e seus dedos não se encontravam tentou chupar, mas mal cabia em sua boca, beijou a cabecinha e foi deslizando a língua até encontrar seu saco, aquela vara tomava todo o seu rosto e ela subia e descia percorria a rola toda com sua boquinha, ela adora chupar, beijava a cabeça e descia colocava as bolas em sua boca e agora quem gemia era o policial “como chupa essa sua vadia aiii, uuuuiii, hummm, hummm!!! Chupou até ele falar que iria gozar, então ela parou me olhou nos olhos sorriu e falou com uma voz manhosa, “está gostando né amorzinho” não podia nem disfarçar meu pau estava duro e eu estava louco de tesão, me aproximei querendo participar mas fui contido, “amor hoje eu sou toda dele você só vai olhar” e o Policial “senta ai chifrudo que vou fuder sua esposa na sua frente” Mais uma vez obedeci é claro!
O cara era o Macho Alfa, dominava toda a situação seu pau parecia que ia explodir, as veias saltavam, a pica pulsava, colocou minha mulher apoiada na mesa e a agarrou por trás beijou sua nuca e pegou nos seu peitos suspensos no ar a fazendo arrepiar, a safada não tinha nenhum pudor lançou suas mãos para trás na direção daquele pau que a roçava segurou e encaixou na porta da sua bucetinha e sussurrou dizendo “aaaiii me fode, me fode” começou o vai e vem, primeiro foi entrando bem devagar aquela visão era incrível a cabecinha sumia e aparecia novamente o cara parecia estar provocando deixando ela cada vez com mais vontade de ser possuída dava para notar o mel da minha putinha escorrendo entre as suas pernas ele dominava totalmente a cena e ficou assim até ela começar a gritar e implorar para ser fodida “socar até o talo socar forte, soca gostoso vai me come seu puto o cara então sentindo que ela estava ensopada de tesão e não oferecia mais nenhuma resistência deslizou de uma só vez até seu mastro bater lá no fundo,ficou parado por alguns segundos e começou o vai e vem, dava estocadas fortes e constantes comia minha gata com vontade, só se ouvia os gemidos, interrompidos pelo barulho do seus corpos batendo com força um no outro a sensação era que o tempo havia parado não sei nem por quanto tempo eles permaneceram nesta posição ela já havia sentido vários orgasmos mas ele não parava metia de forma vigorosa parecia não se cansar, até que anunciou seu gozo, diminuiu o ritmo e a segurou bem forte pela cintura e começou a despejara sua gala dento da minha mulher a porra começou a escorrer ela não aguentando mais e com as pernas bambas não aguentava mais se manter de pé, eu a segurei e coloquei em cima do sofá.
O safado ainda ostentava aquele caralho duro e melado de porra e o mel da minha amada esposa, foi pingando e amolecendo aos poucos enquanto ele caminhava até a geladeira para beber uma água gelada, na volta ele deitou ao lado dela e adormeceu fiquei olhando os dois dormindo a visão era surreal minha esposa estava deitada de conchinha com o cachorro que segundos atras a possuía, estava toda vermelha e inchada ainda escorria lentamente o liquido grosso que ele havia despejado em sua entranhas, fiquei imaginado como estavam cansados e satisfeitos depois daquela bela trepada.
Engano meu, ela acordou minutos depois já recuperada olhou para mim com cara de felicidade e ficou conversando baixinho contando o quanto tinha gostado, enquanto acariciava aquela tora, nosso agora amigo comedor acordou e percebeu que ela estava querendo mais, seu pau foi ficando duro novamente, ela sentou no colo dele e começou a beija-lo era o primeiro beijo, agora além de sexo eles trocavam caricias, foi um beijo ardente e prolongado ela tentou encaixar a pica em sua buceta mas ele falou que agora era no cuzinho ela negou no início falou que iria doer muito pois o seu pau era bem grosso e seu cuzinho quase virgem isso o deixou com ainda mais vontade deu um belo tapa em sua bunda ficando gravados os dedos deixando claro quem era o macho ali, ela então percebendo quem é que manda acabou cedendo, encaixou seu cuzinho na ponta daquele mastro começou a descer, descia devagar com pequenas pausas, ficou neste movimento até esconder toda a piroca do Policial, quando percebi, ela já estava subindo e descendo apoiava as palmas da mão no peito do comedor e cavalgava como uma vadia, nunca havia visto minha gata dar o rabinho com tanta vontade ele a virou e colocou de quatro no sofá seguiu dando fortes estocadas colocava tudo e tirava tudo novamente só para curtir sua vara invadir e rasgar minha putinha, ela me chamou, agarrou meu braço e me mordeu parecia estar buscando forças para aguentar aquela rola, ele fodia gostoso e dizia “ como é apertadinho o rabo da sua cadela, olha como ela está gostando vou dei xar esse rabinho bem arrombado para você seu corno” e gemia enquanto alargava seu cuzinho hhuuu, hhuuu, humm” puxei seu rosto e a beijei para mostrar todo meu apoio, neste momento ele tirou sua pica, mandou ela virar esporrou em sua boca e ordenou, agora corno beija sua esposa vadia!!! Não sei explicar, mas este beijo foi umas das sensações mais gostosa que senti…depois disso ele devolveu nossas roupas e nos liberou…

Grande beijo a todos e quem se interessar temos algumas fotos para serem enviadas, deixe seu comentário e dê a sua nota.

Contatos:
homemliberalrp@gmail.com ou Skype – homemlibealrp

Referência do Anúncio ID: 3135a24ac8dc12e4

Não há Tags

124 visualizações, 0 hoje

  

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 98 Guests, 25 Bots