Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Eu e minha cunhada (parte 2)

  • Publicado em: 17 de junho de 2018 05:23
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Após nossa primeira transa fui para meu quarto tomar um banho, não conseguia tirar Raissa de minha cabeça, seu cheiro, sua pele… tudo me deixava com muito tesão, mas precisava me controlar, todos estavam prestes a chegar.
A noite nos reunimos todos na área externa, bebemos, comemos e conversamos muito, nossa troca de olhares era constante, ela estava com uma calça de ginástica, muito colada, e fazia questão de fazer poses que me deixavam louco, exibindo sua bunda que era muito gostosa. Todos bebemos muito naquela noite, o marido de Raissa bebeu tanto que quase dormia sentado na mesa, ao perceber que ele poderia cair ela o chamou para irem se deitar, isso me deixou um pouco triste, pois queria tela por perto, logo minha esposa também me chamou para irmos nos deitar, fiquei ajeitando algumas coisas e logo fui para a cama, chegando em meu quarto, estava com muito tesão, mas para minha tristeza, minha esposa estava desmaiada, ela não costuma beber muito, então, sua resistência é baixa. Não ia conseguir dormir daquele jeito, meu pau estava duro de tesão, sai do quarto decidido a ir até um pequeno quarto com duas camas de casal e bater uma punheta para dar uma aliviada, como sou precavido sempre tenho alguns vídeos pornôs em meu celular, entrei no quarto, fechei a porta, abaixei minha calça, me deitei na cama, e comecei a bater uma, meu pau estava todo molhado, assistia o vídeo e batia uma. De repente a porta do quarto se abriu, dei um salto da cama, tentando levantar minha calça, mas já era tarde, alguém tinha me flagrado, como estava um pouco escuro, não consegui identificar rapidamente quem estava no quarto, apenas quando aquela deliciosa voz, me disse:
– Continua o que estava fazendo! Quero ver você tocando uma.
Pude perceber que era Raissa, fiquei aliviado e um pouco sem jeito, no celular ainda passava o vídeo, minhas calças abaixadas e meu pau duro indicavam o que eu estava fazendo. Mas ela safadinha como é, terminou de tirar minhas calças, ascendeu um abajur para ficar mais claro, me empurrou para a cama e insistiu que eu continuasse o que estava fazendo. Atendendo a seu pedido, continuei me masturbando, ela foi até a cama ao lado, pude ver que ela tinha trocado de roupa, estava com um shortinho bem curto e uma camisetinha de alça, ela sentou na beirada da cama, puxou o shortinho um pouco para o lado na bucetinha e começou a tocar uma siririca me observando, ela tirou um mamilo para fora e começou a acariciar o biquinho. Ficamos ali, um observando ao outro e se satisfazendo por alguns minutos, até que ela se levantou, tirou seu short, e sentou em minha boca, segurando na cabeceira da cama ela se abaixou e coloco sua bucetinha em minha boca, eu chupava e continuava alisando meu pau, ela gemia bem baixinho, pois nossos dois parceiros e seu filho estavam dormindo nos outros quartos, sua buceta estava arreganhada na minha cara, e com seus movimentos era possível também passar língua em seu cusinho, que dava leves contraídas quando minha língua o encontrava. Coloquei minhas mão em sua nádegas, abri bem, e direcionei minha boca para sua bundinha, enfiava minha língua com força para tentar penetrar aquele cusinho fechadinho, e ela demonstrava que estava adorando.

– Vai! chupa meu cusinho! enfia sua língua! Aí que delícia!!!!

Voltei a concentrar em sua bucetinha e logo ela gozou, senti escorrer um líquido quentinho e delicioso, chupei tudo, até ela se levantar e me dar um delicioso beijo. Pra minha surpresa ela foi até me ouvido e perguntou:

– Quer experimentar meu rabinho?
– Quero! logo respondi
– Meu marido nunca tentou comer meu rabinho, vai devagar, faz tempo que não faço isso… ela disse

Ela se deitou na cama, coloquei suas pernas em meus ombros bem abertas, ela estava muito molhadinha, enfiei um dedinho bem devagar, só pra ela relaxar, ela mordiscou seu lábio e deu um gemidinho de tesão.

– Aí! Que gostoso! Vai fuder meu rabinho com cuidado?
– Pode deixar, vou fuder bem devagar, quando quiser eu paro.

Ela estava com tanto tesão, que eu já estava com dois dedos atolados em se rabinho e ela rebolava. Coloquei meu pau na porta daquela raba deliciosa, fui enfiando a cabeça bem devagar, pude sentir quando toda a cabeça passou, ela deu uma sussurrada:

-Aí!!! Vai arrombar meu cusinho, vai!

Fui empurrando devagarzinho e olhando para seu rostinho, uma mistura de muito tesão com um pouquinho de dor, quando terminou de entrar tudo, fiquei um tempo parado para ela se acostumar, quando comecei o vai e vem, aquela feição de dor já havia sumido, agora era somente tesão. Meu pau enterrado naquele cusinho apertado e quente, uma delícia, enterrava tudo e tirava até a cabeça, a cada estocada um gemidinho, ficamos nesta posição até que ela me pediu:

– Me come de quatro! Fode meu cusinho de quatro!
– Claro! respondi

Me levantei, ela já se virou e empinou aquela raba maravilhosa, deixando aquele cusinho rosado à mostra, não resisti e cai de boca novamente, deixando ele ainda mais molhadinho, coloquei a cabeça na porta de sua bundinha e ela se jogou para trás de tesão, fiquei apreciando meu pau entrando e saindo daquela bundinha, ela pedindo mais:

– Me fode! Me fode!

Segurei ela pela cintura e comecei a estocar mais forte, meu pau tocava fundo na sua bunda, às vezes eu tirava tudo para ver seu cusinho piscando, pedindo pica.

– Onde quer que eu goze? perguntei
– Dentro do meu cú! Enche ele de porra! ela respondeu

Não aguentando mais comecei a gozar, sentia meu pau inchar e soltar jatos de porra dentro de sua bundinha, ela rebolava e se contorcia, ficamos ali engatados alguns minutos, quando comecei a tirar meu pau de dentro dela, podia sentir minha porra escorrendo por suas pernas.
Caímos exaustos na cama, como a cama era de solteiro, ficamos bem abraçadinhos por alguns momentos, conversando, até nossos batimentos normalizarem.
Ela me disse que gostaria que às vezes repetíssemos isso, porque tinha muita confiança em mim, e que não conseguiria repetir isso com outra pessoa, eu por minha vez disse a ela que aquilo que tinha acontecido, mexeu muito comigo e que a atração que eu sentia por ela a tempos agora estava ainda maior…

Referência do Anúncio ID: 6725b043dc7caaf7

Não há Tags

375 visualizações, 0 hoje

  

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Informações deste Autor

  • Autor: eduerotic
  • Membro desde: 11 de outubro de 2016

Contos publicados por eduerotic

Últimos itens anúnciados por eduerotic »

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: rrock, Homem com Pegada, 59 Guests, 23 Bots