Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Flaguei minha mãe e seu amante na cama de meu pai.

  • Publicado em: 18 de dezembro de 2017 07:52
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Flaguei minha mãe e seu amante na cama de meu pai.
( Autor:ronnyrs )

Flaguei minha mãe e seu amante na cama de meu pai.

Escrito por mim hoje, dia 08 de março de 2011.

Bom antes de começar este relato ,quero advertir que não procurem encontrar neste texto um conto erótico que vá exitá-los ao ponto de baterem muitas punhetas e sirirícas , até gozarem ; mas sim uma triste história : a triste realidade da minha vida .

Desculpem se me alonguei demais no texto ,mas precisava escrever da maneira mais fiel possível a este relato, ou melhor a maneira mais fiel aos meus sentimentos. Me desculpem também algum eventual erro de português ,pois não sou escritor.

Meu nome é Ronaldo (verdadeiro) tenho 21 anos ,sou um rapaz normal,( Não vou também descrever o tamanho do meu pau ,como é rotineiro ,pois nunca peguei uma fita métrica ou uma trena para medir ele ,e também não vem ao caso, já que ele não é o autor principal deste meu relato( relato sim e não conto já que tudo o que descrevo neste texto é verdadeiro,queria que não fosse,mas infelizmente é) trabalho como bancário ( serviço conquistado a base de muitas horas de estudo ) e curso faculdade de Direito a noite.

Sempre fui um rapaz muito responsável e independente ,que achava que tinha uma família maravilhosa ,típica família feliz. ( Todos nós achamos ,até que um dia)

Vou descreve-los.

Minha mãe ( se é que dá para chamá-la assim ) é uma mulher de 44 anos ,loira natural,cabelos longos ,olhos verdes ,muito bem cuidada a base de cremes e academia. O que também não vem ao caso ,já que seu caráter é zero. Seu nome é Vânia ( verdadeiro). Trabalha como gerente de departamento de uma grande loja aqui em Porto Alegre.

Meu Pai tem 46 anos trabalha como advogado em um consultório próprio onde tem um sócio chamado Paulo Henrique ( verdadeiro) , tenho uma irmãzinha de 10 anos ,que amo demais . Meu pai Carlos e minha irmã Carla ( fictícios ,pois quis preservá-los ,no decorrer da história entenderão do porque).

Minha história ou melhor o meu drama começa aqui: exatamente novembro de 2010 ou seja a exatos 4 meses , longos 4 meses atráz.

Sou de uma família de um bom padrão de vida. tipo classe média, não somos ricos , mas temos um bom padrão de vida ( o que hoje penso que não significa absolutamente nada) moro ,melhor dizendo morava em uma casa de dois pisos ,com algum conforto conquistado a muitos anos de trabalho por meu pai,uma pessoa fantástica , ,bom marido e modelo de um grande pai .Sempre fez todas as vontades de minha mãe e até de nós dois seus filhos.

O relacionamento de meus pais sempre foram para mim e minha irmãzinha. um motivo de grande orgulho, pois nunca vi casal mais feliz ,mais amigos e que convivessem tão bem como marido e mulher,ao ponto de meu pai sempre levar minha mãe para jantar fora, e nas datas comemorativas tipo dia das mães . era café na cama para ela ,fora os presentes e flores.

Quanto a sexo , não posso falar muito pois nunca me envolvi na intimidade deles ,mas sabem como é né? Morando na mesma casa , acabamos sempre escutando algo ou ouvindo alguma coisa(gemidos e tudo mais ,muito discretos ,mas sempre ouvia algo .),enfim dava para perceber que se davam muito bem na cama.

Geralmente nos finais de semana nossa casa sempre foi cheia de pessoas ,churrasquinho de Domingo,banho de piscina e aquelas cervejinhas,músicas ,coisas de família . Paulo, sócio de meu pai ,em um escritório de advocacia sempre se fazia presente , pois além de trabalharem juntos eram grandes amigos de longa data, três anos mais novo que meu pai, tem 43 anos.

Corria sempre tudo bem , até que em um destes churrascos fui até a cozinha pegar algumas cervejas para o pessoal e encontro minha mãe na cozinha com Paulo , um pouco próximos próximos demais para meu gosto ,não estavam abraçados ou coisa alguma, talvez até estivessem antes de eu entrar ,não sei ,mas ao ouvirem passos em direção a cozinha tenham disfarçado , só não deu tempo de se afastarem muito mas sei lá ,na hora achei um pouco estranho certa intimidade entre os dois ,mas,como jamais pensei qualquer coisa de mal a respeito de minha mãe não me liguei muito no fato . Peguei as cervejas e voltei para a área da piscina aonde todos estavam, logo chegou Paulo e minutos depois minha mãe.

O final de Domingo transcorreu tudo normalmente .

Duas semanas se passaram , minha mãe estava de férias do emprego. Sai do banho me arrumando para ir ao trabalho,como faço rotineiramente . e Sempre saio de casa depois de meus pais (horário bancário), Carla minha irmanzinha, estuda pela manhã,geralmente meu pai leva ela até a escola ,antes de seguir para o escritório. A tarde ela fica com uma moça que meus pais pagam para cuidar dela e da casa até a nossa chegada. Como minha mãe estava deitada ,antes de sair vou até seu quarto perguntar alguma coisa que nem me lembro agora o que era e ela estava ao telefone celular Falando ,escutei ao entrar: tá bom minha paixão,meu tesão ,combinado ,quando me viu entrando ,falou rapidamente depois te ligo e desligou o celular. Oi Ronny (assim que sou chamado em casa) já saiu do banho? Deixa então eu ir tomar meu banho então .Desconfiei de sua atitude ,porque ela ficou meia sem jeito por estar falando com meu pai no celular? ( Santa ingenuidade minha né? ) e assim que ela entrou no banho , não sei porque ,mas não me contive ,curiosidade talvez , fui até a mesinha de cabeceira de sua cama,peguei seu celular e comecei a olhar as chamadas recebidas ,a última chamada não era de meu pai e sim do Paulo. Bem como várias chamadas ,em horários que nem eu ou meu pai estávamos perto. Pensei: a troco de que? Ai a ficha começou a cair ,mas sempre com a esperança de que fosse só imaginação da minha cabeça ,mas só Deus sabe a sensação que me deu naquele exato momento, tremia muito , me deu um aperto enorme no peito, respirei fundo, deixei o celular no lugar e sai para o trabalho. Confesso que não conseguia concentração alguma , pois os pensamentos martelavam minha cabeça. Ai sim me veio a mente aquela situação na cozinha no final de semana flagrada por mim somado a este telefonema. Não pode ser , não minha mãe. ( Achamos que desgraça só acontecem na família dos outros ,jamais acontecerá na nossa , até que um dia ) . Faltando mais ou menos uma hora para o término do meu expediente, pedi ao gerente,meu chefe , para ir para casa ,pois não me sentia muito bem . Sempre chego em casa em torno de 17: 30 , embora tenha carro ,vou de ônibus para o serviço ,pois a agência em que trabalho ,fica no centro perto de casa, em torno de 20 minutos no máximo ,chegando em casa , tomo um banho,lancho alguma coisa e ai sim pego meu carro para ir para a faculdade , que fica um pouco distante. Ao chegar a pé avisto de longe o carro do Paulo estacionado em frente a nossa casa, logo pensei: Não eles não teriam coragem , não na nossa casa , ainda mais com minha irmãzinha lá . Abri o portão lateral, como tenho uma cópia das chaves de casa , entro pela porta da frente .

Sei o que vocês devem estar imaginando o que vi , mas ainda não foi aquele dia que flagrei os dois em alguma situação mais picante e comprometedora. Talvez se tivesse a sorte de ter chegado alguns minutos antes .

Encontrei sim minha mãe sentada vestida com um robe de pelúcia branco e com os cabelos molhados , evidente , acabara de sair do banho e ao seu lado no outro sofá o Paulo , sem o casaco do paletó, vestido normal e com a gravata apenas em volta do pescoço. Detalhe: Com os cabelos também molhados.

Minha mãe ,ao me ver entrando ficou um pouco surpresa , oi Ronny já em casa a esta hora? chegou mais cedo hoje?aconteceu alguma coisa ? Olha aqui o Paulo estava visitando um cliente aqui perto e deu uma passadinha para ver como estávamos.

Ele levantou me estendendo a mão e falando com um sorriso e ai cara, como vai ? no qual lógico, deixei ele de mão estendida e apenas acenei com a cabeça, e logo perguntando a minha mãe, num tom bem seco: cadê a Carla? No que ela me respondeu meio grilada com minha atitude ,ou surpresa , sei lá : Pedi para a Cleuza( a menina que cuida da casa e da minha irmã) levá-la ao shopping e que me ligasse assim que viessem embora que as pegaria lá (bastante conveniente né?).

Subi para meu quarto , tirei a roupa e fui para o banho , já que mais tarde iria a faculdade.

Quando estava me vestindo , minha mãe bate a porta e entra perguntando se eu estava bem . pois nem cumprimentei o Paulo direito ,no que só respondi nada , só estou um pouco indisposto e um pouco mal humorado. Apenas isto . Sou uma pessoa dócil e tranqüila ,mas quando fico mal humorado , me isolo e gosto de ficar quieto , e minha mãe sabe disto .

Ela: é por isto que chegou mais cedo em casa? Quando for assim me liga, pois não custa nada eu pegar o carro e ir te buscar, já que estou em férias.

Pensei novamente, e mais conviniente para a senhora né? Assim se escapa de algum flagra. Amigos, aquele dia sai para a faculdade , mas nem cheguei a entrar ,fui para um barzinho , bebi duas dose de wisky duplo assim no seco, remoendo tudo o que me tinha acontecido naquele dia. ( Não era wisky caro e sim daqueles bem vagabundo mesmo, pois no outro dia sentiria na cabeça a prova disto.

Voltei para casa no mesmo horário tipo 23:40 e meus pais já haviam se recolhido para o quarto, bem como minha maninha que sempre teima em me esperar acordada ,,coisa que nunca acontece já que o sono sempre vence ela.

Fui para meu quarto deitar e fiquei em silencio pensando ,ouvindo alguns gemidos contidos no quarto de meus pais ,coisa natural para mim, já que era freqüente.

Que noite terrível , mal dormida , fora a ressaca, acreditava que era o pior dia e a pior noite da minha vida. Pretensão minha , pois Deus me reservaria dia ou melhor dias muito piores do que este.

Continua :

Bom continuando os dias foram passando, assim como a alegria que sentia antes também. Procurei fazer de tudo para disfarçar e não dar bandeira de que alguma coisa de errada estava se passando , brincava com minha irmãzinha e conversava com meu pai, de uma forma até mais carinhosa com os dois, já com minha mãe era diferente , conversava normal ,mas com um misto de dúvidas e incertezas, não sei descrever, mas algo havia se rompido dentro de mim com relação a ela.

Depois daquele dia que entrei no seu quarto pegando ela ao celular , ela começou a trancar a porta por dentro, de manhã cedo, coisa que nunca havia feito, sabia que ela estava ao celular,mas não conseguia escutar coisa alguma nitidamente , já que ela quase falava baixo . e também não tinha muito tempo de pegar algo,bjá que meus dias eram e são muito corridos.

Não foram poucas vezes que rezei muito a Deus chorando em silêncio , pedindo a ele que me fizesse ver ,que me desse um sinal de que eu estava enganado( no fundo eu queria me enganar) ,de que isto não estava acontecendo com minha família.

Pois Deus atendeu as minhas orações ,não da Forma como eu esperava ,mas de uma maneira bem mais cruel.

Dizem que Deus não permite que seus filhos fiquem cegos da verdade,não é mesmo? Não acreditava muito nisto ,mas ele me colocou a verdade diante de meus olhos através da Carla,minha irmãzinha,minha princesinha inocente.

Chegando como sempre do trabalho, minha mãe estava no quarto e minha irmãzinha estava na sala vendo TV e começamos a conversar e perguntando sobre a escola dela e seu dia a dia , Carla me falou toda sorridente : Amanhã eu vou passar a tarde inteira no shopping e assistir um filme ( Não me lembro qual,mas era um filme para crianças,como ela) E perguntei é mesmo maninha a mãe vai te levar? No que Carla respondeu não ela pediu para a Cleuza me levar e podemos passar a tarde toda lá que depois a Cleuza liga para ela nos buscar.

Somado isto com o fato a noite depois de eu ter chegado da faculdade e estando na cozinha, ouvia a conversa de meus pais que se encontravam na sala. Meu pai perguntou a minha mãe , o que vai fazer amanhã amor? No que ela respondeu nada vou ficar em casa e a tarde talvez leve a Carlinha para dar uma volta até o shopping. Mal sabia ela que Carlinha já havia me dito com quem iria.

Fui para meu quarto e comecei a pensar e pensar e resolvi faltar ao trabalho aquele dia, teria que inventar uma desculpa para meu chefe no outro dia.

Para todos os efeitos acordei normalmente no outro dia ,tomei meu café com minha mãe e falei: Mãe estou indo para o trabalho ,mas hoje vou de carro ,pois não venho em casa ,vou direto para a faculdade ,pois quero chegar mais cedo para estudar para meu tcc.

Tudo bem Filho e sai.

Pensei comigo mesmo ,bom se vai acontecer o que estou desconfiado que aconteça ,certamente será a tarde já que a Cleuza deve estar arrumando a casa e somente a tarde levará a Carlinha ao shopping. Como vou matar todo este tempo até lá? Bom vou ao centro dar algumas voltas e perto das duas horas da tarde estaciono meu carro afastado de casa em algum lugar estratégico. É isto que fiz ,minto tentei fazer mas não consegui ficar nem uma hora no centro, Passei em uma loja de conveniências desta de postos de gasolina,comprei alguns salgados , três latas de cerveja e uma garrafa de vinho,junto com um maço de cigarros ,já que sou fumante.além de um jornal.

Como a rua da minha casa é rua de mão única ,e bastante arborizada ,procurei estacionar meu carro ( Que não é nenhum carro chamativo,mas sim comum , um Gol branco 2008 ,presente de meu pai ,quando passei no vestibular ) o mais longe possível ,mas que me desse uma boa visão de algum carro estacionar na frente de minha casa.

Bom isto eram mais ou menos 10 : 00 da manhã. Imaginem meu sofrimento ter de ficar nem sei quanto tempo a espreita dentro daquele carro, mas hoje se acontecesse o que eu estava imaginando eu flagaria . bebi a primeira lata de cerveja, a segunda lata que já estava meio quente e a terceira nem preciso falar se tivesse uma cuia de chimarrão com certeza não precisaria de água fervendo. Meu maço de cigarros durou duas horas e meia. Tal era minha angústia ,minha ansiedade,e meu nervosismo. Os salgados nem consegui comer ,tive que sair para buscar outro maço de cigarros, sai de ré ,pois não podia passar em frente a minha casa, ( Pensei: que merda de detetive eu sou,se dependesse desta profissão para sobreviver certamente morreria de fome)voltei e só me restava a garrafa de vinho. Droga como vou abrir isto se nem abridor tenho? Um estilete que carregava no meu material ajudou a resolver o problema do lacre em volta , a rolha empurrei para dentro da garrafa com o dedo e um pouco de força, minto, muita força , lógico a ponta da caneta do meu material de estudos também ajudou ( kit de detetive amador ) . Li e reli aquele bendito jornal. acredito ter decorado cada texto,cada palavra daquele companheiro de tédio , bunda de homem já é quadrada por natureza, imaginem a minha como estava naquele momento por horas sentada naquele banco. Tá chega, parem de ficar pensando na minha bunda e continuemos com meu relato . Com o efeito do vinho acabei cochilando alguns minutos .

12: 15 minha irmãzinha chega do colégio junto com Cleuza.

Aproximadamente 13: 50 vejo ela e Cleuza saírem num táxi ,chamado por minha mãe.

Mais ou menos meia hora depois ,minha espera ,minha agonia estava chegando ao fim, digo a agonia da espera ,pois minha verdadeira agonia perdura até hoje. Pelo meu retrovisor ao qual olhava de minuto em minuto avisto aquela ecosport vermelha ,tão esperada por mim, chegando por traz a alguns metros do meu carro, ao qual instintivamente me abaixei , até que estacionasse na frente de minha casa.

Vi o pilantra descendo do carro , abrindo o portãozinho do lado e sendo recebido na porta da frente pela então minha querida e honesta mãe.

Não preciso descrever o que senti neste momento né? Embora por mim já era esperado.

A vontade que deu foi sair do carro correndo e entrar portão e porta adentro armando o maior escândalo,mas minha razão falou mais alto ,espera dá alguns minutos e dei : mais meia hora de total angustia,acredito que esta meia hora demorou a passar mais do que as mais de quatro horas que fiquei na espera.

Por fim desci do carro , caminhei aquela meia quadra ( que mais pareciam kilômetros)que me separavam do portão de minha casa empurrei com cuidado o portãozinho, que o idiota só deixou encostado,nem se deu ao trabalho de fechar. Não poderia entrar pela porta da frente como entro sempre ,pois eles poderiam estarem na sala , entrei pelo lado que dá acesso a garagem e a área da piscina , tem uma porta ao fundo da casa que vai dar na área de serviço, logo passando vem a cozinha, nossa sala tem dois ambientes ,o primeiro perto da cozinha é a copa e separado por um arco vem o outro ambiente ,a sala aonde fica os sofás ,TV etc.

Coloquei a chave com cuidado na porta , já que como disse carrego minha cópia das chaves de todas as portas ,portões e garagem. Não precisei girar a chave já que a porta estava destrancada , normalmente ela fica destrancada apenas encostada ou até mesmo aberta de dia , já que dá acesso para a piscina , mas no estado que estava nem me lembrei deste pequeno detalhe. Entrei procurando fazer o mínimo de barulho possível, tirei meus sapatos e só de meias fui caminhando feito um gato pronto a morder o rabo do cachorro , usando meus ouvidos, que até aquele instante só escutavam o barulho de meu coração palpitando e minhas pernas tremerem. De vagar cheguei até o primeiro ambiente pelo canto das paredes , parei mas não ouvi som algum, espiei para a sala e nada vazia.

Voltei ao segundo ambiente aonde fica a escada que dá acesso aos quartos , e o banheiro principal ,subindo vagarosamente aqueles degraus ,e a medida que mais próximo chegava do ultimo lance da escada ,ai sim comecei a escutar vozes ou melhor sussuros e gemidos que vinham misturados a uma baixa música de rádio, vindo do quarto de meus pais. ( antena 1 ,era a rádio sintonizada ,uma rádio de músicas românticas) lembro me bem ,pois hoje eu odeio esta rádio não suporto nem ouvir falar dela.

Cheguei meio com medo perto da porta que estava somente a metade encostada , a claridade vindo pelas cortinas que são leves , da janela do quarto ,que na realidade não é uma janela ,mas sim uma porta com vitro que dá para uma sacada .

Prendi a respiração e fui espiando para o interior do quarto ,escutando aquela maldita música misturada aos sussuros e gemidos de minha mãe e de seu amante.

Nunca vou esquecer o quadro que vi. Minha mãe de quatro ,nua com aquele desgraçado por traz dela, entre gemidos e frases ,isto meu amor assim, e ele como tá bom aqui gostosa na cama do corninho. (, e nem me perguntem se ele estava colocando no cú ou na boceta dela porque na hora nem me importava aonde e sim o próprio ato em si que era o mais importante, fiquei completamente cego de raiva, me perdoem se não vou entrar em maiores detalhes por que a cada vez que me lembro desta cena ,choro muito,como agora , descrevendo para vcs

Já perceberam que algumas vezes descrevo algumas situações de uma maneira mais engraçada( não sei se esta é a palavra certa,já que minha história não é nada engraçada),mas é somente para não entediar vcs leitores com meu relato,sei que vcs entram em sites de contos eróticos para se divertirem e não para lerem o problemas dos outros, mas foi esta a maneira que encontrei de desabafar um pouco.

Detalhe : engraçado como nos contos que leio a primeira reação descrita do marido que flagra sua mulher com outro, ou o filho que pega sua mãe dando para alguém , é ficar excitados , tirar o pau para fora e ficar minutos em delirantes punhetas , se masturbando enquanto espiam aquelas cenas eróticas, proporcionada por uma inesperada situação . Em alguns contos só falta o marido traído pedir perdão para o Ricardão e a mulher ( Ai me lembra a história do mineirinho que ao es piar sua mulher o traindo com o Alcides ,seu melhor amigo ,ao ver sua mulher tirando o sutiãn e aparecer os peitos caído, ao tirar a calcinha e ver sua bunda cheia de celulites ,coloca as duas mãos no rosto e comenta: Ai meu deus como minha mulher tá um bagulho que vergonha do Arcides ) tão rindo ? ainda vou ler isto num destes contos ,pois no que leio as suas mulheres são sempre verdadeiras deusas .Meus amigos , a realidade é bem mais dura e bem mais cruel . Ai é que se percebe a diferença entre a ficção romantica e fantasiosa para a pura e cruel realidade dos fatos ,e eu percebi, desculpem mas comigo aconteceu a ultima opção, a última coisa da qual eu me lembrava naquele momento é de que eu tinha um pau , quantos centimetros ele media se 20, 30 ou algo assim ,se fosse medir naquele exato momento acredito que não chegaria nem a 1 cm , tal era a minha angustia , raiva ,aflição . A única coisa que subia em meu corpo naquele momento era a raiva, o ódio tremendo que eu estava sentindo ,a vontade de invadir aquele quarto e encher aqueles dois de porrada, me lembrar de pegar câmera ,filmar ou coisa parecida nem pensar , pois a ultima coisa de que tinha pretensão e vontade naquele momento era de ser cineasta de filme pornô . E nunca senti tesão ou desejo de transar com minha mãe, mãe é mãe ,mãe para mim é sagrado, senão respeitarmos nossos pais ,vamos ter respeito por quem?

Não consegui ficar olhando aquela cena por mais de trinta segundos acredito eu, trinta segundos que pareciam eternidades. Só me lembro de tomar uma pequena distancia e dar um chute dos mais violentos naquela porta, que já estava meio aberta , já que eles estavam seguros de que jamais chegaria alguém naquele momento ,Talvez pelo efeito das cervejas e da garrafa de vinho tinto totalmente quente , que havia bebido , pelo ódio sentido ,me esqueci que estava descalço ,apenas de meias ,mas meu dedão do pé não esqueceu , Fratura ,mas na hora não senti qualquer dor ,minto , um pouquinho mas a dor interna era maior . No outro dia já com o pé frio sentiria as conseqüências deste meu ato ,daquele chute naquela porta dura, pelo menos estava ai a desculpa para meu chefe, por ter faltado ao serviço.

Cinco dias de molho.

Quanto aos dois só me lembro deles saltarem da cama e da minha mãe gritando AIIIIIIIIIIIIIIIII MEU DEUS e caindo aos prantos num choro alto e gritado, pois ao contrário do meu primeiro pensamento de sair enchendo aquele canalha de porrada , corri para meu quarto batendo a porta com tamanha violência ,que chegou a quebrar um pequeno pedaço da parede junto ao marco da porta,devia ter chutado era a bunda branca daquele filho da puta ,até o dedão do pé ou o pé todo entrar no rabo branco daquele safado, certamente meu dedão ficaria ainda mais desgostoso comigo , pois além de quebrado, não ficaria nem um pouco cheiroso ,talvez aquele filho da puta desgraçado até acabasse gostando, mas não daria este gostinho para ele ( Não sei se vcs perceberam estou brincando ,que é para não chorar , e nao entendiar vocês mais ainda , amigos leitores)

Estava tão cego de raiva que dentro do meu quarto dava urros de raiva socando a porta do meu roupeiro não consegui escutar nitidamente nada do que eles falavam em tom apavorados.

Mais ou menos passaram-se uns quatro minutos até que minha mãe aos prantos adentrasse em meu quarto vestida com um Robe. Filho ,filho escuta pelo amor de Deus vamos conversar ,deixa eu explicar ,agarrando em meu braço , quando num ato de impulso a empurrei contra o roupeiro e na segunda envestida dela em tocar novamente em meu braço , joguei –a com toda força em cima da minha cama , gritando cade aquele desgraçado vou matar ele, ela chorando muito dizendo ele já foi , ele já foi .Sai correndo do quarto escada abaixo indo até a cozinha ,peguei uma faca e fui até a porta da frente da minha casa que a esta altura estava escancarada para tráz , já que o covarde já tinha se mandado. Acredito que todo safado comedor da mulher ou mãe dos outros já tenham uma certa experiência em se vestir e fugir rápido , pois até hoje nunca tive notícias de amantes flagrados saírem correndo pela rua pelados. O único caso que me lembro aqui no sul é de um marido que flagrou sua esposa na cama com outro pegou uma arma e colou a mão da esposa no pau do amante com super bonder e largou os dois pelados no centro da cidade,foi o maior escândalo . foram parar no hospital para desgrudarem.

Bom , continuando ,( talvez não esfaqueasse ele,pois não sou bandido ou assassino, a maioria das pessoas traídas também não são , não é mesmo ,mas a raiva, misturada a uma grande quantidade de álcool ,destroem uma família inteira.

Graças a Deus que ele já tinha se mandado ,pois Deus me livrou de cometer uma grande merda ,e que só pioraria mais a situação, inclusive a minha. ( Pois a última coisa de que precisava naquele momento era passar a vida atráz das grades sendo objeto de desejo sexual de algum maníaco tatuado ) Embora ele merecia ser fatiado com uma faca e de preferência com estas faquinhas de serrinha de cortar pão e sem fio e melhor ainda se estivesse enferrujada pois se não morresse pelos cortes , morreria de tétano.

Atirei a faca em cima do sofá e corri escada a cima novamente em direção ao meu quarto, ( esta cena se repetiu várias vezes)aonde a minha mãe ainda jogada na cama chorando compulsivamente ,soluçando muito.

Entrei gritando . COMO TU PODE FAZER ISTO COM A GENTE DESGRAÇADA , VAGABUNDA SEM VERGONHA , NA NOSSA PRÓPRIA CASA , NA CASA QUE MEU PAI MANDOU CONSTRUIR COM O MAIOR CARINHO PARA NÓS ,PARA TI O INFELIZ. TÚ NÃO VALE NADA SEM VERGONHA DESGRAÇADA , EU TE ODEIO . e mais várias coisa que nem me lembro no momento .

Novamente sai do quarto desci aquelas escadas fui até a sala peguei uma garrafa de wisky do meu pai e bebi uns goles no bico mesmo, minha adrenalina estava a mil andava de um lado para o outro ,sem rumo ,sem saber o que fazer , o que falar ,bebi mais uns goles e voltei novamente ao quarto.

Meus amigos tamanho era meu ódio , misturado ao que já havia bebido , nem me lembro quantas vezes subi e desci aquelas escadas da sala para meu quarto , pois entre um gole de bebida e um cigarro, me lembrava de coisas que devia falar mais e subia ao meu quarto de novo ,aonde minha( mãe) deitada na cama só chorava ,sem pronunciar uma única palavra., falar o que né?

Outras sequências de chingamentos da qual me lembro ter dito ,ou algo parecido:

SÓ VOU TE DIZER UMA COISA; SÓ NÃO VOU CONTAR PRO PAI PORQUE NÃO SEI QUAL VAI SER A REAÇÃO DELE OU ELE VAI MORRER DE DESGOSTO OU ENTÃO VAI MATAR VOCÊ E AQUELE DESGRAÇADO,E AI SIM ATRAGÉDIA VAI SER PIOR ,POIS QUEM VAI SOFRER MAIS É A CARLINHA. A QUAL TU EM NENHUM MOMENTO PENSOU. TU NÂO È MÂE , TU NÃO É ESPOSA ,TU NÃO É NADA ,TU É UM MONSTRO , QUE NÃO TEVE UM PINGO DE CONSIDERAÇÃO PELA TUA FAMÍLIA QUE SEMPRE TE AMOU MUITO .

SÓ TEM UMA COISA , A PARTIR DE HOJE ESQUECE QUE SOU TEU FILHO ,POIS PARA MIM TU MORREU DESGRAÇADA, TU NÃO É MÃE ,TU NÃO RESPEITOU NEM O TETO QUE TUA PRÓPRIA FILHA MORA, TU NÃO RESPEITOU A INOCENCIA DA TUA PRÓPRIA FILHA QUE É UMA CRIANÇA MANDAVA A MENINA SAIR PARA SHOPPING SÓ PARA TRAZER PARA DENTRO DE CASA TEU AMANTE VAGABUNDA. TU NÃO RESPEITOU TUA FAMÍLIA , MEU PAI SE MATANDO DE TRABALHAR PARA TE DAR TODO O CONFORTO E TU ME FAZ UMA COISA DESTA. A ÚNICA COISA QUE SINTO DE TI É NOJO. E TEM MAIS UMA COISA SE EU PEGAR ESTE DESGRAÇADO AQUI DENTRO DE CASA ESTANDO MEU PAI EM CASA OU NÃO EU JURO QUE NÃO RESPONDO POR MIM VOU FAZER UMA GRANDE MERDA .TE JURO POR TUDO QUANTO É MAIS SAGRADO .

Bom resumindo :

Peguei um tênis que estava perto do guarda roupas ,coloquei nos pés com muita dificuldade ( só ai conforme foi baixando a adrenalina é que o dedão do pé começou a começar a reclamar . Sai de casa em direção ao meu carro que havia deixado a meia quadra de casa, nem banho tomei. Dirigi sem rumo entrei em alguns barzinhos e bebi .( Coisa que raramente faço em excesso ,mas neste dia,neste maldito dia tomei tudo a que tinha e não tinha direito ) Voltei para casa no mesmo horário de sempre e encontrei meu pai na sala assistindo TV com seu copo de wisky na mão , que ele toma para relaxar quando chega do serviço, minha maninha dormia no colo dele. Sentei no sofá ,fiquei olhando para eles por alguns instantes , e falei Pai? O que foi Ronny? só queria dizer que te amo muito e esta princesinha dormindo ai no seu colo também.

Ele me olhou daquele jeito sereno que só ele tem e disse também te amo filho , por algum acaso tu andou bebendo né? Ao qual respondi: apenas tomei umas cervejinha a mais com os amigos,acho que exagerei um pouco .

Ele: vai tomar um banho , comer alguma coisa e vai deitar e não deixa tua mãe te ver assim, neste estado ,pois quando cheguei ela estava chorando se queixando que estava com muita dor de cabeça ,inclusive quis levá-la ao médico,mas ela não quis. Pensei : Deve ser a dor da consciência pesando ,se é que ela tem consciência.

Bom não preciso falar como foi a convivência com aquela que um dia tive como mãe , meu natal e ano novo foram os mais tristes da minha vida .Isto perdurou durante um mês , um longo mês ,para minha sorte passava o dia mais fora do que em casa por causa do trabalho e da faculdade. Foi muito difícil tentar fazer com que meu pai e minha maninha não percebessem nada . vocês não tem idéia do conflito interno que senti , sentia e sinto até hoje.

Passado um mês , duramente consegui convencer meu pai de que queria morar sozinho ,a desculpa que arrumei foi de querer ter meu próprio canto , minha privacidade, minha independencia .custou muito , mas ele acabou aceitando >concordou ,com duas condições, que eu continuasse sendo uma pessoa responsável nos estudos , na faculdade( paga religiosamente por ele ),pois quando me formar quer me ver trabalhando com ele e o Paulo no escritório de advocacia( coisa que só eu sei que nunca vai acontecer ,que o sonho dele é totalmente impossível, mas até lá , inventarei alguma desculpa ,para não magoá-lo, não decepcioná-lo )

Aluguei um apartamentinho, simples, mas aconchegante , qualquer lugar para mim hoje é mais aconchegante do que a casa de meus. Meu aluguel também é pago por meu pai ,ficando comigo o resto das despesas como ,alimentação , luz, água etc. esta foi a segunda condição dele. Fui embora de casa sobre o choro compulsivo da minha maninha , da minha princesinha agarrada ao meu pescoço , pois é, ,só eu sei o quanto eu chorava por dentro o quanto eu estava destruído .o que significava estar deixando em definitivo aquele que por 21 anos de minha vida foi o meu lar ,aonde eu passei os momentos mais felizes de minha vida ,que não chegaria mais em casa todos dias com o lindo sorriso e o abraço gostoso da minha princesinha ,que agora me abraçava,mais chorando mas tive que fazer isto ,fiz por amor a ela e meu pai ,para não vê-la chorando por coisas piores ,como o meu pai saindo preso algemado de pois de cometer uma loucura ou coisa do tipo , Um dia ela vai entender que este choro pela minha saída, foi o melhor presente de natal que eu poderia oferecer a ela naquele momento ,talvez o único , Que Deus me perdoe , para não vela ficar órfã de mãe ou pai, ( pois não sei o que se passa na cabeça de uma pessoa quando descobre uma traição, pois cada pessoa reage de uma maneira , nao é mesmo ,como disse antes basta alguns minutos de desespero e desequilíbrio,um ato impensado,um simples impulso , para que pessoas de bem se transformem em grandes assassinos e cometam um ato de loucura de que vão se arrepender para o resto de suas vidas . ou acebem até mesmo tirando as suas próprias vidas ,outros simplesmente deixam para lá e simplesmente seguem em frente ou se separam e recomeçam novas vidas . repito cada pessoa reage de uma maneira . Não quis arriscar (Não quero nem pensar mais nisto ).

Bom se contiuasse morando lá não sei até quando iria conseguir esconder, Sustentar isto enquanto estivesse naquela casa, que um dia foi para mim ,meu lar,meu tão feliz lar,talvez num momento de discussão de raiva com minha mãe falaria algo que viesse a tona tudo e meu pai escutasse,sei lá . Bom hoje passado alguns meses tento levar minha vida normal , se é que um dia ela voltará a ser normal,tento meter a cara no trabalho e nos estudos para não ficar remoendo muito isto , rompi até com minha namorada que um dia fiz planos em casar. Imaginava em meus pais o modelo de família que queria constituir . Minha mãe era para mim a referencia de esposa ,mãe , amiga ,companheira . Hoje não acredito mais em casamento e nem em mulher fiel, desculpem posso estar generalizando ,talvez exista sim mulheres honestas ,verdadeiras e a elas eu pesso o meu sincero perdão por este meu comentário ,mas ainda estou muito confuso ,desacreditado , não quero ter de passar pelo que meu pai passa ou passou e o pior ,sem perceber a verdade ,ou ver meus futuros filhos passarem por que eu venho passando ( Talvez seja melhor assim ou não? Sinceramente não sei , viver enganado ? iludido? Se me pai fosse um péssimo marido , um péssimo pai ,que inferniza a vida de sua esposa e filhos eu até entenderia ,não aceitaria e nem justificaria a traição, pois acredito que a separação nestes casos é o melhor caminho a ser seguido .) Acredito que jamais casarei ou irei namorar a sério ,o futuro a Deus pertence, Talvez ele me reserve algo melhor,não sei.

Visito minha irmãzinha e meu pai as vezes ,em alguns fins de semanas, Quanto aquela que um dia foi minha mãe , quando me vê ,me abraça e depois vai para dentro de casa chorando,fala para meu pai que é saudades , ( dever ser consciência pesada ). Não sinto nada por ela ,somente um grande vazio ,desprezo ,repulsa, sei lá,mas quando da minha visita, procuro manter as aparências ,só eu sei o desconforto que isto me causa.

A propósito do canalha covarde e filho da puta do Paulo, nunca mais apareceu nos fins de semana lá em casa ,mas continua a trabalhar como sócio do meu pai, ( claro a vagabunda deve ter ligado para ele naquele mesmo dia ,relatando que eu não falaria nada para meu pai, já que ela tinha um trunfo, o o grande amor que tenho por minha maninha ) acredito que em casa minha mãe ( mãe ,risos) não deve termais se encontrado com ele , até mesmo porque ela voltou a trabalhar, talvez devam estarem se encontrando em algum motel de luxo de Porto Alegre. Ou não, realmente não sei.

Bom , peço desculpas a todos os leitores se minha história não foi excitante e sim longa e chata, afoi acredito eu mais um desabafo . Mas final feliz só existem mesmo em contos fictícios. A minha história não teve um final feliz ,como leio na maioria dos contos ,talvez porque é apenas o triste relato dos verdadeiros fatos . A realidade sem fantasias do que realmente aconteceu comigo.

Só mais uma coisinha , sou totalmente contra a traição , pois acredito que seje o ato mais covarde , mais baixo e definitivamente mais egoísta que um ser humano possa cometer , praticar ,pois a pessoa que trai só pensa em si próprio , nas sua próprias necessidades e nos seus próprios desejos , passando por cima dos sentimentos alheios ,pior de pessoas que muitas vezes o amam demais , ate hoje me pergunto: Será que uma aventura ou uma eventual transa compensa a destruição de uma família ? Será que um amante ou uma amante estaria ao seu lado nos momentos ruins, estaria com você para o que desse e viesse? Duvido muito , Já notaram que as pessoas no momento de traição sempre tentam de uma humilhar ou ofender o marido ou a mulher ,chamando de corno, corno manso , o trouxa ou algo do tipo, penso que inconcientemente é uma forma de transferirem para o outro aquilo que inconscientemente pensam a respeito de si próprio, vou xingá-lo ou humilhá-lo para não ter que sentir a respeito de mim mesmo. Bom , não sou psicólogo e nem tenho a intenção de um dia se-lo,já tenho que pensar em ser um advogado,o que neste momento já é muito para minha cabeça . e também não estou aqui para julgar ninguém ,apenas expressar minha humilde opinião , A única coisa que sempre que leio nos contos passo a refletir é : ( Se traírem ao menos respeitem o lar em que moram, seus filhos , maridos ou esposas , pois também é o lar deles , talves para muitos é a ´unica coisa que possuem tanto de patrimônio, bem como de sagrado. Deus me deu a sorte de ter condições financeiras para arrumar outro lugar para morar , mas nem todos tem as mesmas condições.

Um simples lençol ou roupa de cama trocados não irá mudar a situação.

Muitas vezes pensamos que coisas assim só acontecem com os outros , mas quando percebemos passamos de simples leitores a personagem principal das histórias mais tristes que acontecem ,no dia a dia e na maioria das vezes sem ao menos termos procurado por isto, mas somos vitímas dos atos impensados de outras pessoas .

Bom vou encerrando por aqui minha triste história . mas infelizmente é a história da minha vida e de tantas outras pessoas por este mundo afora e tenho que conviver com ela.

Se alguém quizer me escrever comentando este meu relato ou criticando , sei lá , para mim será um grande prazer .prometo responder a todos na medida do possível e do meu tempo.

Meu nome é Ronaldo , mas podem me chamar de Ronny

Meu e-mail :demarchirs@bol.com.br

Um grande abraço a todos ,que Deus sempre ilumine a vida de todos vocês , lhes dando proteção e sabedoria no seu dia a dia.

Fiquem com Deus . e descupe alguma coisa.

Ronny

Flaguei minha mãe e seu amante na cama de meu pai.
Autor: ronnyrs
Categoria: Heterossexual
Data: 22/03/2011 00:43:46
Nota 7.85
Assuntos: Heterossexual

http://www.casadoscontos.com.br/texto/201103567

Referência do Anúncio ID: 2615a28ac45f1247

920 visualizações, 0 hoje

  

Uma Comentário para “Flaguei minha mãe e seu amante na cama de meu pai.”

  1. Nossa, até Jesus perdoou a prostituta e você não pode perdoar sua mãe????
    Você é um ser de luz que não comete erros?
    No mais por ser espaço de contos eróticos não achei legal ver esse drama todo aqui. Tudo de bom pra você.

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 82 Guests, 32 Bots