Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Fui explorado pelo Coronel e mamae

  • Publicado em: 30 de maio de 2006 10:52
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Depois do que aconteceu na beira do rio entre eu minha mae seu Geraldo e meu pai, ele deu uma afastada lá de casa, ficou uns 07 meses sem pintar por lá, percebi que minha mãe sentiu falta, perguntava para o meu pai se tinha noticias dele ela estava preocupada pois ele ia muito lá em casa e teria sumido, percebia que ela sentia sua falta, em uma sexta feira ele aprece no fim da tarde lá em casa, minha mãe ficou toda saliente pro lado dele, fazendo perguntas, foi ate durona com ele, falando que não tinha que sumir daquele jeito não, mas ele disse que teve que ir para capital se tratar, pois estava muito mal, mas que já estava voltando de novo, e estava morrendo de saudades daquele cheiro de fazenda, e olhou minha mãe de cima para baixo, todinha.

Meu pai foi chegando e eles começaram a conversar, seu Geraldo disse que veio convidar eles para um churrasco para comemorar sua volta, pois se recuperou muito rápido, e escapou se da morte, minha mãe ficou toda feliz mas meu pai disse que não teria como agente ir pois tinha que sair para ajudar um fazendeiro a buscar o gado em uma outra fazenda, ele tinha comprado umas reis e não daria conta de trazê-las sozinho, ficou parado um pouco e disse se eu e minha mãe quisesse ir poderia, e perguntou quem vai nesta comemoração, ele ficou calado e disse meu amigos e vizinhos da região que eu considero muito, meu pai ficou todo feliz, agradeceu mas se lamentou do fato de não poder ir lá, mas em tom de brincadeira disse para cuidar da gente lá e não deixar eu tomar nenhuma bebida, ele disse que isso não iria acontecer e que teria muitas menininhas para me entertir lá, e se despediu e foi embora. Meu pai veio conversar com agente na sala, falando que teria que dormir fora este final de semana, eu tinha que cuidar das plantações pois a fazenda que ele ia buscar o gado era muito longe, mas que minha mãe não precisaria se preocupar que na segunda feira estaria de volta, e quando foi de manha saiu bem cedo, quando acordo ele não esta mais lá, entrou no quarto ela de calçola, chego perto pego ela e começamos a beijar, logo damos uma bem gostosa, desta vez no rabinho dela de novo, mas ela não gritou apenas gemia e rebolava, logo gozamos juntos, e eu me vesti e sai para aguar as plantas.

Quando volto para casa vejo que seu Geraldo já esta lá, e minha mãe já estava se arrumando para a gente ir com ele, veio buscar ela para ajudar a temperar a carne, e a fazer o arroz, arrumamos e pegamos o cavalo e fomos, eu na garupa de mamãe e ele em outro cavalo, depois de uns 50 minutos chegamos em sua casa, sai de dentro de sua casa o sr Ricardo um coroa bem cuidado com 65 anos, pele clara, lisa, parecido com ele mas não era queimado de sol era mais branquinho, peludo, cavanhaque bem feito, mas tinha uma barriguinha, e era todo grisalho, pernas grossas, estava de bermuda e camisa, poderia ver os pelos saindo pelo botão de sua camisa ele era bem conservado, usava um perfume cheiroso, se apresentou como sendo o irmão mais velho do sr Geraldo era ele que tinha vindo com sr. Geraldo Goiânia e ia ficar uns dias em sua casa, começamos a conversar e ele trouxe uma cerveja e começamos a beber, ele colocou no meu copo para os dois e minha mãe também, primeira vez que vejo ela bebendo, e ligou o som do seu carro que tinha um ótimo som, fiquei impressionado com o volume e os equipamentos do carro, o seu Geraldo puxou minha mãe para dançar e começaram a se esfregar no ritmo do forro, ele ficou conversando comigo e tomando cerveja, logo minha mãe já ficou de fogo e seu Geraldo começou a tirar casquinha dela,, tirou seu sutien, fazendo seus seios ficarem balançando enquanto eles dançavam e bebiam, minha mãe estava molhada de suor de tanto pular, foi na bica lavar o rosto deixou espirrar água no seu corpo mostrando o bico rosado dos seus seios, o sr. Geraldo puxou ela para dançar, ele já estava só de calça jeans e ficou amassando ela, pegava nos seus seios e apertava, o seu Ricardo estava ficando doido, quando pararam de dançar eles vieram e o sr. Geraldo disse que ele devia um grande favor ao irmão, pois tinha ajudado ele muito, e ele devia um favor e podia pedir o que ele quisesse , quer aquela bezerra ali? E apontou para o curral na beira da casa, ele disse que não mas, queria muito ver os seios de minha mãe, ela não escutou então seu Geraldo puxou ela e disse que o irmão dele queria ver ela peladinha, era uma vontade dele, depois de ter salvo sua vida, por ele dava uma bezerra mas o velho queria aquilo, o que ele deveria fazer????? Vem aqui e me ajuda, ela disse para sr. Geraldo e o velho ficou por traz dela levantando a blusa dela mostrando os seios para o seu irmão, ele parecia ficar doido, disse que era lindo, quando foi pegar seu Geraldo não deixou, isso quem faz sou eu e começou a mamar minha mãe na frente dele, abaixando sua saia e chupando sua perereca, quando passa a língua no seu cuzinho vê ele todo vermelho e pergunta o porque daquilo, ela fica sem jeito olha para mim e diz foi ele, que fez isso, ele me olha com uma cara de bravo, me pega pelo braço e me leva para atrás da casa, e me da uma bronca danada, e fala que vai se vingar de mim por isso, alias ela também vai se ver com ele, e me leva para lá e chama o irmão dele para dentro de casa e os dois começam a conversar, logo voltam e ele pega minha mãe para dançar, ela já estava pelada, ele fica de cueca e começa a dar um amasso nos dois, e pergunta se nos dois iríamos ficar so olhando eles dançarem, fico quieto mas o velho me chama para dançar com ele, um sertanejo lento, fico sem jeito mas levanto e vou, ele me abraça ficando coladinho em mim, e começa e se esfregar em mim, fico sem jeito mas ele era maior e mais forte do que eu, me segura fácil, sinto que ele esta de pau duro e sem cueca pois sentia ele apontando próximo ao meu umbigo, a cada minuto que passava ele ficava mais assanhadinho e me puxava para mais próximo dele, passava minha mão nos seus ombros, colocando minha mão no seu peito peludo e pedia para que eu alisasse, ele tinha muito pelo, todos grisalhos, era ate gostoso sentir aquilo, era macio, e ele usava um perfume muito cheiroso, quanto mais ele suava mais cheirava, depois de um tempo ele me pergunta se eu já tinha pego em um pau, disse que so no meu, ele então puxa o elástico da bermuda e quando olho para baixo vejo o pau dele apontando por debaixo de sua barria, quer pegar???? Falo que não, ele coloca ele para fora, e fica insistindo, e pega minha mão e passa nele, era muito quente e grosso, não era grande não, maior que o meu um pouco, mas era grosso e bem vermelho, cabeçudo, e faz eu ficar masturbando ele, com isso tira minha bermuda também, e pega na minha bunda, apertando, sinto o cheiro do pau dele exalar perto de mim, confesso que nunca tinha sentido aquilo, a não ser o cheiro da perereca de minha mãe, fala que quer me chupar, então sento no banco pensando que ele ia chupar minha rola, que já estava dura, mas ele levanta minha perna e começa a chupar por debaixo do meu saco, ate que encosta no meu cuzinho, passava a barba aquilo me dava arrepios, chupou por muito tempo ate deixar ele limpinho, então se levantou e falou que queria que eu mamasse no seu pau, ele ia me ensinar, pegou no seu pau e foi mostrando onde eu deveria passar a língua, e não podia passar nunca os dentes, somente a língua nele, e a boca masçia e molha, e veio trazendo ele para perto de mim, tinha o cheiro forte, era salgado, mas gostoso, comecei a mamar como ele pedia, logo percebi que ele estava ficando doido, virando o olho, retorcendo, logo segurou minha cabeça empurrando ele todo para dentro, quando estava com ele quase todo na boca ele deu um berro e gozou na minha garganta, muito leite e grosso, foi escorrendo pelo canto de minha boca, passando pelo meu pescoço, ele sorriu e quando olho minha mãe esta me olhando e mamando o Geraldo também, ele se levantou e me puxou para dançar me abraçando, dizendo que eu era um menino muito bom, e que ele iria me ensinar a dirigir, mas antes ele queria fazer comigo o que eu tinha feito com a minha mãe, e me abraçou e disse que não iria doer nada, me puxando para o banco, me deitou no banco de traz do carro abriu as minha pernas deu uma guspida na porta do meu cuzinho e veio empurrando, quando entrou a cabeça, de um grito tentando sair, então ele tirou e me deu um beijo na testa e saímos do carro de novo, voltamos para junto de minha mãe, então eles se juntaram e dissera que tudo que o seu Geraldo fizesse com minha mãe o irmão dele também iria fazer comigo, seu Geraldo olhou para mamãe e perguntou se ela topava, ela disse que sim. Seu Geraldo disse que queria que ela mamasse no seu pau, eu também tive que mamar no irmao também, depois te um tempo ele disse que queria fazer com ela o que eu fiz de manha, ela ficou sem jeito mas pediu ele para ir com cala, ele foi enterrando tudo nela, ela berrava, chorava muito mais do que aquele dia na beira do rio, fiquei vendo aquilo, e quando olho o tio me apontado a rola e fala abre as pernas filhote que vou enterra minha geba em vc, e coloca ela com força, urrei tentando sair, mas ele tinha um corpo muito grande e forte, me cobria todinho, me bombava com força e logo, foi lubrificando e parando mais a dor ate que gozou, quando tirou saiu com a cabeça suja de sangue, o seu gerando tirou ate bosta da bunda de minha mãe, caiu exautos os dois no chão, oi sr ficou por cima de mim, deitado, quando ele se animou de novo, me pos no carro e me levou para fora da sede da fazenda, me contou da vida dele, era coronel do exercito aposentado, e morria de vontade de pegar um garotinho assim como eu, era casado mas tinha curiosidade de comer um homem novinho, eu perguntei o que ele tinha achado, ele disse que era muito gostoso e queria outra vez, parou o carro desceu, sentou em uma pedra e disse que era para eu sentar por cima dele, pegou um produto e passou no pau, tipo um óleo, quando sentei deslizou, fácil e sem doer, ele me levantava e soltava, foi um vai e vem gostoso ate que gozou de novo, mas agora dentro do meu cuzinho, foi uma loucura…disse a ele que ele era muito gosto, era o primeiro pau que eu experimentava… ai fomos para dentro de casa e pegamos minha mãe e ele nos deixou em casa……

Referência do Anúncio ID: CT-000029891

Não há Tags

7069 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Informações deste Autor

  • Autor: cirqueira
  • Membro desde: 16 de maio de 2006

Contos publicados por cirqueira

Últimos itens anúnciados por cirqueira »

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: isabellaexb, 225 Guests, 19 Bots