Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Gozando Dentro!

  • Publicado em: 5 de março de 2007 00:19
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Na segunda fomos para a chácara da família do Léo, programinha social sem muita emoção, mas que não podíamos deixar de ir, apesar de que eu estava com um fogo em todas as minhas entranhas, mas como terça era feriado, certamente à noite iríamos nos divertir bastante, procurei esquecer meus desejos durante o dia, para ver se as horas passavam mais depressa…

Fim de tarde, caminho de casa, passamos na frente de Moteis deliciosos, aquilo só me fazia ficar mais acesa, o Léo pouco falou no trajeto de volta, chegando no Rio, perguntou-me se queria uma noite no Swing, meus olhos brilharam na hora, aquele era o dia, sempre que vamos ao Swing, sem ser no Sitio, sempre escolhemos pessoas desconhecidas, pessoas que nunca transamos e vamos para uma suíte, onde entrego meu corpo para marmanjos usarem e abusarem, para meu prazer e do meu Maridão que sempre aprecia tudo bem de perto

Ansiosa e com fogo pelos poros, concordei com a putaria no swing e Léo rumou para nossa casa, cheguei e fui direto para um banho gostoso e demorado, em seguida uma hidratação no meu corpinho, para ficar cheirosa, cremosa e macia para um sexo ardente, Surpreendentemente Léo não veio me fazer companhia, ele adora me aprontar para essas festas, adora passar creme pelo meu corpo e dizer como quer que eu faça na hora da orgia, isso me deixa alucinada e já fico toda molhada

Já estava pronta, com meu corpo cheiroso e macio, fui então escolher uma roupa sensual e provocante, sem ser vulgar é claro, quando a porta do quarto se abriu e meu Maridão entrou com um sorriso latente, veio em minha direção e abraçou meu corpo ainda nu, me deu um beijo na boca e perguntou se eu estava a fim de uma noite de prazer ininterrupto, me livrei de sua boca e ele pegou nos bicos dos meus seios, me deixando na ponta dos pés, apenas gemi que sssiimmm!

Ele tirou uma venda do bolso e disse que então não precisava me preocupar, pois já estava vestida para o sexo, ele me queria nua e vendada, em seguida disse que eu não poderia tirar a venda de forma alguma e que nossa brincadeira seria ali no quarto mesmo, minha buceta quase ejaculou, pois fiquei muito excitada, já perdendo a visão do quarto, a venda foi colocada bem firme, confortável, mas sem possibilidade de ver coisas alguma.

Em Seguida ele me levou para a cama e atou minhas mãos uma na outra e prendeu num gancho que temos na cabeceira da cama, eu estava vendada e atada, inteiramente nua, em nosso quarto, em seguida ele me deu um beijo e sussurrou em meus ouvido;

Gata, quero que goze sem pudor esta noite, relaxa e deixe o prazer tomar conta do seu corpinho

Saiu do quarto e me deixou sozinha, pelada e excitada ali em nossa cama, minutos intermináveis e um silêncio que me levava quase à loucura, e também me deixava cada vez mais excitada, os bicos dos meus seios pareciam querer saltar dos meus mamilos e eu louca para ser tocada e fodida com força, e o tempo passando, sem nada acontecer…

De repente sinto o toque de uma mão em meu rosto, me acaricia o queixo e leva um dos dedos à minha boca, lambi e o dedo foi penetrando minha boca, acariciando meus lábios, simulei uma chupada, senti outra mão tocar um dos meus seios, do outro lado, acariciou somente com a ponta dos dedos e brincou com meu mamilo, cheguei me contorcer toda de prazer, tentava buscar o corpo de quem enfiava os dedos na minha boca, mas era em vão, continuei a chupar os dedos simulando uma chupada na rola

Um dedo me tocou o meio dos seios e foi descendo lentamente pela minha barriga, senti tesão e cócegas ao mesmo tempo, sorri e senti uma língua na minha boca, ávida e sedenta, por mais que tentasse identificar quem poderia estar me tocando não fazia a mínima idéia, ele me tocavam apenas com os dedos e com a língua, o cara que me beijava, sugava minha língua, chupava ela com desejo e tesão, minha buceta estava toda molhada e então senti o dedo que desceu pela minha barriga tocar meus pelinhos pubianos, joguei o corpo para frente de forma instintiva e gemi gostoso, em quanto era tocada superficialmente, se a intenção era me enlouquecer de prazer, eles estavam conseguindo, os toques eram leves, e apenas me aguçavam, me excitava, mas não me possuíam, apenas me provocavam…

Minha língua continuava a ser sugada, que delicia, percebia que eram três homens me tocando, o fato de não poder ver, me deixava ainda mais alucinada, uma língua em um dos bicos dos meus seios, uma chupada gostosa, agora sentia duas línguas um par de dedos me acariciando a buceta sem me penetrar, eu gemia e arfava de prazer, de repente eles me largaram, senti que a luz do quarto diminuiu, acho que ficou à meia luz e ouvi a voz do meu marido bem perto de mim;

Esta molhadinha, minha delicia?

Balbuciei que sim

Esta noite quero testar, o quanto você pode gozar

Eu estava com o batimento cardíaco a 1000 e muito excitada, senti então um dedo na minha barriga e subindo, de repente uma mão na minha bunda e alguém me pegou pelo pescoço, me segurou e me beijou, penetrando minha boca com a língua, quente, bem quente e gostosa, abri a boca para receber meu amante e senti um dedo penetrando minha buceta, meu corpo se retesou e outra mão apertava os bicos dos meus seios o beijo era ardente e incessante, os dedos que me penetravam a buceta se alternavam com meu clitóris e lês começaram a aumentar o ritmo das caricias, meu corpo foi se retesando eu me livrei do beijo para respirar e gemer alto, precipitando o gozo, de súbito tiraram as mãos e a língua do meu corpo, quase enlouqueci;

Não! Por favor não! Continuem por favor…

Um silêncio sepulcral tomou conta do quarto

Eu me contorcia toda, acesa, nua e excitada, meus poros ouriçados e meus músculos pareciam que iam se desprender do meu corpo, eu estava extremamente excitada, meus lábios vaginais tremiam de tesão

O silêncio me machucava e me maltratava, mas também me fazia ficar mais excitada ao saber que estava sendo observada

Alguém sentou-se ao meu lado e me abraçou, levou uma mão nos meus bicos de novo, já estavam duros e tesos que até doíam, com o dedo indicador e o polegar, ele afinava como se afinava um violão, me contorci toda, mas não podia fazer nada, estava totalmente atada, meus seios e meu corpo estava a disposição daqueles homens, outra mão no outro bico e apertava, eu gemia e já estava quase chorando quando ele passou a mamar em meus seios, de forma lânguida, chupava e sugava os bicos, eu estava muito sensível e pedia para parar, mas ele continuava e continuava, eu me contorcendo e ele passou a apenas lamber, sentia meus sucos escorrerem pelas minhas coxas

Meu amante se distanciou e outro se aproximou, brincando com os dedos entre minhas coxas, abri as pernas para facilitar, ele dedilhava e não tocava minha buceta, aquilo estava me levando à loucura, senti os dedos dele abrir minha buceta, puxando minha pele para o lado ele deixou os lábios abertos, uma língua quente passou a me lamber devagar, eu jogava o corpo para frente em busca do contato, mas ele permanecia superficial…

Por favor, eu não agüento mais, me fodam com força

Alguém segurava os lábios da minha buceta e outra pessoa me lambia com suavidade, aquilo me levava ao desespero

Ouvi então a voz do meu Marido dizendo;

Vou mudar a posição da sua atadura, para que fique de quatro na cama, não mexa na sua venda

Fiquei na posição que ele desejava, exposta e pronta para ser penetrada, alguém deitou-se no meios das minhas pernas, abriu elas um pouco mais e se alojou entre minhas coxas, alguém colocou um travesseiro e então senti uma língua me lamber com mais determinação, uma mão voltou a acariciar meus seios e apertar meus bicos e eu gemi alto

Uma língua ávida me tocou o cu, só o anel do cu e concentrou ali, não resisti e abri mais as pernas, as línguas cessaram e eu joguei meu corpo de encontro ao rosto que estava entre minhas pernas

Vocês querem me enlouquecer? Puta que Pariu, Quero Rola agora

Meu corpo estava queimando de desejo, eu precisava gozar, senti nova carga de linguadas em minhas entranhas, buceta e cu levando chicotadas de língua, que delicia eu me remexia e me preparava para gozar em silêncio, pois sabia que eles não me deixariam gozar rápido, antes que pudesse entrar no clímax, paravam novamente, eu me remexia e rebolava de todas as formas tentando o contato com o corpo deles, mas eles desviavam e apenas me acariciavam a bunda, as costas e o rosto

Estava entregue e totalmente dominada, eles poderiam fazer o que quisessem de mim, porque estava totalmente dominada pelo desejo e pelo tesão, meu corpo tremia e pedia por sexo, sexo ardente…

Após um pequeno intervalo, o suficiente para meu corpo relaxar, eles sabiam como me levar à loucura, senti novamente língua nas minhas coxas, na parte interna, alguém novamente se instalava para me chupar a buceta, outra língua no cu e novamente meu corpo dominado, senti um toque diferente no meu rosto, virei-me e ansiosa senti o toque de uma rola dura, me tocando, se oferecendo para minha boca…

Deixei que entrasse lentamente e passei a lamber a cabeça e o cabresto, senti um gemido mais forte, mas ainda assim não podia saber de quem era aquele mastro, gostoso, suguei a cabeça e um pouco do liquido seminal, degustei com prazer e quando abria a boca para gemer de prazer devido as línguas insinuantes que chicoteavam meu cu e minha buceta, aquela rola se instalava dentro da minha boquinha, deixei eles me possuírem do jeito que queriam

Quem estava me lambendo o cu, passou a me lamber as costas, senti um arrepio enorme, perdi o gosto da pica na boca, mas senti a cabeça do falo se posicionar na entrada da minha buceta, a língua que estava na minha xana foi subindo pela minha barriga em direção aos seios, um estocada gostoso, profunda, a rola grossa, bem grossa, abriu caminho fácil porque estava encharcada e muito excitada, recuou um pouquinho e socou de novo com força, senti uma mão nas minhas mãos, era o Léo, ele sabia que eu não suportaria três picadas daquela e na terceira, gemi alto, em quanto a rola tocava meu útero eu gozava, os bicos dos meus seios eram chupados com gosto por alguém e meu Marido solidário apertava minhas mãos curtindo meu gozo insano

Quem metia na minha buceta, sabia o que estava fazendo, metidas compassadas, meu corpo tremia em espasmos, eu gozava pelos poros, me arreganhava toda e ficava totalmente a mercê das línguas e da rola, metidas cadenciadas que logo cessaram, um movimento rápido, outra rola entrou na minha buceta, ávida, estocadas mais rápidas e ritmadas, eu estava cansada, mas meu corpo havia relaxado com o gozo, e o pinto batia forte na minha bucetinha, meu marido ainda segurava minhas mãos, ele adora me segurar as mãos em quanto levo rola, essa cumplicidade me deixa alucinada e logo estava na transa de novo, curtindo as pirocadas dentro da minha buceta, por um instante de lucidez, percebi pelo calor da pele que quem me comia a buceta, fazia sem camisinha, então era alguém do nosso convívio, quando estava pegando gosto novamente pelas estocadas, a pica saiu e outra rola entrou, esta mais grossa e com estocadas mais fortes, que faziam meu corpo balançar, reconheci a língua do meu Marido me possuindo num beijo e já me preparava para o segundo gozo, mais algumas roladas e outra pica passava a me foder, eles iam se revezando, cadenciando e tomando cuidado para eu não gozar, alguém ainda tocava meus seios, que pela sensibilidade estava pegando fogo e dolorido

Novamente senti alguém se aconchegando entre minhas coxas e me lambendo a parte interna, ao mesmo tempo senti uma lambida no cu, um toque de dedo lubrificando, naturalmente meu organismo reagiu contraindo o cuzinho, sabia que ia tomar no cu, meu corpo se retesou, porque não conseguia gozar de novo, quando senti a cabeça roçando meu anel, Léo segurou forte minha mão e disse;

Vou lá para trás meu Amor, quero apreciar seu cuzinho guloso, dê o cu, feito uma vagabunda de zona que você é

Léo não havia terminado a frase quando aquela rola começava a me possuir o cu, eu relaxei o Maximo possível e me contorci toda, aqueles dedos apertando meus seios estava me levando ao limite da loucura, quando soltei um urro enorme, a rola entrou numa estocada só, até o talo, meu cuzinho estava sufocado e ele me segurou pelas ancas e mexia a rola para fazer ela entrar tudo o que ele podia enfiar, claro que chorei, doeu pra caralho, mas eu gosto muito disso, pedi para que parassem com o toque nas minhas tetas e relaxei o Maximo possível

A rola começou a sair da minha bundinha e entrou de novo, começou a sair e entrou de novo, de repente uma estocada, meu corpo foi pra frente, bati a cabeça na cabeceira da cama e outra rolada, o saco dele batia na entrada da minha buceta, meu cuzinho estava entregue, me segurando firme nas ancas ele passou a foder meu cu como se fode uma buceta, estocadas fortes e cadenciadas, passei a gemer cada vez que a rola entrava e ouvi a voz do meu marido;

toma no cu cadela do caralho, arranca as pregas dessa vagabunda

Ápice do tesão, para mim e para o Corno que batia punheta assistindo uma rola grossa me deixar desconjuntada, o cara que fodia meu rabo, parecia querer me dividir ao meio, ele dava estocadas fortes e fazia questão da rola bater no fundo do meu cu, fui perdendo as forças e então senti alguém novamente me lambendo a parte interna das coxas, em quanto eu levava rola no cu, ele levou a língua gelada na minha buceta…

Não existe palavras para descrever o que senti, no exato instante que recebia uma rolada no fundo do cu, que já estava totalmente frouxo e entregue ao prazer daqueles homens, senti uma língua dentro da minha buceta, como uma égua, esse foi meu pensamento, uma égua, gozei sem pudores;

Me arromba Filho da Putaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Como a mais rameira das Putas, a mais Safada das Vagabundas, eu gozava pelo cu e pela buceta, para delírio de prazer meu e do meu Marido, minhas tetas balançavam no ar, meu cu ardia e minha buceta lavava o rosto e a boca de alguém com sede do meu gozo

Sensacional, minha Cadela continua devorando rola como sempre, Goza Vadia Safada

As palavras do meu marido eram desconexas para mim, porque senti um arrepio na base da coluna que subia pelas minhas costas, meu cu se retraiu dificultando a penetração, mas nada que uns tapas na bunda não me fizessem relaxar para a rola entrar facilmente de novo, eu gozava em espasmos, meu corpo tremia como vara verde, a o cara mostrava disposição para me rasgar ao meio, perdi os sentidos e meu corpo ficou a mercê, alguém levantou minha cabeça e me apoiou, a rola porém não parava de penetrar meu cuzinho indefeso, fora tudo instruído e planejado com Léo, ele sabia tudo o que queria e ainda estava a contemplar a rola do nosso amante me dilatando o rabo

Um sussurro;

Vou tirar a algema para você se virar, não tire a venda ainda

Então pude me deitar de costas na cama, com e buceta exposta, meus seios já não tão intumescidos como antes e minhas mãos atadas na cabeceira da cama;

Gozem dentro dela, gozem com a rola dentro, como combinamos

Nem terminou de falar e meu Marido levantou minhas pernas, alguém sem piedade, penetrou meu cuzinho de novo, com facilidade, porque estava frouxo diante de tantas estocadas que acabara de levar, para meu alivio, não foram mais que cinco penetrações e ouvimos o urro de prazer, não reconheci a voz, mas ele me inundou o cuzinho de porra, como mandara meu marido, gozou la dentro, eu estava entregue…

Léo me acomodou com seus braços me amparando, uma rola quente passou pelos meus lábios, engoli só a cabeça e sentia alguém se masturbando rapidamente

Abre a boquinha Puta, Bebe Porra Safada Sem Vergonha

Ele perde o controle do tesão, mas eu adoro isso, um jato e um urro enorme, o segundo jato, o terceiro e o quarto já menos imponente, passei a língua pelos lábios para colher os respingos e engoli o esperma como deseja meu Maridão, só ouvia gemidos e sussurros de tesão ao meu lado

Uma rola grossa, a mais grossa, penetrou minha buceta;

Agora o Gran Finale, Goza Dentro da Buceta dessa Vaca

Uma, duas, três estocadas, a rola grossa, gozou em espasmos, certamente a maior quantidade de porra, a ejaculação mais farta, era o Eliomar, penetrou no fundo, como se gozasse no meu útero, Tiraram minha venda e pude ver o Eliomar espremendo a cabeça da rola para melar de esperma meus lábios vaginais

Toda gozada, boca, buceta e cu cheio de esperma, minhas mãos atadas e eu ali deitada feito uma prostituta sendo usada por quatro homens, Léo se masturbou e enfiou a rola dentro da minha buceta, para gozar la dentro também, firmando a nossa Amizade com nossos Amantes.

O único que eu não reconheci foi Cauã, um Amigo do meu marido, que há algum tempo estava para participar de uma farra conosco, estreou gozando na minha boca e me vendo beber seu gozo com toda minha vontade

Como é gostoso gozar até perder as forças e receber o melado dos nossos Amantes, cada gota de esperma que corria pela minha pele, era motivo de tesão e prazer, fiquei um tempo ainda assim, gozada e exposta para meus homens

O Prazer, pelo Prazer, simples assim.

Referência do Anúncio ID: CT-000034035

Não há Tags

8553 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 85 Guests, 29 Bots