Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

INCESTO EXISTE? autor Carlos M.

  • Publicado em: 20 de janeiro de 2002 09:00
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

A intenção deste texto é o de levantar um questionamento e ao mesmo tempo prestar um depoimento sobre minha historia de vida, que envolve uma relação de incesto com minha irmã.Vocês assim como eu ao ler os centos de relatos de incesto que aparecem todos os dias em páginas na internet nunca se perguntaram se aquilo é possível mesmo? , será que casos de incesto são tão comuns assim a ponto de tantas pessoas escreverem suas supostas histórias? , a conclusão a que cheguei é que “sim”, o incesto existe e ele pode ser mais comum do que muitas pessoas acreditam ou gostariam de acreditar e falo com tanta certeza porque o incesto aconteceu comigo e salvo o fato de ter sido uma experiência muito boa para mim, falo do ponto de vista sexual, essa experiência mudou minha vida e não posso dizer que foi para melhor e explico porque, eu sempre fui um adolescente sexualmente precoce, tanto é assim que tive minha primeira experiência sexual logo aos oito anos de idade, e na minha adolescência meu interesse por sexo foi crescendo cada vez mais e como a pessoa que tinha mais próxima na época era minha irmã, canalizei meus desejos e vontades para ela, não que fosse apaixonado por ela nem nada do estilo, gostava dela como minha irmã, mas o tempo foi transformando-a em uma bela mulher e com 13 anos de idade ela já chamava a atenção, no começo eu só espiava ela, fato que deve ser comum até certo ponto entre alguns irmãos até por conta da curiosidade, mas no meu caso a coisa foi mais longe, as espiadas de transformaram em contatos físicos, e ela até mesmo por estar em uma época de descobertas não se opunha a eles, era como um jogo, lembro como se fosse hoje, um dia que estávamos no sofá da sala e ela deitada com a cabeça no meu colo, e eu com o membro completamente duro, tanto é assim que ela percebeu e perguntou o que era aquilo, eu morrendo de vergonha até porque tinha molhado a calça e estava aparecendo levantei do sofá e fui embora a deixando ali mesmo sem falar nada.

O jogo de sedução ocorria de ambas as partes só que eu até por conta de ser mais velho, sabia exatamente para onde estávamos indo, lembro como se fosse hoje um dia que ficamos sozinhos em casa a noite, minha irmã olhava tv no quarto dos nossos pais e eu fui para lá olhar a novela com ela, ela estava deitada de bruços e quando entrei no quarto pude ver que ela estava usando uma saia curta, tipo mini saia, sentei na cama e fiquei olhando até que ela sem mais nem menos fala para mim, Carlos vc aperta uma espinha que saiu na minha coxa? sem pensar em nada falei que sim, e ela logo levantou a saia e deixou a sua bunda toda a mostra , com uma calcinha branca que não esqueço até hoje como era, aquilo mexeu comigo e acho que a partir desse dia eu com 17 e ela com 14 anos ,mesmo sabendo que era errado começamos um jogo de sedução talvez por parte dela inocente , mas que para mim estava mais que claro , eu sentia tesão pela minha irmã e a desejava sexualmente; as masturbações eram diárias o objeto de desejo era sempre ela , minha irmã , posso dizer que ela também sempre foi muito precoce em termos de sexo tanto é assim que teve sua primeira relação com um namorado mais velho logo aos 14 anos, fiquei sabendo, pois tinha o costume de ler o seu diário , e ela sem imaginar contava todas as suas aventuras , assim como milhares de adolescentes da sua idade costumam fazer.

Os contatos foram se intensificado só que ela a essa altura já sabia bem o que eu sentia a respeito dela e apesar dela saber que era errado a idéia no fundo a atraia , tanto é assim que eu fazia milhares de coisas que se ela não gostasse poderia inclusive ter contado aos nossos pais , mas nunca o fez, como por exemplo, das vezes que entrava no quarto dela à noite , completamente nu e deitava na cama com ela , ela é claro fingia dormir e deixava que eu me “divertisse” , lembro de uma vez que cheguei e gozar em cima dela me masturbando e tive que sair correndo com medo dela me falar alguma coisa, mas nada aconteceu , às vezes eu passava dos limites e ela, mandava eu parar , mas no fundo tenho quase certeza que ela gostava de tudo aquilo. Os anos foram passando e minha irmã estava cada vez mais bonita e mais mulher do que nunca, com um corpo de dar inveja e o que mais me enlouquecia era o diário dela, ou melhor, as coisas que ela contava lá, com 17 anos ela já tinha transado com sete caras diferentes , o que não é pouco para uma garota da idade dela , e ela tinha uma lista no final do diário onde estavam o nome deles e as vezes que tinha transado com cada um, fora os que ela tinha ficado , digamos que minha irmã nessa época não era diferente de muitas meninas que vemos hoje por ai , mas ela tinha uma coisa diferente que hoje como homem avalio , ou seja, ela não era daquelas que se fazia de difícil não , ela ficava e já ia dando , teve até um cara que é meu conhecido que ficou com ela a transou na mesma noite ainda por cima dentro do carro e numa rua lateral a uma boate aqui da nossa cidade , ou seja, os hormônios dela sempre estiveram à flor da pele assim como os meus e acho que isso foi um dos fatores que nos levaram a consumar o incesto. Hoje não posso garantir que aconteceria de qualquer forma, até porque tocar, espiar e desejar é uma coisa, agora consumar o fato já é outra bem diferente, e no nosso caso aconteceu de uma maneira muito peculiar e pensando bem, até de uma maneira inevitável pelos fatos que vou descrever agora , era final de ano e nossos pais resolveram viajar para a praia , ficariam fora uma semana e nos ficaríamos sozinhos todo esse tempo eu com 21 na época e ela com 18 , tudo aconteceu num final de semana , tínhamos uma festa , fomos para lá e como era reveillon bebemos muita champaim , na volta para casa eu só pensava nela e ainda mais com o álcool ajudando , fui ate o quarto dos nossos pais, pois ela dormiria lá, e falei que iria dormir lá tb, nesse momento percebi que eu não estava para brincadeiras e a idéia de realmente transar com minha irmã legitima já existia , só dependeria dela , deitei ao seu lado e ela ficou de costas para mim , dei um tempo e comecei a tocar o corpo dela de uma maneira sutil , tirei a roupa e fiquei nu atrás dela , quando ela sentiu meu membro nas coxas dela a reação foi instantânea e ao mesmo tempo surpreendente para mim, pois apesar de desejar muito aquilo , não imaginava que aconteceria daquela maneira , ela virou e sem fala uma palavra se quer , tirou toda a roupa, ficando nua na minha frente, só que estávamos no escuro , não trocamos uma palavra durante toda a transa , que durou aproximadamente umas 2h e 30 min, isso mesmo , 2h e 30 min. Nem mesmo um beijo na boca se quer, como se ambos soubéssemos que um beijo sim seria demais para nós , tipo, transar podemos , mas beijo na boca não.

Posso falar que a transa em si foi uma das melhores da minha vida por uma série de fatores que só quem já praticou incesto sabe do que me refiro , mas cometi um erro muito grande e por ele pago até os dias de hoje e só Deus sabe até quando pagarei , meu erro foi não ter sabido administrar a situação que veio depois da transa , ou seja , depois de consumado o incesto, na manha seguinte , acordei na cama dos nossos pais , completamente nu e com minha irmã nua deitada ao meu lado , podem imaginar tal cena ? , o peso de toda a educação que recebi, de que é errado, pecado e etc, caiu direto na minha cabeça, e meu primeiro impulso foi de querer apagar uma coisa que não havia como apagar e hoje vejo que não teria porque apagar, mas na hora não pensava como penso hoje e acabei por escrever um bilhete para minha irmã que dizia mais ou menos assim: “mana, esquece o que fizemos, faz de conta que foi um sonho” , essa foi à frase mais infeliz da minha vida ,e sem querer criei um peso na consciência da minha irmã ainda maior que o meu. Hoje analisando tudo que aconteceu vejo que o certo seria te acordado ao seu lado , de preferência abraçando ela e demonstrando que o que tínhamos feito estava feito e que ela não fez sozinha e que eu estava ali do seu lado para segurar a barra, tenho certeza que se tivesse feito isso estaríamos transando até hoje ou pelo menos teria se repetido mais vezes, fato que nunca mais ocorreu, pois ela bloqueou o que aconteceu e nunca quis tocar no assunto, sei que ela considera um erro o que fizemos e em parte me culpa por tudo.

Algumas vezes tentei falar a respeito com ela, mas sempre foi em vão , hoje ela esta com 26 anos e eu com 29 , anos a fio morando na mesma casa e anos de frustração tentando transar com ela de novo, fato que nunca ocorreu e que hoje tenho certeza que nunca ocorrerá.

A única coisa que posso falar é que o incesto existe sim, mas se engana ou mente aquele que fala que não ficam traumas desse tipo de relação, e também desconfio daqueles relatos que tudo ocorre de uma maneira muito fácil e direta e sei que isso na verdade não existe, pois há uma barreira natural entre dois irmãos , a barreira da família , a sociedade e principalmente o medo de que alguém descubra esse tipo de relação.

Crie esta página com a intenção de dar uma outra visão ao incesto e testemunhar que pode sim ser uma experiência positiva se as pessoas envolvidas tiverem uma boa cabeça e estiverem dispostas a enfrentar uma série de sentimentos por vezes difíceis de administrar.

Estou aberto a pessoas que queiram trocar idéias ou até mesmo tiverem duvidas a respeito do incesto.

Carlos Moya

Inc21@hotmail.com

Referência do Anúncio ID: CT-000006568

Não há Tags

7006 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 289 Guests, 33 Bots