Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Minha mãe se revelou uma deliciosa putinha.

  • Publicado em: 1 de junho de 2011 10:01
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Minha mãe, apesar de seus 40 anos era uma mulher bonitona, tesuda e cheia de vida… Adorava vê-la dentro de casa com aqueles shortinhos apertados e curtos que além de moldar sua volumosa bunda, marcava muito sua xoxota que parecia ser bastante carnuda… Toquei muita punheta por causa dela. Quase sempre nos finais de semana em que meu pai não vinha pra casa devido ao seu serviço de representante comercial de uma grande firma, que o obrigava a viajar muito. Minha mãe chamava algumas de suas amigas que moravam no mesmo prédio pra ficarem jogando cartas (buraco). Como sempre elas tinham sobre a mesa uma garrafa de vinho pra consumirem e muitas vezes ouvi entre elas coisas do arco-da-velha em relação a homens: sexo anal, sexo oral e até, uma das amigas, falar de ter traído o marido com dois homens ao mesmo tempo em sua cama… As outras riam e acabavam sendo encorajadas a também contarem coisas bem íntimas de suas vidas. Foi quando ouvi minha mãe, já bastante alterada pelo vinho, falar sobre sua única traição que fez ao meu pai numa academia de ginástica que ela frequentava em uma noite muito chuvosa em que ela ficou sozinha com o proprietário da academia que já tinha lá seus 55 anos. A curiosidade das amigas, que iam lhe perguntando e ela contando até com certos detalhes de como o coroa lhe agarrou à força e ela tentou resistir até ouvir: – Adoro ficar olhando pra essa sua bunda Dona Néia… Sonho em poder te pegar por trás e mostrar o quanto lhe desejo! – Que isso Sr. Pedro? Sou uma mulher casada e de respeito! As amigas riam e minha mãe explicando de como ele passava a mão em sua bunda e ela imaginando o que ele queria: – Pode chegar alguém Sr. Pedro! – Com essa chuva não vai chegar ninguém, mas posso trancar a porta se você quiser! – Então tranca Sr. Pedro, antes que alguém entre e pegue o Senhor me agarrando! Minha mãe continuou contando de como ele a deixou pelada da cintura pra baixo e com todas as palavras: – Adorei sentir aquele pau duro ficar socando no meu cu… (risos)! Enquanto ela narrava, fui me aproximando da mesa e quando ela ainda ria me viu, arregalando os olhos: – Puta-que-pariu Nando! Você estava aí ouvindo tudo… É? – Ué mãe… Sem querer, mas ouvi sim! Falei justamente pra ver sua reação e ela bêbada foi relaxando e até sorriu: – Tudo bem… Eu sei que você sabe guardar segredo, não é mesmo? – Claro né mãe!… Uma de suas amigas, também já bem tocada pela bebida, falou: – Caralho, Néia… Agora seu filho sabe que você gosta de dar a bunda… Hic! Minha mãe pra justificar: – Não é verdade Nando… Foi só uma vez que deixei outro homem, além do seu pai! Ela praticamente estava confessando que meu pai comia sua bunda, e pra não dar muito mais o que falar, fui caminhando pro meu quarto ouvindo as risadas de todas elas. Vinte minutos depois saí do meu quarto pra ir tomar meu banho e ao passar perto da mesa, vi que elas continuavam a beber e fiquei por um tempo no corredor pra ouvir mais algumas besteiras… De pau duro, coloquei pra fora ouvindo falarem sobre mim: – Porra Néia, esse seu filho é um pedaço de mau caminho. Será que ele gosta de mulheres maduras? – Pode parar sua piranha, nem se atreva a querer levar meu filho pra sua cama! Outra das amigas: – Hummmm… Só de pensar que ele está lá tomando banho peladinho já estou ficando molhadinha! Minha mãe soltava cada gargalhada e sem mais nem menos, talvez só pra provocar, já que ela há muitos anos não me via pelado… Eu já estava com meus 20 anos: – Iiiih! Estou cansada de ver o Nando pelado! Bastou pra aguçar a curiosidade das outras três: – É mesmo? E o pau dele como é? Não vai me dizer que você transa com seu filho? – Não sua mente poluída, tenho bastante intimidade com meu filho, mas ainda não sou capaz de praticar incesto com ele! Uma delas: – Se fosse eu não ia querer nem saber, dava pro meu filho e foda-se a sociedade e seus preconceitos idiotas! E novamente ouvi minha mãe: – Hahahahaha!… Quem dera ter coragem pra chegar pro meu filho: Quer comer a bundinha da mamãe… quer? Ouvindo as gargalhadas, me masturbava e sentindo que podia gozar a qualquer momento fui correndo pro banheiro pra terminar o serviço e tomar meu banho. Estava no meu quarto, com a mente mais poluída do que o rio Tietê, quando minha mãe chegou na porta do meu quarto, visivelmente tonta e sem noção do que falava com seu próprio filho: – Você ouviu mesmo sua mãe falando que traiu seu pai com outro homem? – Que você deixou o tal do Sr. Pedro comer sua bunda? Ouvi sim, por quê? Parecia comédia vendo minha mãe cambaleando vindo se aproximando da minha cama e sentar quase caindo pra trás soltando novas gargalhadas: – Hic! Hic!… Foi só uma vez viu? Não precisa ficar aí olhando pra mim com cara feia! Achei que podia tirar proveito daquela situação e colocando a mão no seu ombro a fiz deitar na cama ficando suas pernas pra fora apoiadas no chão. Deitei do seu lado e olhando bem em seus olhos: – E você gostou de dar a bunda pra outro homem mãe? – Hihihihihi!… Hic!… Gostei sim, mas seu pai nunca vai poder saber disso, ok? Ela, como de costume, usava um shortinho curto e eu aproveitando fui passando a mão na sua coxa e encostando meu corpo no dela: – Pode deixar mãe, por mim o pai não vai saber nunca… Quer que eu te ajude a tirar a roupa pra tomar seu banho? – Querendo ver a mamãe pelada, né safadinho? – Quero sim mãe… Igual ao Sr. Pedro, também adoro ficar olhando pra sua bunda! – Hummmm! Não vai me dizer que você também quer me agarrar por trás? Era tudo ou nada e resolvi arriscar: – Quero sim mãe… Também quero comer sua bunda, posso? – Hahahahaha! Hic! Hic! Hic!… Vai aproveitar que a mamãe está bêbada, vai? Só sei que num desespero total, tive muita dificuldade pra tirar aquele short apertado e quando consegui tirar sua calcinha e vi aquele bocetão carnudo bem na minha frente fiquei mais louco do que cachorro no cio… Levei a mão vendo que minha mãe estava bastante molhada, tirei minha bermuda e de pau mais duro que uma barra de ferro, fui pra cima e ela colocando a mão no meu peito: – Mamãe quer na bundinha, tem que ser na bundinha!… Com medo de que ela, mesmo em seu estado alcoólico pudesse se arrepender resolvi ajudá-la a se virar na cama e, ao ver todo aquele bundão a minha disposição, fui com tudo e nem bem consegui enfiar a cabeça soltei meu corpo fazendo meu pau ir todo pra dentro do cu da minha mãe. – Oooohhhh!… Mete filho, mete gostoso no cu da mamãe, mete!… Estava descobrindo minha mãe, uma depravada e me sentindo um sortudo em matéria de mulher comecei a socar cada vez mais forte até deitar sobre a bunda da minha mãe e gozar muito dentro do seu cuzinho. Depois, tentei de todas as maneiras fazê-la levantar-se pra tomar um banho, mas ela resmungando de que era pra deixá-la descansar um pouco, acabei desistindo. Fiquei deitado lendo um livro e, uns 40 minutos depois, ela abrindo os olhos meio assustada vendo que estava nua da cintura pra baixo, mas talvez lembrando mais ou menos do que aconteceu: – Não vai me dizer que tive coragem de deixar você fazer alguma coisa comigo? – Oh mãe, pra falar a verdade foi você que veio até ao meu quarto e pediu!!! – O que foi que eu pedi, fala!… – Você me pediu pra comer sua bunda, ué! – E você, o que fez? – Ué mãe… Eu comi!!!! Ela, ao invés de ficar brava e pelo menos tentar esconder sua boceta que eu olhava, subiu o corpo pra mais perto de mim e me olhando com um sorriso enigmático: – Ah!… Agora estou me lembrando… mas eu dormi enquanto você trepava em mim filho? – Não mãe!… Você dormiu depois, durante parecia que você estava gostando muito! – Hehehehehe!… Vou tomar um banho e daqui a pouco vou ficar sem um pingo de ressaca, você vai ver! Ela se ajoelhou do meu lado me dando um beijo no rosto saiu da cama com seu bundão todo de fora, dizendo: – Daqui a pouco eu volto pra poder entender melhor o que se passou entre nos dois! Tendo a certeza de que ela estava gostando de tudo o que tinha acontecido e que tinha perdido todo o pudor comigo fiquei ansioso pra vê-la de volta ao meu quarto. Minha mãe entrou só com uma toalha enrolada no corpo e de joelhos sobre a cama: – Você teria coragem de fazer alguma coisa com sua mãe, sem ela estar bêbada? – Ué mãe!… Se você pedir de novo, eu faço! – E se eu não tiver coragem de pedir? Aquele joguinho que minha mãe safadinha estava fazendo comigo foi me deixando excitado e ficando também de joelhos na sua frente segurei a toalha e tirando vi seus grandes e suculentos seios: – Caralho mãe!… Você tem um corpo de deixar qualquer homem louco de tesão! – Mas você não vai querer abusar da sua mãe de novo, vai? – Larga de ser boba mãe, sei que está doidinha pra dar pra mim de novo, não está? Ela me puxou pelo pescoço me fazendo abaixar e chegar aos seus peitos que enfiei a boca com prazer: – Eu preciso filho, preciso me abrir com você! Ela deitando e me puxando pra continuar com a boca nos seus peitos: – Parece que seu pai já não me deseja como antes, ele anda cada vez mais me rejeitando na cama! Levei a mão e enfiei um dedo na boceta da minha mãe que pareceu sentir o contato: – Você é uma mulher ainda muito gostosa mãe, se quiser podemos fazer tudo que tiver vontade de fazer! – Desejo muita coisa, mas você sendo meu filho fico sem jeito! – Pelo que já fizemos, você não precisa mais ficar com frescura comigo! Acho que ela só foi sentir que eu estava metendo em sua boceta quando meu pau já estava quase todo dentro: – Tira daí filho… Só posso deixar meter em mim por atrás! – Nada disso mãe… Vamos deixar acontecer o que tiver que acontecer… Combinado? – Aaaiiii… Aaaaiiiii… Coooooommmbiiiinado!… Ooooh que delícia, mete na mamãe… mete!… Ooooh meu Deuuuuussssss, acho que já vou gozar!… Aaaaaaaahhhhh… Aaaahhhhhh!… Sentindo a boceta da minha mãe se contraindo repetidamente no meu pau e ela gemendo muito: – Também vou gozar mãe…! – Goza filho, goza dentro da mamãe! Foi algo pra não esquecer nunca, eu comendo a boceta da minha mãe e fazendo-a gozar toda satisfeita e ainda permitindo que eu esporrasse dentro. Depois, ainda do meu lado na cama, passou a me beijar repetidamente alternando os dois lados do meu rosto: – Foi maravilhoso filho, agora a mamãe sabe que pode confiar em você! – Também adorei mãe… Mas será que vou poder ter você sempre? – Sempre filhão, é só pedir o que quiser que a mamãe vai lhe dar com todo prazer! – Mas você também vai me procurar quando sentir algum desejo, não vai? – Vou sim… Mas será que você vai realizar todas minhas fantasias? – Se eu puder… É só você me dizer o que eu devo fazer! Acordei no dia seguinte (domingo) cheio de vontade de meter novamente na minha gostosa mãezinha, e depois de uma ida ao banheiro fui até a cozinha onde ela estava preparando meu café, vestindo um baby-doll que exibia suas grossas coxas e seu maravilhoso bundão empinado. Abracei-a por trás dando-lhe alguns beijinhos no pescoço e ela pegando minhas duas mãos e fazendo-me segurar seus seios: – Depois do café você pode ir até meu quarto? – Hummmm! Parece até que você leu meus pensamentos… Acordei já pensando em você mãe! – Mas a mamãe vai querer te pedir uma coisa muito especial, ok? Eu nem imaginava o que poderia ser, ela saiu da cozinha e eu terminando rapidamente meu café fui até seu quarto e já a encontrei peladinha deitada da cama… Fui também me despindo: – Vem filho… Vem satisfazer as maluquices dessa sua mãe desmiolada! – Fala mãe! O que é? Ela pegando minha mão e levando-a até sua boceta que naquele instante já se encontrava bem úmida: – Você passa a língua na boceta da mamãe? – Ah!!!! Então é essa a sua fantasia? – É! Minhas amigas falam que é muito bom e nenhum homem até hoje fez isso comigo! Minha mãe estava se revelando uma deliciosa putinha sem vergonha, e mais que depressa fui pro meio das suas pernas tendo aquele bocetão escancarado na minha cara… Meti a língua e descobri que o gosto de boceta de mãe era mil vezes melhor do que qualquer outra mulher: Minha mãe gemia, gritava e ria enquanto eu chupava seu grelo e socava a língua em seu buraco além de lamber… Ela gozou muito e depois fiquei ajoelhado do seu lado olhando seu corpo que parecia estar inerte como se tivesse caído num sono profundo. Mas ela logo abriu os olhos e vendo meu membro duro foi se ajeitando e me surpreendendo com uma atitude de uma mulher bem puta. Abocanhou meu cacete e iniciou uma deliciosa mamada indicando que ela sabia perfeitamente como chupar uma piroca… A safada da minha mãe chupava desde a base até a cabeça e além de torcer os lábios de um lado pro outro ainda dava aquelas lambidinhas na ponta do cacete até que não agüentando mais: – Para mãe… Para que eu vou gozar!!!! Ela continuou mamando e sem alternativa soltei o primeiro jato… Notando que praticamente desceu direto pela sua garganta fui soltando tudo em sua boca e ela engolindo sem deixar escapar uma gota. Passei a ter uma mulher em casa que me pedia coisas que só uma prostituta bastante experiente proporcionava a um homem… Eram posições das mais variadas e estranhas, além dos locais dentro de casa, até no terraço trepávamos ouvindo vozes dos vizinhos bem próximos.

Referência do Anúncio ID: CT-000050828

Não há Tags

31267 visualizações, 0 hoje

  

Uma Comentário para “Minha mãe se revelou uma deliciosa putinha.”

  1. Ótimo conto

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 238 Guests, 28 Bots