Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

NA CEDAE QUINTA DA BOA VISTA

  • Publicado em: 9 de dezembro de 2008 21:01
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Volto a relatar mais uma foda que tive, e que muito boa, com uma travesti sexy e bem feminina. Sou branco 1,85 de altura, 80 kilos, não malho, mas meu corpo e bem definido por causa da natação. Numa tarde de sábado (27/04/2008) quando voltava do puteiro de um amigo meu passei pela Quinta da Boa Vista, pra ver se via um travesti que um sábado antes fui abordado, por uma loira de mais ou menos 1,75, com pouco peito e coxas bem grossas, que já tinha feito um programinha rapidinho na CEDAE, mas ela não me reconheceu. Dei uma olhada quando passava por um grupo de travesti e vi uma preta que também já tinha feito um programa há noite umas semanas antes, e que foi diferente, o que começou com um boquete atrás da árvore terminou numa foda na CEDAE, foi assim, tava passando por ali uma noite e quando avistei uma travesti de vestido azul, com uma bunda grande, seios redondos, e bem feminina de rosto. Parei e negociamos o preço de um boquete, estava meio sem grana. Combinado o valor fomos pra traz da arvore pra ela fazer o serviço, ela se abaixou e caiu de boca, e como ela chupava bem, no meio daquele boquete eu já estava com as mãos nos seus peitos grandes, a fiz levantar um pouco e por aquele rabão pra cima, que visão. Ela falou que seu nome era Babalu e que se eu desse, mas um dinheirinho ela me deixaria comer seu rabo maravilhoso, pensei vou ficar duro, mas, vai valer apena. Ela se virou levantou o vestido e baixou a calcinha cavada, branca com rendinhas, se curvou apontando aquela imensidão negra pra mim pegou um frasco de hidratante a bolsa e untou o cu e o meu pau. Apontei a pica em direção o seu buraquinho e fui empurrando devagar, queria aproveitar o Maximo que podia, sentia o gozo na ponta da pica. Babalu deu um empurrão pra traz e entrou tudo de uma vez só: agora sim esta tudo onde eu queria que estivesse, tudo no meu cu. Que maravilha sou pau não o maior que já entrou em mim, mas e do tamanho certo que eu gostou. Quase gozei quando ela começou a rebolar. Ai aconteceu o inesperado um carro da policia, passou e parou numas barracas que tem, mas à frente e tivemos que para a foda ela se lenvatou se ajeitando rápido e me mandou fazer o mesmo, o que não precisava nem ter falado. Ela foi para um lado e eu pro outro marquei um tempo pra ver eles iam embora e nada, fui andando fingindo esta mijando e não vi a Babalu por perto, e pior ainda não tinha pago, nem pelo boquete nem pela meia foda. Quando eu estava quase chegando na CEDAE me viro e a vejo vindo em minha direção parei e esperei por ela. Pensei que você ia embora, ela disse, Não, e que eles ficaram ali, e eu não te vi mais, pensei em dar um tempo e voltar, respondi Então onde nós paramos?. Ela perguntou. ah isso e fácil com aminha pica no teu rabo, ela me olho e riu podemos continuar onde, sei lá, me diz você eu falei. Siga-me mas e claro que iria, entramos na CEDAE. Ela perguntou se eu tinha tirado a camisinha e eu respondi claro! Eliminar o flagrante, sei lá coe a desses caras ela riu de novo. Babalu pegou outra camisinha e depois de um rápido boquete meu pau já estava em ponto de bala. Vem meu querido mete gostoso no meu cu, fui com tudo pra dentro dela, na mesma posição de antes, que gostoso e foi ver minha pica clara literalmente sumir naquele buraco negro. Ela pediu pra mudar de posição, e se eu não me importaria de cume-lá de frente, por mim tudo bem. Ela terminou de tirar a calcinha que estava no meio das coxas e sentou num murrinho de frente pra mim, foi quando eu tive a maior surpresa uma pica negra que dava umas duas da minha no mínimo, Babalu vendo meu espanto disse gostou do meu brinquedinho, ou não… se quiser eu fico de costa pra você?. Meio pasmo, assustado e excitado com tudo aquilo, não disse nada só me coloquei entre suas pernas e antes de meter novamente no seu cu não pude deixar de comparar o meu pau com aquela senhora PIROCA. Nossa como e grande, o meu nem faz sombra, se tivesse um pica dessa iria fugir muito cu por ai. Babalu apontou o meu pau na portinha e pediu mete tudo de uma vez só que eu gosto numa estocada forte e firme meu pau entrou todo, estava mais excitado do que antes atrás da arvore. Curvei-me sobre seu corpo e de surpresa ela me deu um beijo na boca e ficou esperando a resposta, quem ta na chuva e pra si molhar, correspondi colocando a minha língua na sua boca, e pode sentir sua pica na minha barriga quase chegando na boca do meu estomago. Num movimento incondicional meti a mão naquela tora e pude sentir o quanto realmente era grande, ela foi ao delírio gemendo cada vez mais alto, aquele tesão todo era de mais pra mim falei que queria gozar e ela mandou goza encima de mim, goza encima de mim que quero sentir sua porra quente meu macho, tirei do seu cu quente, e mau deu pra tirar a camisinha, foi uma gozada e tento muita porra encima daquela pele negra. Babalu com o pau apontando pra mim, como que pedindo um carinho, e foi o que fiz uma punheta com muito carrinho e um pouco do deu creme hidratante que a elevaram a loucura, me atrevi a dar uns beijinhos nele, e tentar abocanhar a cabeça, que a fizeram explodir em gozo forte na minha boca, nunca tinha provado parra, ela se desculpou e achou lindo ter um macho chupando-a, levantei ia limpar minha cara suja de porra e babalu veio me ajudar, limpou toda sua porra com lambidas e beijos quente pode sentir gosto de porra de novo, e com a pica dela na mão. Paguei o que devia e fui com vontade de ficar mas um pouco. No sábado à tarde quando vi a minha negra quis experimentar de novo sua boca e quem sabe experimentar sua rola outra vez, então deixei a loira de lado e parti pra cima dela, a loira ficou puta, mas fazer o que. E rolou um boquete incrível e só uma pegada naquele pauzão, meio frustrada ela não disse nada. No meio da semana tive que ir ao centro do Rio e no caminho de volta passei por lá pra aliviar o tesão avistei a loira de longe cheguei perto, mas não entramos em um acordo ela não queria conversa comigo depois que eu a dispensei pra ficar a outra. Fiquei muito puto que a preta me chamou e eu dispensei. Fui pra casa e me acabei na punheta. No sábado (27/04/2008) etava cheio de tesão acumulado e não resistir parti pra VM, dei uma volta, tomei umas cervas e comi uma gata linda, mas não era isso que eu queria, faltava a loira. Parti pra Quinta não achei a loira, mas Babalu estava lá no ponto. E ai como vai… Conversa vai conversa vem ela disse que saudade do macho que chupa, só depende de você… será que não rola uma cortesia? joguei, se colar colou. Babalu pensou se levantou e bem devagar entrou na CEDAE, e muito rebolativa, deu uma parada me olhou e entrou, e como não tinha o que fazer fui atrás pra averiguar. Ela estava abaixada com o vestido levantado e a calcinha de lado e com pau na mão ia mijar, perguntei se podia ajudar, ela acenou com a cabeça com sim e não me fiz de rogado, pegue nele fui conduzindo sua mijada dei as três sacudidas e acabei tocando uma punheta, aquilo me deu um tesão incrível, cheguei mais perto dela e pus meu pau pra fora, ela me olhou passou a mão nele, abriu a minha calça e abaixo-a, ela acariciou e tirou minha cueca pegou meu saco e seu dedo foi ate o meu cu e forçou a entrada ate que a ponta entrou, me levantei ela se virou me olhou chupou meu pau e disse sabei-a que você iria aceitar meu convite, e meu carinho no seu cuzinho, estou louquinha pra te provar. Isso me encheu de tesão e de medo de ter aquela tora no meu cuzinho me fez parar disser isso vai ser impossível… e ruim de você meter essa porra na minha bunda, vai me estourar tudo, deixar de ser tolo, eu sei como comer um cuzinho, e não boto tudo, só a cabecinha. E caiu de boca na minha pica a ate fica dura, agora vem meu macho me fode gostoso ela se sentou de frente pra e se abriu toda com as pernas pro alto, botei sem dó tudo de uma vez só e bombei com força, enquanto metia punhetava sua vara ate gozar, e não demorou muito veio o jato de porra quase na minha cara, já gozou amor, nem me esperou pra brincarmos juntos não deu pra segurar sua mão e de veludo, da um beijinho nele, por favor? vai dá logo, não resisti aquela voz macia, me abaixei e dei um selinho na ponta e senti o gosto de porra, ela segurou minha cabeça com as duas mãos e me fez engolir a sua pica, o ultimo jato de porra foi direto na minha garganta, agora sim gozei direito me levantei agora goza pra mim meu macho, goza na minha cara pra marca sua boneca. Numa punheta frenética gozei na cara dela. Que delicia. Quando dei por mim estava com as calça arriadas ate os pés, e de boca naquela tora, pica dela já estava dando sinal de vida novamente quando ela se levantou e me virou de costa para ela agora vou brincar no seu cuzinho foi se abaixando e deu uma lambida no meu buraco que hummm que delicia tem gosto de cu virgem, bem já usei ele umas duas vezes mas ela não precisava saber, e pra que aquele tamanho seria como se fosse, e foi me chupando e lambendo o cu, ficou em pé e sarando ate eu sentir pica dela se levantar entre as minhas pernas, nisso olho pro lado e vejo a loira chegando, que putaria e essa aqui, também quero participar posso a deixarela brincar com você, mas só se você quiser e eu queria muito. Por mim tudo bem concordei. vem cá e chupa o meu macho Babalu mandou e ela veio, caiu de boca ma minha rola mole que em poucos minutos já estava dura, o tesão era tanto que por um momento esqueci-me da Babalu tentando me enrabar já tinha passado creme no rabo inteiro e brincava com dois dedos no meu cu, estava tudo maravilho e então veio ela com pica mais dura que já tinha vista e começou a força entrada, doeu bastante e pedi para parar ela carinhosamente parou mas não tirou o que já tinha entrado, a loira viu o que estava acontecendo de camarote, se levantou e me beijo sua putinha gosta de levar pica?, não ele não minha putinha, e meu macho as duas se abraçavam comigo no meio, a loira me deu um beijo que e me abraço forte contra a Babalu, o que fez pica entra no meu rabo, não agüentei e gemi, de prazer de dor nem eu sabia por quê. A loira voltou pra baixo de mim e lambia o que podia, meu pau, meu saco, resto do pau que ainda não tinha entrado no meu cu, que loucura esta tudo aquilo, se afastou levantou a saia e me ofereceu sua bundinha, você que me comer?”, nem respondi puxei-a pela cintura com força hummm nossa temos um macho de verdade aqui. apontou minha rola na entrada do seu cu e eu fiz o resto, meti com força quase saindo da rola da Babalu que reclamou hein vai devagar… se não posso te machucar, parei e deixei a loira fazer o resto, que era muito, ela rebolava fazia o vai e vem. Foi quando a Babalu falou no meu ouvido agora que seu cu já acostumou com o meu brinquedinho posso bombar um arrepio me subiu a espinha, um prazer alucinante me tomou conta, no começo era devagar e gostoso e foi ficando cada vez mais forte, já não tinha controle sobre mim, comecei a rebolar gostoso na vara dela ate esqueci que estava comendo a loira, Babalu me puxou pela cintura se sentou e me pediu pra cavalgar na sua rola, a loira sai da minha vara, e sentei na rola da Babalu o Maximo que eu agüentava, bem devagar fui acostumando com a posição e logo já subia e descia como uma putinha, a loira pra não ficar de fora da brincadeira veio me chupar. Babalu me segurava com força, vai rebola pra eu gozar no teu cuzinho… enquanto eu rebolava a loira levantou minhas pernas ficando sem apoio, com a rola totalmente enterrada no cu, ela gozava aos berros, eu sentia ela me rasgando e aquela porra quente dentro de mim, que delicia, e incrível a sensação de porra quente dentro da gente, ficamos parados um tempo ate rola de a Babalu amolecer para loira à tirar devagar do meu rabo, a porra escoria e a loira lambia tudo o que podia, foi refrescante sentir Áquila língua no meu cu depois de tudo o que entrou nossa você arrobou o cu dele, entra quatro dedos fácil, então dota o seu agora, que mais rola, Babalu se levantou e se arrumou pra ir embora mais ficou assistindo a loira meter em mim ate gozar, mais porra quente no rabo era isso que eu queria, e tive. Ainda com as pernas bambas levantei pra terminar de fuder a loira, tava com muito vontade de comer um cu e gozar dentro, peguei a loira de jeito e meti com força no se cu, ela gemia alto, e eu bombava se perdão ela gritou que ia gozar de novo peguei no seu pau e segurei e toquei uma punheta ate ela gozar, quando senti a porra dela na minha mão gozai que nem um cavalo, e fiquei parado um tempo ate meu pau amolecer tirei rápido e me abaixei e retribui a linguada no cu e pude sentir o gosto da minha própria porra que sai do seu cu, quando pensei que já tinha provado todos o prazeres tive mais uma surpresa, o gosto da minha própria porra saindo de um cuzinho delicioso. Voltei pra casa com porra escorrendo pelas pernas e cu estourado sem poder sentar direito, alias ficou dolorido por um tempão, mais satisfeito. Foi uma tarde inesquecível nem sei quanto tempo ficamos nessa sacanagem. Votem nesse conto que isso me da coragem de buscar novas aventuras para poder relatar aqui.

Referência do Anúncio ID: CT-000040476

Não há Tags

7514 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 103 Guests, 17 Bots