Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

nova secretária..(parte IV)

  • Publicado em: 19 de maio de 2004 09:20
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Continuando…Fiquei assustada com o que vi, mas entrei com a Carol e ela contou que tinha ficado chateada de me ver indo ao banheiro com a Fernanda e sabia que ia rolar, ainda mais que a gente estava demorando, então ela disse: falei ao prefeito que iria embora pois não estava se sentindo bem, ele educadamente disse que me levaria em casa, a principio não aceitei, mas ele insistiu e eu achei que poderia te provocar ciumes e aceitei, ele então dispensou o motorista e fomos pra garagem do hotel, lá ele colocou as mãos na minha perna e disse que me achava linda e que poderiamos aproveitar um pouco, que eu poderia sair lucrando, disse que a mulher traia ele com outro homem, quase dei uma gargalhada na cara dele, eu estava com muita raiva de voce e acabei aceitando ele me beijar, mas de repente me arrependi e falei pra ele parar, ele não parava, a mão dele subiu até minha calcinha arrebentando ela, enfiando o dedo na minha buceta, a outra mão arrebentou meu vestido, chupando meus seios, eu lutava com ele, até que consegui chutar o saco dele e sai correndo, entrei no elevador, não encontrei ninguém e cheguei aqui…ela chorava, mas cuidei dela, troquei a roupa dela e falei: voce é muito infantil, não vou mentir, realmente no banheiro, ela me contou que ele ouviu nós duas pelo telefone e achou que ela estivesse marcando encontro com algum homem e trancou ela no quarto, sem telefone e sem celular, a gente acabou se beijando, e esquentou o clima, quando chegamos na mesa voces não estavam e ela acabou me convencendo a ir com ela pro apart, lá a gente começou a transar, mas eu ainda estou confusa e acabei largando ela sem completar, ela fez um escandalo, xingou vc, disse que vc e o marido dela estavam transando, perdi o controle e bati nela, saindo do apart e encontrei vc assim, me desculpe, foi minha culpa, não deveria ter usado vc pra colocar ciumes nela, mas esse velho babão me paga, agora se acalma e vou te levar em casa….a Carol estava nua, frágil, deitada na cama, comecei a fazer carinhos, ela foi se excitando e eu também, então ela falou: Cela, me ama, quero fazer amor com voce agora e não sexo, preciso disso…então ela começou a se masturbar, eu tirei a mão dela e começamos a nos beijar, minhas mãos alisando a xota dela, ela gemia, me pedia pra dizer que eu era dela, eu falava: sim…voce é minha, minha namorada, minha mulher, minha tesuda,quero sentir vc me dando, amor…ela gemia: sim…te amo….faz…aiiiidelicia….me chupa, quero sentir sua lingua sua boca na minha bucetinha….então comecei a chupar os seios dela, ela gemia muito…então desci minha boca naquela buceta melada quente, o grelo tão duro de tesão, eu estava alucinada, ela também, até que ela começou a gozar:aiiiiidemaiiiiiiiis…então tirei minha boca e comecei a beijar ela, abri as pernas dela e cruzamos as pernas esfregando nossas bucetas uma na outra até que gozamos juntas, eu estava gozando eu gemendo falei: aiiiiiilinda, tesuda, te quero Nanda…goza pra mim…quando nos acalmamos abraçadas ela falou: pq Marcela? pq vc está comigo se vc quer a Fernanda? eu falei: pq vc está falando isso agora, nesse momento tão gostoso? ela falou? pq vc me chamou de Nanda…quase morri de vergonha, então falei: me desculpe, não consigo tirar ela da minha cabeça, ainda mais que ela me contou sobre o que aconteceu, me confundiu, preciso de um tempo, me desculpe…ela se levantou, tomou um banho muda, me pediu uma roupa emprestada e me pediu pra chamar um taxi, falei que levaria ela, mas ela não aceitou, não insisti, chamei um taxi e ela foi embora, passei a noite pensando na Fernanda, de manhã no restaurante do apart, encontrei o casal 20 tomando café, me aproximei da mesa, Fernanda me olhou quase suplicando com os olhos que falasse com ela, o prefeito se levantou todo educado, eu sentei e falei: Prefeito, vou dar um aviso pro senhor, não se aproxime mais da Carol, se isso acontecer denunciarei o senhor na delegacia e pros jornais, o senhor sabe que sou uma pessoa conhecida no meio jornalistico e acabaria com o senhor…ele quase infartou, Fernanda falou: o que é isso? o que aconteceu? falei: o seu marido tentou violentar minha amiga, ela estava toda rasgada e assustada, ela tem só 18 anos, posso processo o senhor…Fernanda fuzilou ele com olhar e disse: vocé é deprimente, Marcela me desculpe, isso não vai mais acontecer, eu prometo..ele pediu desculpas, me implorou pra não divulgar mais, então falei: em vez do senhor violentar meninas, pq não presta atenção na sua mulher, é linda, irresistível, e vou te contar um segredo: a Carol não é minha amiga, somos namoradas…Fernanda ficou pálida, o prefeito até engasgou e falou: me desculpe…então falei: cuidado, prefeito, adoro mulatas…me levantei e sai do restaurante e fui pro trabalho, quando cheguei na casa do chefe, não vi Carol e perguntei sobre ela, ele me disse que ela tinha ligado e que estava passando mal, ele então dispensou ela, sei que ela estava tentando não me encontrar, trabalhamos a manhã toda, depois fui almoçar com ele, e de lá fui pra casa, no caminho não parava de pensar na Fernanda, então quando cheguei fui direto pro apart dela, quando ela abriu a porta, fui entrando, ela estava linda só de robe e falou: Marcela, me desculpe, por tudo que aconteceu com a gente e com a sua namorada..falei: esquece, no final das contas vc não teve culpa de nada, cadê seu marido? ele está numa conferência só vem a noite, ele quase infartou com tudo que vc disse, e depois me disse que não me quer mais com vc, disse que vc insinuou que poderia me cantar…falei: estou com saudades…então puxei ela pelo braço e nos beijamos, abri o robe dela, mordendo todo o corpo dela, ela me chamava de amor, que estava louca de saudades e tesão, então fomos pro quarto, ela se deitou,eu falei: se masturba pra mim, quero ver, adoro ter ver se masturbando…ela então começou dedilhando no grelo, e a outra mão apertando os seios, os olhos vidrados em mim, eu passava a lingua nos lábios, ela gemia: vem,Marcela, vem, faz em mim, passa essa lingua na minha xota….então subi nela e abaixei minha buceta na boca dela falando: me chupa, chupa minha xota, meu grelo, quero gozar na tua boca…ela comecçou a chupar eu esfregava na cara dela, na boca,: aiiiiiisso enfia o dedo também…assim ela fez até que gozei: puta…..puta…..vadia…..te quero…..quando me acalmei, nos beijamos e começamos a fazer um 69, até que ela não aguentou e parou de me chhupar, ela gritava, gemia, pedia mais e mais, e gozou, enfiei um dedo, depois outro, ela queria mais, então peguei a escova de cabelo e enfiei na xota dela, ela deu um grito, eu falei: isso, VAGABUNDA, grita, assim, vc gosta…..ela gritava: sim…muito….me chupa…..eu chupava e enfiava o cabo da escova até que ela gozou, quase desmaiando, virei ela de costas e bati na bunda dela: fica de 4, cadela, fica…ela falou: espera um pouco…bati mais: não agora negra suja, quero fuder seu cu….ela ficou eu comecei a chupar o cu dela e bater uma siririca no grelo dela, ela gemia, rebolava, então enfiei o cabo da escova, ela gritou, pulou, puxei os cabelos dela, subi em cima dela, e enfiei mais e mais, ela rebolava, sai de cima, ela ficou de 4, eu beijava ela, apertava os seios, enfiava mais e mais o cabo, desci minha boca até a xota dela e ela gozou: aiiiinão aguento, para…..qdo ela acalmou, me levantei, virei ela de frente e esfreguei minha buceta no bico do seio dela e gozei:aiiiiminha puta gostosa,assimm, delicia…ficamos deitadas, eu falei: Fernanda, essa foi pra vc não esquecer mais de mim…me levantei, me arrumei e sai, quando eu estava saindo do apart, o prefeito vinha entrando, eu falei: eu avisei pro senhor, cuidar da sua esposa, ela é demais de quente….ri e sai, ele ficou paralisado.

Referência do Anúncio ID: CT-000019949

Não há Tags

6798 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 121 Guests, 13 Bots