Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Num Dia de Chuva II

  • Publicado em: 18 de fevereiro de 2008 09:17
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Meu nome é Renato, eu estava num acampamento com meu amigo Julio e sua namorada Helena, uma morena de fechar o comercio, o bebércio, a indústria e tudo o mais. Tinha rolado muita sacanagem entre a gente, depois que saímos do riacho, almoçamos e tiramos uma parte da tarde para descansar, tiramos uma rápida soneca e quando acordamos, ainda estava dia, resolvemos continuar nossas bricaderinhas que tinham sido muito gostosas, o Julio disse que tinha adorado e que contava com a minha criatividade para apimentar ainda mais aquela relação que já era deliciosa. Ele me disse que me ajudaria e entregou-me uma mochila, dentro dela verifiquei que tinham vários brinquedinhos para apimentar a relação sexual, como algemas, vibradores, chicote, venda para os olhos, entre outras coisas. Ele me disse que aquilo ajudaria a fluir melhor a minha imaginação.

Estávamos quase nus, vestíamos apenas um short cada um e a Helena usava sua mini saia sem nada por baixo, tirei a saia dela e como o Julio continuava de short, retirei aquela peça incômoda dele e depois a minha. Retirei da mochila uma venda para os lhos e disse que faríamos uma brincadeira, essa brincadeira começaria com a Helena que ficaria vendada e deveria adivinhar qual de nos dois tocaria em seu corpo, ela aceitou na hora e deixou-me colocar a venda em seus olhos, para apimentar ainda mais a brincadeira algemamos seu braços em dois galhos de uma pequena árvore, de forma que seus braços ficaram abertos. Fizemos silêncio, eu tirei da mochila um pênis de borracha que era mais ou menos do tamanho dos nossos, comecei a esfregar a cabeça bem no meio da sua racha, ela gemia e dizia que iria adivinhar de quem era aquela pica. Ela não podia esticar os braços que estavam presos, mas levantou uma das pernas e fez movimentos laterais na esperança de encostar no dono da pica que se esfregava em sua xoxota. Mas como era um pênis de borracha e eu estava localizado ao lado dela, ela não conseguiu encostar em mim e estranhou, pois a cabeça da pica continuava roçando em sua xana, ela ao mesmo tempo em que tentava descobrir o dono da pica, gemia gostoso e se contorcia todinha. Não tendo como descobrir ela resolveu arriscar: Essa pica é do Renato, pois tá um pouco diferente da que conheço bem, mas mete tudo em mim logo, que tá uma delicia e tá me deixando cheinha de tesão. Falamos para ela: GATA você errou, tiramos a venda e ela pode ver que quem a penetrava era um pênis de borracha, nessa hora enfiei o pênis todo e comecei um vai e vem rápido que enlouquecia aquela fêmea, como eu não tinha que me preocupar em segurar o orgasmo, pois a pica não era minha, fazia vai e vem numa velocidade alucinante, ela berrava de tesão:

Huuuuuuuummmmmmmmmmmmm

Que gostoooooooooossssssssooooooooo

Aíiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Fode minha buceta que eu tô

Adoraaaaaaaaaannnnnnnnnnnnnnddoooooooooooooo

O Julio pegou um vibrador em forma de pênis que era maior que o pênis de borracha que estávamos usando, e também maior que as nossas picas, ele me fez retirar o pênis de borracha e introduziu de uma só vez o brinquedinho na bucetinha da namorada dele. Como era uma tora maior ela deu um berro, nisso ele deu-lhe um tapa a cara e lhe disse:

Fique quieta sua vagabunda, tu aguenta coisa maior.

Ela ameaçou retrucar algo e levou outro tapa, desta feita na outra face, nessa hora ela parecia mais conformada e pediu para ele.

Ammmmmmmmmmmooooooorrrrrrrrrrrrrrrr

Liga esse troço gostoso dentro de mim, liga

Quando ele ligou o vibrador parecia que ela tinha sido ligada literalmente numa tomada, ela começou a estremecer o corpo de uma maneira louca, parecia uma cadela selvagem no cio. Eu aproveitei e enfiei o outro pênis menor no cuzinho dela, que já estava com o caminho aberto pela pica do Julio e comecei um vai e vem, a gata alucinou de vez.

Huuuuuuuuummmmmmmmmmmmmmmmm

Tá gostoso deeemmmaaaaaiiiiiiiiissssssssssssss

Fode minha buceta e meu cu

Me arromba gostoso

Me come

Me fode

Judia de mim

O Julio dava tapas nas sua nádegas e isso a excitava mais e mais, até que aquela morena gozou, ela gozou profundamente, até perdi a conta do tempo, sei que parecia interminável o seu orgasmo.

Depois de desamarrada ela descansou um pouco, mas o fogo da danada parecia interminável, ela mesma levantou-se e disse, vamos continuar a brincadeira. Dessa vez fizemos o sorteio para ver quem iria ficar amarrado e vendado, o Julio foi o escolhido. A Helena pôs a venda em seus olhos e depois o algemou da mesma forma que ela tinha sido algemada, ele estava nú, com sua pica em riste, sua GATA chegou por trás dele e deu uma rápida lambida em seu cú, ele não arriscou e disse que isso tinha sido muito rápido. Cheguei perto de seu ouvido e lhe disse:

E se eu disser que foi a minha língua que te lambeu, você acredita???

Ele ficou pensativo e a Helena aproveitou para passar a cabeça do pênis de borracha de leve na entradinha de seu cu, dessa vez ele mesmo se apressou e disse, foi voce seu babaca, vai dizer que não??? Nessa hora eu dei-lhe um tapa na cara e disse:

Errou, seu idiota!!!!!!!!!!!!!!!!

Seu castigo será ser ensanduichado por nós dois, me diga quem você refere que fique atrás de voce???

Rapidamente ele respondeu:

A Helena.

OK.

Posicionei-me na sua frente, estávamos roçando pica com pica, mas quando a Helena encostou nele, ele percebeu algo estranho, ela tinha pego um consolo de amarrar no corpo e encostara cabeça do consolo em eu cuzinho, ela abriu o cu dele o mais que pode e sem dó e nem pena meteu tudo até talo do consolo. O cabra era macho mesmo pois deu apenas um pequeno grito, aí a Helena começou a comandar as ações, ela era o “macho” naquele momento e fudia gostoso o cuzinho do seu namorado, ela dizia para ele:

Tá gostoso, meu viadinho, tá???????

Ele não tinha condições de retrucar e respondia:

Táaaaaaaaaaaaaaaaa minha GATA

Ta bom demaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiissssssssssssssss

Huuuuuuuuuuuummmmmmmmmmmmmmm

Mete mais que teu vadinho tá adorando.

Eu do outro lado me segurava nas mãos da Helena e me esfregava gostoso no corpo do Julio, minha pica roçava nele e a sua roçava em meu corpo, estava muito gostoso e eu não me contive, abaixei meu corpo e caí de boca na pica do meu amigo, eu já tinha chupado a pica de um menino e quinze anos, mas a de um homem adulto era a primeira vez, aquele mastro era maior, e o pior eu estava gostando, eu comecei a mamar e não queria parar mais, sabia que ele não demoraria a gozar, mas não consegui para de mamar naquele mastro rígido e ao mesmo tempo macio, e isso aconteceu, ele começou a gozar loucamente, o primeiro jato de porra foi direto na minha garganta e me fez engasgar, aí ele começou a gritar para mim:

Engole toda minha porra seu viadinho, vai engole

Seja homem, não deixe sobrar nada, engole tudo vai

E tentava obedecê-lo, mas parte de sua porra escorria pelo meu rosto e pelo meu corpo, mas no final lambi tudo, até a última gotinha de porra, deixando a pica limpinha. Nós o desamarramos e deixamos ele descansar um pouco.

Mais tarde chegou a minha vez, sabia que poderia esperar qualquer coisa, mas estava na chuva e queria mais era me molhar mesmo. Me vendaram e amarraram da mesma forma, eu fiquei quietinho esperando pelas surpresas preparadas pelos meus anfitriões, percebi algo que me parecia com uma xoxota roçando na minha bunda, aí me perguntaram:

Quer que deixemos isso na sua bundinha????

Como aquilo estava bom eu disse que sim. Quem estava roçando em minha bunda era o Julio, só que de costas, ele se virou e disse o meu ouvido que embora e não tivesse notado era ele quem se esfregava e mim, e como eu queria que continuasse ele me abraçou por trás, aí eu comecei a sentir seu caralhão duro roçando em minha bunda, a Helena veio pela frente e me disse que agora eu seria escravo sexual deles, minha pica estava em riste, ela encaixou em sua xana e eu a penetrei com facilidade pois ela estava mais do que lubrificada, nesse momento o Julio apontou o cabeção a sua pica na enradinah do meu cuzinho, eu me lembrei que nunca tinha dado o cu, e embora estivesse cheio de tesão, pedi que ele fosse carinhoso, pois era a minha primeira vez, ele por sua vez me disse:

Tu não é macho??????????????/

Então vai ter que aguentar a minha pica todinha.

Vou meter tudo de uma só vez e bomar gostoso no seu cu, seu viadinho, e tu vai pedir mais e mais.

Vou arrombar esse cuzinho gostoso e tu vai pedir bis.

Meu tesão era total, pois a buceta da Helena era uma delicia e ela me fazia vai e vem sem parar então comecei a pedir para o Julio:

Cara, eu tô cheio de tesão.

Mete essa tora no me cu agora, mete

Mete tudinho, bem gostoso vaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Mete que eu não aguento mais de tesão, me gostoso, mete

O Julio esfregava cabeça da pica na entrada do meu cú e a cada pedido meu me dava um tapa na cara e dizia:

Toma na cara seu viadinho, toma.

Pede pica, vai pede!!!!!!!!!!!!! E me dava outro tapa.

Eu pedia;

Mete logo esse caralho no meu cu, gato gostoso mete que eu tô maluquinho de tesão.

Ele ouvia meus pedidos e me dava novas bolachas no meio da cara, as vezes batia nas minhas nádegas, até que num dado momento ele encaixou de novo e numa só estocada fez aquela tora desaparecer no meu cuzinho virgem. Me senti sendo rasgado ao meio, dividido em dois, soltei o maior berro da minha vida, vi estrelas, a dor era imensa, mas ele foi carinhoso nessa hora, permaneceu imóvel e pediu para sua GATA também ficar imóvel, no meu ouvido ele sussurrava baixinho que eu ficasse calmo porque a dor iria passar rapidamente e eu só sentiria prazer e teria o orgasmo mas forte da minha vida. Ele falava ao meu ouvido e me acariciava, sua GATA também me fazia carinho, realmente a dor foi diminuindo e em alguns minutos eu sentia aquela tora dentro de mim mas não sentia mais dor e também não incomodava, a sensação era estranha, mas boa, comecei a movimentar o meu corpo, tentava fuder a Helena e ao mesmo tempo me atolava mais que pudia naquele mastro durísimo que estava todo atochado no meu cú. O Julio percebendo a minha excitação recomeçou seus movimentos, segurou a sua GATA pelas mãos e me apertou contra ele, começando um vai e vem frenético no meu rabo, aquilo foi uma loucura, algo totalmente novo e quase indescritível, fiquei tomado pelo tesão:

Huuuuuuuuuuummmmmmmmmmmmmmmmmmmm

Huuuuuuuuuuummmmmmmmmmmmmmmmmmmm

Huuuuuuuuuuummmmmmmmmmmmmmmmmmmm

Huuuuuuuuuuummmmmmmmmmmmmmmmmmmm

Huuuuuuuuuuummmmmmmmmmmmmmmmmmmm

Que delícia!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Fode meu cuzinho, foooodddddeeeeeeeeee

Aíiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Come meu cuzinho meu macho gostoso, come

Vaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Me fode gostoso, isso tá uma delicia, nunca tive uma sensação tão intensa e gostosa. Ele e fudia com vontade e começou a alternar carícias e tapas em meu rosto, o mesmo fez a Helena, eu não me aguentei mais, e tive realmente o orgasmo mais intenso da minha vida, enchi a xoxota daquela morena maravlhosa com litros de porra, gozava e berrava:

Eu tôooooooooooooooooooooooooooooooooooo

To to to to to to

gozaaaaaaaaaaaaaannnnnnnnnnnnnnnnndddddooooooooooo

Huuuuuuuuuuummmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm

Que delíiiiiiiiiiiiiiiiiiiiccccccccccccccciiiiiiiiiiiiiiiiaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Táaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

Deeeeeeeemmmmmmmmmaaaaaaaaiiiiiiiiisssssssssssss

Os dois não resistiram e gozaram junto comigo, o Julio encheu meu cuzinho com seu leitinho e depois me soltaram e arriamos os três no chão, exaustos e completamente saciados.

Já estava próximo de anoitecer, então resolvemos fazer nosso

jantar e entramos na barraca, estava um pouco frio mas a barraca nos protegia bem, ficamos deitados lado a lado, eu no meio, estávamos completamente nus e abraçadinhos. Trocávamos carícias e nos recordávamos das nossas brincadeiras naquela tarde, tinha sido maravilhoso, a Helena se virou e e tascou-me um beijo na boca, depois ela literalmente colocou-se por cima de mim e bejou o Julio, nesse momento seus seios ficaram a minha mercê e claro, dei gostosas mamadas neles. Quando ela retornou para seu lugar, lembrei-me do beijo que tinha dado num menino de quinze anos, tinha sido delicioso e fiquei pensando como seria beijar a boca de um homem adulto, não resisti e virei-me na direção do Julio, cheguei meu rosto perto do dele, ele continuou me encarando normalmente, cheguei meus lábios pertinhos dos dele, quase colando-os, ele permaneceu imóvel, não resisti e lambi seus lábios que se abriram e receberam a minha língua e em seguida a minha boca, a sensação era diferente mas era muito boa, eu não conseguia parar e nem ele tentava isso, então me soltei da Helena e praticamente subi naquele macho e fiquei beijando-o, nossos corpos se roçavam e, claro, nossas picas um no outro, depois de um tempo disse a ele que agora era a minha vez, eu teria a minha forra e ele seria a minha putinha. Ele disse carinhosamente para mim:

Demorou, meu macho, vem que e vou ser todinha sua.

Me coloquei de cócoras sobre sua cara e ofereci meu saco para ele chupar, que linguinha gostosa, acho que ele também gosta disso e sabia muito bem como fazer, as vezes ele lambia ate a entradinha do meu cu e isso me lavava ao delírio, depois chegue-me um pouco para trás e ofereci meu mastro para ser chupado por ele, ele abocanhou e fez uma chupeta maravilhosa, não deixava nada a desejar em relação à Helena, e chupou por vários minutos, depois pedi que ele se virasse de bruços, ele assim o fez, então ordenei que ele empinasse bem sua bundinha para cima e arreganhasse o mais que pudesse seu rabo para mim. Me coloquei por cima dele deixando minha pica encaixada entre suas pernas, mas sem me preocupar em acertar seu buraquinho, apenas fiquei roçando nele, apalpando seus mamilos e beijando seu pescoço, por vezes eu dava uns tapas em seu rosto e o chamava de minha putinha safada, ele gemia e delirava de tesão. Sua namorada desde que a soltei ficou ao nosso lado batendo uma siririca muito louca, ela ficava cheia de tesão nos vendo transando.

Eu continuava roçando meu corpo no do Julio quando a a cabeça da minha pica achou naturalmente a entardinha do cuzinho dele, foi de forma expontânea e por isso a sensação foi muito gostosa, a cabeça penetrou e eu não tive dúvidas, forcei e meti até o talo naquele cuzinho apertado e gostoso. Ele era macho mesmo, pois deu apenas um gemido mais alto. Eu esperei um tempo, pois aquele buraco apertado deixou minha pica dolorida, depois de uns minutos comecei a bombar naquele macho gostoso, que naquela hora era a minha putinha safada. Ele ficou doido de tesão e eu também:

Aíiiii Julio que cuzinho gostoso você tem

Huuuuuuuuummmmmmmmmmmmmmmmmmmmm

Ele retrucava:

Mete gostoso em mim, mete meu macho.

Fode o cuzinho da tua putinha, fode

Foooooooooooddddddddddeeeeeeeeeeeeeeee

Fode meu cu, meu gostoso fode

Come meu cuzinho que eu tô louco de tesão, come!!!!!

Eu metia cada vez com mais intensidade, e dava tapas na cara dele, até que ele entrou quase que em convulsão, estremeceu todo seu corpo e começou a gozar intensamente, eu não resisti e enchi o cuzinho daquela putinha safada de porra. A Helena também não resistiu e gozou gostoso se masturbando ao nosso lado.

Depois disso dormimos os três como anjinhos, pois no dia seguinte teríamos que retornar, já que o Julio receberia em sua casa no final do dia um sobrinho que morava no interior e passaria uns dias em sua casa. Estávamos bolando muitas cosias para apimentar a estadia dele na casa do tio, mas isso eu conto da próxima vez.

Referência do Anúncio ID: CT-000037893

Não há Tags

6705 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Informações deste Autor

  • Autor: assembleiac
  • Membro desde: 6 de novembro de 2007

Contos publicados por assembleiac

Últimos itens anúnciados por assembleiac »

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: adrianosacana, 48 Guests, 23 Bots