Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Nunca imaginei que trairia meu marido desta forma!

  • Publicado em: 3 de julho de 2017 03:57
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

De todas as possibilidades que já passaram pela minha cabeça, de como trair meu marido e qual era a necessidade de fazer isso eu nunca fui muito longe com minha imaginação.

Me chamo Katy, tenho 25 anos, tenho 1,69, pele clara, cabelo quase loiro e alguns quilinhos acima do peso, seios grandes e um quadril largo.

Não faz muito tempo eu havia me envolvido com minha coordenadora, trocamos alguns beijos e até saímos juntas, isso pra mim foi um tabu quebrado, já que nunca sequer pensei em trair meu marido, temos pouco tempo de casados, apesar de muito tempo que nos conhecemos.

Nunca me atraí por nenhum homem além dele, a não ser os galãs da globo e de hollywood rsrsrs. Como sempre fui muito simpática converso com todo tipo de homem, desde os mais idiotas (que são vários) aos mais gentis e simpáticos. Onde trabalho tem um rapaz que gerencia o condomínio (trabalho em um prédio) que é um desses mais simpáticos. Ele é um pouco mais velho que eu, tem seus 40 anos, é moreno e pelo que sei recém separado.

Em muitas conversas com ele, percebi que ele sempre olha as moças, reparava em meus decotes e sempre que vinha com algo diferente ele fazia questão de soltar um elogio;
Hoje a senhora tá arrasando hein?!

Acho que pela sua simplicidade e humildade sempre me chamou de senhora, o que eu sempre digo que é formalidade demais e não tem necessidade. Dia desses eu estava um pouco empolgada com algumas coisas que vinham acontecendo e assim que ele me elogiou (eu estava com um vestido de decote pequeno na frente e aberto nas costas);
Como sempre a senhora veio toda produzida rsrsrs

Eu prontamente respondi
É só pro senhor me elogiar

Ele sorriu e respondeu;
Se a senhora não me chamar de senhor eu não te chamo de senhora, pode ser só Antônio, tá bom?

Eu só concordei com a cabeça e um sorriso. Me direcionei pra minha sala e fui sorrindo para meus afazeres. O dia foi puxado e por algumas vezes eu ficava lembrando do que havia acontecido, o sr. Antônio reparava mesmo em mim coisas que meu marido mesmo sendo mais novo e com mais apetite sexual não fazia.

Os encontros com o sr. Antônio era quase que diários, raramente ficava sem vê-lo. Lembro que o dia que nos tornamos um pouco mais íntimos foi depois de uma tempestade, eu estava chegando da rua, tinha saído pra pagar umas contas e voltei um pouco molhada, ele olhou pra mim sorrindo e perguntou se estava chovendo muito. Notei que minha blusinha estava mostrando demais, e rapidamente tentei cobrir, disse a ele que não olhasse pois eu estava obscena rsrs, sr. Antônio olhou fixo para meus seios, reparando que os biquinhos ficaram realçados com a blusinha molhada.

Fui pra minha sala rapidamente, fiquei super envergonhada, mas não tirava o sorriso do rosto, aquele homem era meio pervertido, acredito que ele é do tipo que frequenta zonas, vai a bares afim de noites de sexos e etc….

Na hora de ir embora eu passei perto da salinha dele, onde ele atende os telefonemas e faz suas anotações de trabalho, ele me olhou e disse pra eu tomar cuidado com a chuva, sorri e perguntei se ele tinha alguma sombrinha, ele rapidamente se levantou e pegou em seu armário uma sombrinha que havia ficado perdida, peguei em sua mão como forma de agradecimento, sorri e saí tentando me empinar um pouco, queria mostrar mais meu bumbum como forma de agradecer.

Chegando em casa fiquei pensando como eu poderia agradecê-lo pela preocupação, resolvi então me exibir um pouco, talvez tocar meus seios quando nos vissemos, ou morder a boca, sei lá, eu precisava agradecer de uma forma mais “safada”.

Na primeira oportunidade eu o agradeci, olhava nos seus olhos e com umas das mãos tocava meus seios, como se fosse sem querer, ele olhava fixo mais uma vez pra minha mão. Aquilo foi o suficiente pra eu entender que era mais que um olhar safado de homem, já estava virando desejo.

Perguntei ao sr. Antônio se ele me achava atraente, e ele sorrindo meio assanhado disse;
Mas é claro que eu acho ué, a senhora é muito bonita

Eu então peguei em suas mãos, eram bem grossas, provavelmente devido a muitos trabalhos duros ao longo da vida, eu sorri e disse que eu percebi que ele me olhava, neste momento ele tentou desconversar, disse que ele precisava do emprego, não era o que eu estava imaginando.

Comecei a dar risada, disse que não queria prejudicá-lo, aquilo não saíria da minha boca, ele então se acalmou, e pediu várias desculpas, eu então disse que não havia problema algum, que iria pra minha sala mas na saída eu passaria na sala dele pra conversar.

O dia passou devagar, mas finalmente deu o horário de sair, me despedi da minha coordenadora, ela que já estava reparando essas minhas atitudes rrsrs e fui até a sala do sr. Antônio, chegando lá ele estava sozinho, parei na porta e ficamos conversando, em um momento da conversa resolvi tirar meu peito, sr. Antônio se assustou, arregalou os olhos e disse que aquilo poderia dar problema, mas não desviava o olhar. Disse para sairmos na sexta, beber uma cerveja e conversar mais a vontade, ele topou.

Eu estava prestes a trair meu marido e isso estava partindo da minha vontade, eu queria aquele adultério, estava sonhando em sentir outro homem. Neste dia quando cheguei em casa notei que meu marido havia deixado o notebook ligado, quando fui desligar eu reparei várias abas, várias mulheres lindas, corpos perfeitos, entendi portanto pq meu marido havia esquecido um pouco de mim, eu não era mais suficiente pra ele.

Decidi que ficaria com o sr. Antônio simplesmente em troca de sexo, sem mais nenhum outro objetivo, ele era um homem tranquilo, provavelmente já tinha se envolvido com várias mulheres somente por sexo e eu seria só mais uma.

A esperada sexta feira chegou, saí mais cedo como de costume e fui resolver umas coisas, logo depois voltei pro local onde encontraria sr. Antônio, ficamos em um bar próximo do trabalho, avisei meu marido que estava com o pessoal do trabalho e que se ficasse muito tarde iria pra casa da minha coordenadora, pura mentira minha rsrs

Passados uns 15 minutos que sentamos um amigo do sr. Antônio se aproxima, muito inconveniente, já havia bebido algumas cachaças, falou muita besteira e não saía da mesa, já passava pela minha cabeça falar diretamente com ele sobre isso, então tomei coragem e disse ao meu “futuro amante” que queria sair dali pra um lugar mais reservado, o amigo dele vou muito machista em virar e perguntar;
Se você quiser eu posso ajudá-lo a te comer.

Aquilo gerou uma mistura de raiva e dúvida em mim, eu me ajeitei na cadeira e respondi que eu não era nenhuma puta como ele pensava. O rapaz se chama Cláudio, ele então sorriu e disse que se soubesse tinha falado com mais carinho. Rapidamente me levantei da mesa, sr. Antônio um pouco sem jeito pagou a conta e me acompanhou, o amigo dele ainda veio dizer que se eu mudasse de ideia ele seria o melhor homem que já me “comeu”.

No auge da minha raiva me veio a cabeça uma atitude louca, rapidamente esbravejei;
Vocês dois não são homens suficiente pra mim.

Sr. Antônio tentou amenizar e começamos a conversar, eu então comecei a pensar nas possibilidades e disse pra irmos então os três, eu seria a puta que aquele homem ignorante estava desejando.

Os dois se olhavam desconfiados e só acreditaram quando entramos em um motel, eles explicaram a situação e fomos pra um quarto. Chegando lá eu logo joguei minha bolsa na cama, e fiz questão de beijar o sr. Antônio, Cláudio ficou olhando e já estava ficando excitado quando eu então me aproximei e segurei seu pau por cima da calça jeans, ele rapidamente o tirou, eu toquei nele e me abracei com meu novo “amigo”, Antônio por sua vez já estava tirando sua roupa, eu olhava pra ele e sorria.

Tirei minha roupa, deixei meus grandes seios a mostra e pedi que se aproximassem, os dois já estavam nus, então me posicionei no meio dos dois, alí no chão mesmo, me ajoelhei e peguei os dois caralhos maravilhosos, Cláudio pra minha surpresa tinha o pau maior e mais grosso, enquanto Antônio estava depilado e aparentemente premeditando aquilo a alguns dias.

Chupei por alguns minutos os dois, mamava Antônio e lambia mais carinhosamente, enquanto o pau de Cláudio eu chupava com mais intensidade. Antônio se retirou e foi se deitar, me olhava como nas outras vezes, me admirava, me desejava, fiquei alí mamando meu amante. Fui para cama e comecei a esfregar minha buceta em Antônio, Cláudio não desgrudava de mim, passava o pau na minha cara, batia e puxava meus cabelos.

Fiquei de quatro na cama e pedi pro Antônio me comer, ele rapidamente colocou a camisinha e se pôs atrás de mim, segurando minha cintura, comecei a gemer e chupar Cláudio, quanto aquele homem de mãos grossas acariciava minha bunda e socava na minha buceta.

Cláudio estava louco de vontade de me penetrar, Antônio não queria me largar então pensei na possibilidade de preencher meus dois buracos, aquilo não seria tão doloroso pois eu adorava dar meu cuzinho ao meu marido, pedi a Cláudio que se deitasse, então fui por cima dele, coloquei a camisinha e comecei a cavalgar, meu bumbum ficava empinado convidando Antônio a vir por trás, eu subia e descia de um jeito safado, Cláudio começou a dar indícios que iria gozar, rapidamente me levantei e fui com minha buceta de encontro ao rosto dele, não pensou duas vezes e começou a chupar.

Antônio ficava olhando nós dois, parecia ainda admirando comigo, ele se aproximou e começou a tocar meus seios, eu tentava tocar aquele pau que eu tanto desejei durante toda a semana, a língua de Cláudio estava me tirando a razão, comecei a chamá-lo de filho da puta, desgraçado, o tesão me deixou maluca.

Me levantei e olhei nos olhos dos dois e perguntei se ele topariam me penetrar juntos, não precisou nem de resposta, Cláudio se ajeitou na cama pra ficar por baixo, Antônio parou próximo só esperando eu me ajeitar pra vir por trás. Eu ajudei os dois a trocarem de camisinha e beijei a boca dos dois safados, me coloquei de frente pra Cláudio e com o cuzinho aberto pra Antônio e prontamente eles me possuíram, me penetraram.

O pau grosso de Cláudio entrava e saía com facilidade da minha buceta encharcada, molhada de desejo, enquanto Antônio dava cuspidinhas no meu cuzinho pra ajudar a penetração, eu delirava, foi um momento de tesão extremo, meu corpo todo tomado, mãos por toda parte, dois caralhos maravilhosos, dois homens brutos me comendo, me fodendo forte.

Pedia pelo amor de Deus pra eles não pararem até eu gozar, foi então que em alguns minutos me contorci toda, fiquei super ofegante e me molhei toda, escorri no pau de Cláudio meu gozo. Antônio estava quase, pedi que viesse até minha boca, e foi o que ele fez, os dois se levantaram e começaram a se tocar próximo do meu rosto, meu Deusss, aquilo parecia um filme.

Cláudio com aquele pau enorme gozou primeiro, engoli até a última gota e chupei seu pau, Antônio demorou mais jorrou o dobro de porra na minha cara, dessa vez só deixei escorrer pelo meu rosto, os dois ficavam me olhando e me tocando, querendo pegar meus seios e sorrindo.

Foi um gozo que valeu por mil, fiquei satisfeita, não precisava mais nada, estava cansada e ao mesmo tempo realizada. Nos despedimos e peguei o contato de Cláudio, queria mais daquele brutamontes pra mim, eu estava com alguns pensamentos pro futuro rsrsrs

E assim terminou minha noite, me despedi de Antônio mais carinhosamente e de Cláudio recebi um tapa ousado na bunda, seguimos pra nossos caminhos e depois trocamos algumas mensagens (escondida do meu marido claro rs)

Espero que tenham gostado do meu relato.
Caso queiram entrar em contato fiquem a vontade katyf083@gmail.com

bjos da Katy

Referência do Anúncio ID: 9825953bdb926c6f

   

191 visualizações, 0 hoje

  

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: Moreno-62, copinhabr, 212 Guests, 18 Bots