Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

O Amigo Dele Gozou Dentro!

  • Publicado em: 11 de outubro de 2005 19:41
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Depois que Léo gozou em minha boca, deitei-me na cama, estiquei os braços e espreguicei-me, Eliomar permaneceu sentado no chão, olhando entre minhas pernas e Léo sentou-se na beirada da cama, ainda acariciando a rola que descansava, de súbito levantei-me e fui em direção ao banheiro, Eliomar veio logo em seguida e Léo foi preparar mais bebida, liguei o chuveiro e Eliomar me abraçou pro trás, sussurrou palavras de carinho e de sacanagem, suas mãos logo passaram a alisar todo meu corpo, com o sabonete ele percorria cada pedacinho do meu corpo, eu já sentia sua rola dando sinais de vida entre minhas pernas, rebolava para provocá-lo ainda mais, ele deixou meus seios em baixo do chuveiro e se esfregava em minha bunda, meus bicos ficaram intumescidos e a vontade de levar pinto aumentou, me virei e nos beijamos ardentemente, Eliomar lambia minha lingua e passeava em minha boca carnuda, que há poucos instantes se abasteceu de porra de dois machos viris e safados, mas ele nem se preocupava com isso o tesão falava mais alto e no meio do beijo estávamos em chamas para detonar uma foda selvagem, minha buceta ardia de desejo, nos enxaguamos e eu me agachei para boquetear sua rola gostosa, ele acariciava meus cabelos, me chamava de morena delicia e fazia a vara sumir na minha boca, de repente soltou: é inacreditável! Perguntei do que falava e ele disse: Jamais imaginava dividir a esposa de um grande amigo e ele ficar excitado com isso! Apenas sorri e o fiz gemer com uma linguada no canal do pinto, passava a lingua naquele cogumelo de forma a deixá-lo alucinado, ele me pegou gentilmente pela mão, e depois no colo, me levou para o quarto, Léo estava sentado numa poltrona e bebia uma taça de vinho, duas outras taças esperava por nós sobre o criado, mas nossa excitação era maior, Eliomar mostrando toda responsabilidade tirou da carteira uma camisinha, Léo levantou-se e caminhou até o amigo, eu me deitei na cama e abri as pernas, passando a lingua pelos lábios me mexia como uma serpente pela cama, Léo sussurrou algo no ouvido de Eliomar que esquivou-se, mas Léo tirou a camisinha de sua mão e Eliomar foi se chegando, deitou-se em cima de mim e nos beijamos ardentemente como dois namorados, olhou-me nos olhos e disse em meus ouvidos quase gemendo: costuma meter sem camisinha? Coloquei meus lábios em seus ouvidos e lambendo sua orelha disse: Só para amigos especiais a pedido do meu maridão! Eliomar respondeu com o corpo forte levantando-se e a pica ficou na frente da minha bucetinha, eu podia ver o rosto de Léo ao fundo quando a vara começou a entrar na minha xana, podia perceber o quanto aquele homem estava alucinado, a ponto de nem sequer pensar na esposa e nas conseqüências daquele ato, preocupava-me se não tivesse tomado meus remédios e estar pronta para dar feito uma vagabunda, sabia que Léo queria ver o amigo gozar dentro da minha buceta, era uma espécie de oferta ao amigo, Eliomar penetrou minha buceta e me deu um beijo gostoso na boca, percebendo que minha lingua estava gelada, passou a sugá-la com desejo, a sensação de sentir o mastro entrando na minha buceta era indescritível, principalmente vendo o rosto do meu amado de fundo contemplando o momento, cravei minhas unhas nas costas de Eliomar que gemeu e soltou o peso do corpo fazendo a rola entrar fundo, abria as pernas e senti um prazer enorme, Léo veio até a beirada da cama e passou a acariciar meus seios, Eliomar puxou-me um pouco para baixo, ergui as pernas a ponto de colocá-las em seu ombro, essa posição faz a rola entrar até o talo e eu queria gozar, essa posição também facilita para ver o leite escorrendo quando nosso amigo gozasse e não podia deixar de dar esse prazer a ele, Eliomar foi gentiu, penetrou-me a buceta devagar, foi enfiando o pinto até fazer as bolas acariciar minha bunda, Léo sem tirar os olhos da minha buceta, beijou-me carinhosamente, e então começamos a namorar, ele adora fazer isso, me beijar nos lábios, fazer carinho em minha cabeça e em meus seios enquanto outro homem come minha buceta, recostei minha cabeça em seu peito para que ele pudesse ficar de frente para a rola de Eliomar, e o amigo metia com vigor, minha buceta engolia a pica com facilidade e ele acariciava meu clitóris, estava uma sensação maravilhosa e Léo ali me carinhando e dizendo coisas deliciosas no meu ouvido, aquilo tinha se tornado em um namoro a três, Eliomar comia minha buceta como se come a esposa, gentil, porém de forma viril, a rola entrava e saia imponente, e não demorou muito para que virasse o rosto para Léo, ele entendeu o momento e beijou-me, minha lingua gelada e meu corpo estremecendo davam sinais do gozo que me invadia, curti a lingua de meu marido enquanto a buceta se contorcia de prazer, Eliomar percebeu no ato e passou a crava a pica com muita força, gozei divinamente levantando o corpo para que a rola machucasse meu útero de tanto tesão que sentia, beijar meu marido quando gozo é demais, Eliomar segurava minhas pernas e fazia o papel de comedor, a vara imponente não parava de me possuir, Léo batia uma punheta e logo minhas mãos estava a ajudá-lo, ele porém só tinha olhos para a vara do amigo me possuindo, os bicos dos meus seios pareciam que ia se partir de tanto tesão, a rola cheia de veias de Eliomar mostrava que logo despejaria o néctar do prazer, ele se agarrou em minhas pernas e passou a socar o pinto com força, como um touro cobre uma vaca, o barulho do impacto nos excitava cada vez mais, ele olhava direto nos olhos de Léo enquanto me comia, como se dissesse obrigado ao amigo, era uma cumplicidade enorme, Eliomar gemeu um pouco mais alto e percebemos que ele ia gozar, ele fez menção de tirar o pinto e Léo disse de forma seca e quase implorando: Goza dentro! Eliomar olhou o amigo e antes que pudesse dizer qualquer coisa Léo tornou a repetir: Por favor, dentro…Eliomar parecia não acreditar mas também não conseguia dizer não ao amigo, meteu a vara com gosto, puxou minhas pernas e lambia a parte interna delas, a vara entrou e saiu mais alguns instantes e ele gemeu, segurou minhas pernas longe do corpo e olhando para minha buceta contemplava o momento, Léo estava ajoelhado ao lado da cama, com o rosto já próximo da minha buceta, vendo de perto a gozada do amigo, Eliomar gozou gritando e gemendo alto, mostrando um prazer indescritível, só podia abrir as pernas e receber o prazer do nosso amigo, ele foi parando de se mexer, o pau ia saindo todo esbranquiçado e Léo estasiado assistia a cena, ele tirou o pinto da minha buceta e chacoalhou, espalhando porra pela minha buceta e pelo meu ventre, os lábios vaginais vermelhos e irritados pela fricção contrastava-se com a porra branquinha que saia da minha xana, eu sentia o liquido escorrer pelas partes internas da coxa, Eliomar havia gozado bastante dentro da minha buceta, parado, como se estivesse hipnotizado via sua porra sair da minha buceta, Léo puxou-me as pernas de forma que minha bunda ficou no limite da cama e minha buceta inchada à sua frente, eu olhava no rosto de Eliomar quando a lingua de Léo tocou minhas nádegas, levantei as pernas para ficar totalmente exposta, Eliomar entreabriu os lábios, ficando literalmente de boca aberta, enquanto o amigo gentilmente me lambia a buceta colhendo toda a porra, Léo subiu com a lingua entre minha bunda e a buceta, fazendo a porra de Eliomar ficar em sua lingua, subiu mais um pouco e deixou a porra no meu clitóris, levantei o tronco para poder curtir a cena também, fico alucinada com isso, Léo acariciava o clitoria e colhia a porra que ia saindo da minha xana, Eliomar saiu de trás de Léo e veio para o nosso lado para observar tudo, Léo foi colhendo a porra toda e deixando ali pouco a cima da buceta, enfiou a lingua lá dentro e mexeu com gosto, Eliomar apertou um dos meus seios e eu gozei na lingua de Léo, que enfiou a lingua lá dentro da buceta, depois de gozar feito uma puta sem vergonha na frente daqueles dois homens, vi meu marido cumprir sua fantasia, ele lambeu toda a porra concentrada e nos levantamos, estava um silencio gostoso, só uma musica de baixa tocando, quando nossos lábios se encontraram, sorvendo a porra do nosso amigo nos beijamos gostoso, eu e Léo nos beijávamos apaixonadamente e eu engoli todo o leitinho do nosso amigo que não acreditava no que via, Léo deitou-me na cama e por cima colocou a rola dura, meteu com sofreguidão enquanto eu via a bunda de Eliomar indo em direção ao banheiro atônito! Puta! Gostosa! Corno do caralho! Eu te amo! Eu também! Vou gozar cadela! Me enche de porra! Toma sua vadia, safada e prepara o cu, rameira! Ai eu gozei na vara dele como uma VAGABUNDA!

Referência do Anúncio ID: CT-000027462

Não há Tags

8074 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 111 Guests, 10 Bots