Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

PERDENDO A VIRGINDADE COM 04 PEÕES

  • Publicado em: 28 de dezembro de 2015 10:18
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Esta história é uma prova de que não se pode tomar remédios controlados e misturá-los com bebida alcoólica. Inventei de não dar bola e me dei mal. Tenho 45 anos e sou hétero. Minha esposa tem 40 e temos uma filha de 10 anos. Aconteceu há 3 anos. Minha esposa é enfermeira e tinha ido trabalhar à noite. Eu estava de férias, já no final. Trabalho em uma financeira em Guaiba, perto de Porto Alegre. Estava tomando um ansiolítico resolvi beber wisky. Não sabia que era pouco tolerante à mistura. Depois da 3a. dose comecei a me sentir mal; achava que estava bem, mas estava tonto. Estava de roupão apenas… Vomitei um pouco. Fiquei paralisado uns minutos. De repente, venho em minha mente que minha esposa estava me traindo e fiquei transtornado… Depois, passou um pouco… Mas o transtorno voltou e botei na cabeça de ir ao hospital, em Porto Alegre atrás dela. Enlouquecido, fui ao nosso quarto e vesti uma calcinha mínima dela. Tapou bem meu pênis que é bem pequeno (9 cm); desci as escadas e peguei o carro. Lembrei de tirar a calcinha e por uma cueca, mas achei que ninguém veria já que eu tava de roupão. Sai ensandecido atrás dela pela cidade e já estava na estrada, quando o pneu furou… Puta que pariu… Fui trocar o estepe mas não tinha forças. Estava drogado e saí pela estrada só de roupão. Estava frio, era março. Tonto, fui urinar no acostamento. Minha piroquinha devia estar com 3 cm com o frio e me mijei nas mãos. Continuei a caminhar e de repente não tinha mais iluminação. De repente, uma mão enorme me tocou no ombro… Levei o maior susto… Eram dois homens do campo, mulatos. Me perguntaram o que eu tava fazendo naquele lugar àquela hora. Já eram 11 da noite. Estava confuso… não consegui dizer coisa com coisa. Perguntei-lhes se eles estavam comendo a minha mulher! Eles deram risada. -Não, por enquanto… Como é sua mulher? perguntou o mais alto (acho que 1,95). Disse que era alta (1,75), peituda e loira. – Você não come ela direito? perguntou o mais baixo (1,80). Como todos os dias, disse. Eles riram… – Não mente, tio. – Como sim… tenho ereção todos os dias. E mostrei meu pauzinho. Eles deram gargalhada com o fato de eu estar de calcinha e com meu pipi encolhido. – Tio, isso parece um clitoris. Olha nossas linguiças. – Lembro de vê-los tirando os paus. Deviam ter os dois perto de 15 cm pois estavam flácidos. O mais alto me tocou na bunda.. – Para, sou macho. – Tio, e essa calcinha micro? O mais baixo, que era mais forte também, me segurou por trás, com as duas mãos pra trás. Estava completamente grogue e sem forças. Senti o pau duro nas minhas nádegas. O outro colocou sua mão no meu pipi, tapando-o completamente. – Cadê o clitoris? Com uma mão tentei tirar a mão do meu pauzinho e com a outra, afastar o caralhão do meu rabinho virgem. O robusto me colocou no ombro e me levaram pra dentro do mato. Eu dava soco nas costas, mas sem força alguma. Depois de uns 5 minutos, chegamos na barraca onde eles estavam pescando. Tinha mais 02 amigos. – Quero mijar. Falei. – Então vamos mijar todos. disse um deles, não lembro qual. Gargalhada geral… Todos com pissa de 15 – 18 cm flácidas e eu com meu de 3. – Quero ser o primeiro a comer essa fêmea. Disse o mais alto. Me deitaram e um deles começou a tocar com o dedo no meu cu. Outro a me masturbar. Na sexta ou sétima tocada gozei uma aguinha – meu esperma é pouco. O mais alto passou bastante margarina no meu rego e colocou seu cabeção superduro na ponta. Segurei seu pinto pra não deixar entrar. Não consegui fazer a volta nele. Era mais grosso que meu punho. Lembro da dor quando entrou; as bolas tocando meu rabinho. Foi carinhoso… ia e vinha bem devagar… em 2 ou 3 minutos senti o seu gozo e sua porra escorrer por minha perna. Quando saiu, saiu de mim um jorro de merda… não pude controlar. Me levaram pra barragem e me lavaram. O segundo era ligeirinho. Tinha um pinto de uns 22 cm e assim como entrou, gozou. Não sentia mais nada, estava drogado. o terceiro antes de me comer me tocou uma punhetinha. Gozei rapidinho. Fui por cima dele. Agora, transtornado, eu passei a me ver como mulher. Ia e vinha naquele pau grosso. Me bateu uma outra punhetinha e gozei em instantes. Não saia mais nada do pauzinho e já tava dolorido. Demorou uns 5 minutos. O quarto se contentou em me fazer chupar seu pau. Em menos de 1 minuto encheu minha boca de porra. Lembro apenas de implorar por mais pissa no rabo. Me levaram de volta pro carro e trocaram o pneu pra mim. Enquanto me levaram no colo, me masturbei. Era uma fêmea no cio. Na estrada antes de ir embora, ainda chupei os 4 paus enormes. Entrei no carro de calcinha e roupão, todo melecado. Cheguei em casa e pus a roupa no cesto. Apaguei. Minha esposa me acordou às 8 horas da manhã, à hora em que chegou do serviço. Não desconfiou de nada. Fiquei uns 3 dias com uma dor inexplicável no cu. Senti muita vergonha de tudo e espero não mais encontrá-los tão cedo. Ainda mais drogado.

Referência do Anúncio ID: 725567997384d63b

Não há Tags

3838 visualizações, 0 hoje

  

Uma Comentário para “PERDENDO A VIRGINDADE COM 04 PEÕES”

  1. Onde fica essa estrada tô achando que o meu pneu vai furar lá também kkkkk.

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Informações deste Autor

Contos publicados por zizigarcia@bol.com.br

  • O Autor não publicou outros contos.
Últimos itens anúnciados por zizigarcia@bol.com.br »

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: fppn2000@hotmail.com, 145 Guests, 17 Bots