Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Quase minha vovó

  • Publicado em: 14 de junho de 2006 11:21
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Sempre que ficava sozinho em casa gostava de ficar de bermuda e sem camisa, largadão, andando pelo quintal, ou assistindo tv, ao lado da casa da minha tia morava, dois senhores, Dona Cleide e o seu Lourival, um casalzinho de idade, ele tinha seus 80 anos e ela 69 para 70 anos, uma senhora alta, tinha seus 1,80 de altura, cabelos grandes, uma loira com reflexos, era muito bonito seu cabelo, tinha cerca de 65% deles todos grisalhos, era uma mulher forte, gorda, seios grandes e caidos, mas bem cuidada para sua idade, usava uns vestidos floridos, gostava de passar perfumes, baton… estas senhoras da cidade são todas enjuadinhas mas gente boa, gostava de conversar com eles na porta de casa, ele sentava em sua cadeira de fio e ficava lá a tarde toda, muitas vezer fiquei até escurecer, ficava escutando suas histórias. Um dia ele me contou que tinha sido o primeiro namorado de dona Cleide, foi a maior dificuldade para namorar com ela, pois o pai dela tinha o maior enjôo, filha caçula, e ainda por cima era muito nova, tinha acabado de completar seus 15 anos, mas graças a deus estamos juntos até hoje, nunca nos separamos, nem éramos de brigar. Achei aquela história dele muito legal, eles tinha muito amor um pelo outro, um cuidava muito bem do outro.

Um dia levantei cedo e sai para o quintal me deu uma vontade de mijar ali mesmo, e tirei minha rola e fui para perto do muro, e começo a urinar ali, quando fico com vontade de mijar minha rola fica dura, estava concentrado ali mas quando olho dona Cleide esta me olhando, fico todo sem jeito, mas não conseguia parar, ela viu que eu tinha visto e se disfarçou, a tarde fique sem graça para ir na porta, percebi que os dois estava sentados, conversando, rindo, eu fiquei la dentro assistindo tv, isso foi durante umas duas semanas, evitava cruzar se com eles, sai para ir ao mercado ele me chama, no portão de sua casa, me perguntando onde eu ia, falei que ia no mercado comprar carne, ele me pediu para entrar que queria que eu comprasse carne e um vinho para ele, foi lá dentro e pegou o dinheiro, dona Cleide estava na cozinha pois escutei umas vasilhas fazendo barulho, quando ele começou a conversar comigo, perguntou porque tinha sumido, falei que estava estudando, a Cleide ficou preocupada com você, não vem mais conversar com a gente, com isso ela vem saindo da cozinha toda sem jeito, nem olhei nos olhos dela com vergonha, ele pergunta para ela que carne que era para comprar, é você que vai ou o Pedro, é o Pedro pois já estava indo para tia dele, eu já estou velho tenho que evitar certas coisa, ela me chamou e falou quero um quilo de lingüiça toscana, nunca tinha visto falar nesta coisa, sempre comprava bife e carne de porco, pedi ela para repetir, ou anotar em um papel para mim, pois tinha medo de esquecer. Ela foi lá dentro e voltou com o nome anotado, em um pedaço de papel, agora não dá para confundir, o seu Lourival disse sorrindo é só você lembrar da minha lingüiça, eu fiquei sem graça, ai dona Cleide disse é melhor você lembrar da sua então da sua meu filho…. peguei o papel e sai pensando o que aquela senhora quis dizer com aquilo, fui imaginando o que falaria para ela quando chegasse para entregar o vinho e as lingüiças, quase quebrei minha cabeça de tanto pensar, mas quando cheguei notei que seu Lourival não estava, entreguei a garrafa de vinho e pedi para ela olhar se era desta lingüiça que ela queria, abriu a sacola e disse é sim.. e me agradeceu, quando ia saindo segurei ela pelo braços, sorri e falei que na hora que ela fosse comer lembrasse da minha, ela sem graça e sem jeito me falou que nem sabia como era a minha, pois não tinha olhado direito, me considera como um filho, e achou um gesto muito obsceno, fazer aquilo no terreiro da minha casa, pedi desculpas e falei que sempre quando fico com vontade de mijar meu pau fica duro, ela me olhou na bermuda e viu que ele estava duro e me falou vai então ao banheiro, falei onde fica???? Ela me chamou e me guiou ate o banheiro, fui vendo ela andando na minha frente, imaginando ela pelada, aquela mulher grande, bunduda, devia ter um pererecão, entrou no banheiro para juntar umas roupas que estava jogada fora do cesto, se abaixando virando aquele bundão para mim, entrei em silencio e tirei minha geba, ela de costas nem percebeu foi ai que comecei a urinar, quando caiu no vaso, e vez o barulho, ela se levantou me olhando assustada, olhava para minha rola encabulada, foi tentar sair mas eu a segurei, ela ficou bem próxima de mim, olhando para baixo e dizendo que eu era louco, se o Lorival me pegasse ali me mataria, alias mataria nos dois, balancei minha rola, espirrou gotinhas de urina nela, ela me empurrou e saiu para cozinha, chegando lá encontrou seu Lourival sentado, ela ficou sem jeito, super sem graça, toda desajeitada, passando direto para cozinha, meu pau muxou na hora … fiquei com medo do velho, ele me chamou e me ofereceu uma bebida, ficamos ali bebendo e converçando, pediu então para Cleide preparar um tira gosto, falei que iria ajudar ela a fritar, chego na cozinha ela de cabeça baixa, picando as lingüiças, nem me olhava, como já tinha bebido umas, cada hora que ela passava a faca na lingüiça eu dava um gritinho, ai…ai….ai…. percebi que ela a cada minuto passava cortava com mais força, olhei para ela e perguntei o que tinha achado da minha linda…. ela não respondia, ficava so picando a porra da lingüiça, fiquei dizendo que ela tinha gostado, que queria pegar nela, mamar, apalpar, beijar, sentir ela todinha dentro dela…. aposto que nunca viu nenhuma igual a minha, ela me olhou com uma cara, me mostrou que no fundo estava adorando aquilo, cheguei perto dela e puxei a bermuda e mostrei ela dura, ela olhou para sala para ver se o sr Lourival estava olhando, como ele nem estava vindo ela ficou encarando ela dentro do calção por uns 2 minutos sem se mecher, perguntei se queria pegar, ficou assustada, e se retirou colocando a manteiga no fogo, sai e fui para sala, estava começando o jogo do Brasil, ficamos lá assistindo quando já estava com 25 minutos de jogo, ela vem com uma travessa cheia de lingüiça, sr Lourival ficou todo feliz, meu pau não parava de ficar duro, ela comia a lingüiça e ficava olhando para mim, pude ver os bicos dos seios dela duros, sabia que a velha tinha ficado com tesão, mas não sabia como encostar ela na parede, comemos a lingüiça tomamos do vinho que tinha comprado, ela tomou um pouquinho, diz que adorava vinho, mas não era muito afim de jogo não, gostava de ver o Brasil ganhando….. Perguntei do nada porque eles não tinha uma empregada, ela que tinha que fazer tudo sozinha, e a casa deles não era muito pequena, ela sem pensar duas vezes falou que não dava certo com empregada, que a ultima que eles tiveram ela pegou o Lourival fazendo coisas com ela, seu Lourival ficou todo sem graça falou que ela tinha insistido, disse que estava necessitada, muito tempo sem fazer sexo, pois amor Cleide eu so fiz com você, nunca se esqueça disso, mas atrevido perguntei que tipo de coisas dona Cleide, fazia sexo com ela a tarde toda, nem esperava eu sair direito para igreja, e quando voltava as coisas estavam tudo sem fazer, tinha que ajudar, ate que foi o dia que peguei os dois, neste sofá, assistindo o jogo, o que os dois estavam fazendo dona Cleide???, ela percebeu minha jogada, e começou a contar tudo, cada hora ficava mas com tesão, contava detalhe por detalhe, ate que sorrindo falei que ela deveria contratar um homem assim seu Lourival não mexeria, ele sorrio e falou que poderia contratar que agora ela estava já velhinha e ninguém iria mexer, o que um rapaz faria com uma coroa como ela, já estava com tudo caído, dei um sorriso malandro, já estava com muito vinho na cabeça, falei para ele que eu saberia trabalhar com ela, poderia ajudar na cozinha, ele ficou sem jeito todo sem graça, e sorrindo me disse que no sofá não!!! Falei porque não? Porque eu não aceito moleque, não aceito ser traído, não quero trair o sr seu Lourival, quero apenas que o sr se sinta do outro lado, veja o outro lado da moeda, agora eu estou super necessitado, acho sua mulher linda, um tesão, não pretendo agir com falta de respeito com ela, vem aqui dona Cleide, senta aqui do meu lado, ela veio e sentou, segurei sua mão estava fria, tremula, quer tentar, sei que foi mulher de um único homem, também não sou de ter muitas mulheres, gosto muito de você, sei que nunca fez sexo, quero que libere suas fantasias comigo.

Desabotôo um botão do seu vestido, e procuro o bico dos seus seios, eram flácidos, ficou um pouco sem gracinha, mas disse no ouvido dela, que tinha os seios lindos, posso pega? Pode sim meu queridinho, pega no meu pau também vai? Ela pensou um pouco antes de agir, e foi por cima da bermuda, pegava com jeitinho, passava a mão bem de leve, segura vai…. coloca ele todo na mão.. meu deus esta muito duro, porque você esta assim meu filho, tem muito tempo que não seguro algo assim, ele é muito grande, pode colocar ele para fora, mostra ele para o seu Lourival, ele nesta hora olhava para gente, sem falar nada, ficava quieto no sofá, ela tremendo abriu minha bermuda, minha rola foi levantado ficando retinha, apontando para o teto, olhei para ela e falei que queria que ela me fizesse gozar e quero também que a senhora goze comigo, ela pegou no meu pau e tentando me masturbar, toda sem jeito parecia que nunca tinha feito aquilo em um pau, estava nervosa também, fazendo aquilo na frente do seu esposo, amassava os seios dela, sentia eles na minha mão, deslizava minha mão por todo o seu corpo, na sua barriga, ela adorava, ficava falando que ela era super quente, macia, cheirosa, pegava no meu pau agora mais a vontade, isso minha linda, minha loira gostosa, faz esse garotinho gozar vai, peguei tirei os seios dela para fora, mamei, mordia os bicos do peito dela, depois puxei e coloquei meu pau no meio deles, fazia movimentos, ele sumia no meio dos mamões dela, aparecia, sumia de novo, aquilo era delicioso, tinha os seios quentes, depois de um tempo fazendo aquilo passei minha mão em sua perereca por cima da calcinha, tinha uma bicha gorda, macia, parecia de borracha, peluda, sua calcinha estava inundada, quando puxei sua calcinha de lado não resiste e gozei no meio dos seios dela, deixando ela toda melada, foi ate no seu pescoço, passei minha mão espalhando por todo o seu corpo, deixei os seios dela brilhando lambuzado com minha porra, falei que queria chupar ela agora,,abocanhar sua perereca, ela não queria deixar de jeito nenhum falando que era perigoso, pegava bactérias, puxei sua calcinha, deixando ela peladinha no sofá, ela deitou, pedi ela que se sentasse e colocasse as pernas sobre o meu ombros, nesta hora vi o sanduíche dela arreganhado para mim, era carnudo, tinha grandes lábios, quando abri mais suas pernas e puxei com os dedos os grandes lábios notei que o buraquinho era bem pequeno, e ela tinha um grelo grande, estava durinho, molhado, cai de boca,, ela retorcia, gemia, a perereca dela a cada minuto que passava ficava mais molhada, falei se o Brasil ganhasse queira gozar dentro dela, deixo sim, pode gozar dentro de mim, você é um garoto saudável, viril, deixo você me arregaçar, mas por favor vai com cuidado, seu pau é muito grande nunca dei para um pau assim pois o do Lourival é bem menor que o seu, mais muito gostoso. Fiquei chupando ela ate que o kaká faz um gol, quando terminou o primeiro tempo falei que era agora, ela se levantou, foi sentando, deu aquele gritinho quando entrou a cabeça, seu Lourival da um grito da cozinha e fala que teria mais jogo ainda, ela ficou parada no ar, sem se mexer, alinsando suas costas disse falei que faltava pouco, ele estava era com ceumes, mas a neguinha ele não esperou para o jogo acabar, ela foi sentando, descendo, sentia arrebentando a cada estocada que dava, era maravilhoso, ela gemia parecia esta fazendo aquilo pela primeira vez, meu pau entrou tudo, ela rebolava, gemia, foi ate que gozamos juntos, no sofá de sua casa… ficamos abraçados ate acabar o jogo, beijando, pelado no sofá, ela dormiu nos meus braços, acordou depois que o jogo acabou com o barulho dos foguetes, falei a ela que agora queria ela sempre, ela disse que tinha que ver se o Lourival não importasse, falei que para tudo dava um jeito, e da proxima dona Cleide quero gozar na sua boca, ela disse que era nojento, falei que queria que ela mamasse no meu pau, fizesse uma chupeta bem gostosa…. e me vesti e sai de sua casa…

Referência do Anúncio ID: CT-000030054

Não há Tags

7510 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: isabellaexb, 233 Guests, 15 Bots