Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Reiniciando a vizinha no sexo

  • Publicado em: 15 de junho de 2011 10:44
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Minha mãe trabalha com compra/venda de imóveis, como moro num condomínio muito grande, mais de 1000 apartamentos, e sempre tem gente vendendo imóveis e foi assim que conheci Ana Paula (nome fictício), 35 anos, três filhos, se separando do marido, ela é muito linda, 1,60m, morena, sorriso lindo, corpinho mignon. Ana chegou aqui em casa dizendo que precisava vender o imóvel já que queria se separar do marido, ela estava vestindo um vestidinho muito lindo e curto, curto demais para uma mulher casada, e foi conversar na sala com a minha mãe, como era sábado eu também estava em casa e fiquei prestando atenção na conversa, pois minha mãe sempre pede minha opinião, e também na Ana. Conversa vai conversa vem, fomos à casa de Ana avaliar o imóvel, percebi que ela me achou muito alto, inclusive soltou um comentário sobre isso. Nós rimos, pois eu e minha mãe, já estávamos acostumados com esses comentários. Quando estávamos descendo no elevador comecei a olhar para o decote de Ana que percebeu e ficou envergonhada e jogou o cabelo na frente, mas soltou um sorrisinho malicioso. Descemos e andamos até ao térreo para ir até ao bloco onde ela morava e, como ela morava no segundo andar, resolvemos ir pela escada. Como minha mãe e ela estavam conversando, foram na frente e eu atrás reparando aquele vestidinho bem curtinho, me deixando excitado. Chegamos a casa dela, que por sinal era muito bonita, no meio da avaliação o namorado da minha mãe ligou e ela foi ao corredor atender. Então, Ana e eu ficamos sozinhos e ela continuou me mostrando a casa, como minha mãe fala alto, eu tive noção de quão longe ela estava e, nesse momento, ela foi me mostrar o quarto de casal. Foi quando eu elogiei a cama e disse que era muito bonita e aparentemente confortável. Ela me respondeu com um sorriso bem safado: “- Pena que eu não estou usando mais…” Eu falei, logo e direto: “- Se a senhora vivesse comigo, essa cama ia ter muita utilidade…” Ela riu e chegou mais perto de mim, deixou-se encostar, a mão dela envolveu o meu corpo e falou: “- Eu me sinto tão sozinha…” Eu, instintivamente, a abracei e ficamos ali. Com a voz da minha mãe ao fundo, deslizei as mãos nas suas costas e na sua nuca, pelo seu jeito de me apertar, parecia que ela estava há muito tempo sem ser acariciada e abraçada, eu falei o seguinte: “- Anota meu número… umas 18h00, normalmente minha mãe vai pra casa do namorado dela e, se ela for, dê uma passadinha lá em casa pra gente conversar um pouquinho.” Minha mãe acabou a avaliação nos despedimos e fomos embora. Não deu outra: às 17h30, minha mãe estava saindo para ir pra casa do namorado dela e eu fiquei em casa esperando o telefonema de Ana que só foi ligar as 18h15. Eu já estava super ansioso, ela falou que em 15 minutos estaria aqui para conversarmos, esperei e as 18h30 a campainha tocou. Era ela, linda, de sainha e um top muito lindo que realçava os seus pequenos seios, ela sentou de frente pra mim e começou a falar da sua vida, que seu marido não a procurava mais, que estava muito carente mesmo. Eu fui me aproximando e sugeri aquele abraço que tínhamos dado mais cedo para ajudá-la, ela prontamente aceitou, ficamos em pé e nos abraçamos por um bom tempo, as nossas mãos começaram a percorrer um o corpo do outro e em alguns minutos estávamos nos bolinando, eu já estava tocando aqueles pequenos seios e ela apertando a minha bunda e minhas costas, eu olhei bem nos olhos dela e lhe dei um beijo longo. Sentamos no sofá, eu comecei a tirar a sua roupa, ela deixando ser tocada, comecei com um bom beijo na nuca, fui descendo beijando os seus seios, deixei minha mão deslizar até entre as pernas dela, quando chequei na calcinha ela fechou a pernas, perguntei se ela queria parar, mas ela falou que aquela reação era de tesão mesmo, eu fiquei mas excitado com essa resposta e forcei a mão entre as pernas dela, no que ela foi abrindo devagarzinho e me deixou chegar até à calcinha. Enquanto passava a mão por cima da sua calcinha eu beijava os seus seios com muita vontade. Os gemidos que ela dava, pareciam estar guardados há muito tempo, e realmente estavam. Ela que estava sentada ao meu lado tomou a iniciativa e subiu no meu colo e ficou de costas pra mim no meu colo, eu aproveitei para levantar a saia dela até em cima e, então ficamos assim: ela esfregando a bunda na minha pica, que já estava bem dura, uma das minhas mãos nos seios dela, a outra sobre a calcinha e ficamos ali, nos tocando bem gostoso. Num gesto rápido, eu tirei a saia dela por cima da cabeça e a deixei somente de calcinha, a virei de frente a deitei no sofá ajoelhei no chão e comecei a beijá-la primeiro a boca, depois os seios que estavam com os bicos durinhos. Beijei até senti-los ainda mais duros e, quando ficaram mais duros, eu desci até a sua barriginha e depois até a sua boceta que estava toda molhadinha, lambi gostoso o seu grelo, o gozo que ela deu na minha cara foi muito gostoso, parecia que aquela boceta não gozava há muito tempo e me senti feliz por poder dar prazer a uma mulher tão linda, e eu ainda tinha mais a oferecer, e meu pau estava bem duro querendo uma boceta. Parei de lamber e fui falar umas sacanagens no ouvido dela, enquanto dedilhava a aquela boceta molhadinha: “- Gostosa, agora vou comer tua boceta toda vou enfiar a minha pica inteira lá dentro…” A sentei, levei a mão dela até minha pica totalmente dura: “- Você vai aguentar, vai né? Tu és muito safada que eu sei disso!…” Vi que ela tava bem molhada e a pus a camisinha. Ela, na hora, subiu no meu pau, e rebolou muito gostoso e com muita vontade, fiquei feliz em vê-la rebolar com tanto prazer, e ela sabia o que estava fazendo e embora ela fosse pequena a sua boceta conseguia esconder a minha pica toda… enquanto ela rebolava, eu gemia muito e a beijava os seios e apertava a bunda, as vezes brincando com a ponta do dedo no cuzinho dela, ela subiu e desceu bastante até cansar, como ela ficou cansada a pus de quatro e comecei a enfiar a meu pau com vontade, percebi que ela queria mesmo era um pau bem enterrado na boceta, eu entendendo isso enfiei mesmo o pau lá dentro e dei umas estocadas pra não perder o costume, ela gemia alto e muito gostoso a carinha dela estava linda, quando ela sentiu que eu estava pra gozar ela falou entre gemidos que queria que eu gozasse nos seus seios porque ela sempre pediu ao marido e ele nunca tinha feito pois achava coisa de puta, eu tirei da bocetinha dela devagarzinho e sentei no sofá, ela levou umas das mãos ao meu pau e a outra na sua bocetinha e ficou me punhetando enquanto se masturbava e passando o meu pau no bico dos seus seios, ela levou o meu pau até a boca, mas só lambia a cabeça dele e voltava a passar ele no seu seio, ela intensificou a masturbação em mim e na bocetinha para me fazer gozar mais rápido, ela realmente estava gostando disso, me deixei gozar em cima dos seus seios, ela fechou os olhos e ficou sentido o meu gozo em cima dela, depois disso ela pediu para tomar um banho pra se limpar, me deu um beijo longo e foi embora, três dias depois minha mãe vendeu o apartamento dela, e ainda não consegui vê-la de novo, mas espero encontrar alguém assim novamente.

Referência do Anúncio ID: CT-000050891

Não há Tags

10509 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 118 Guests, 16 Bots