Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Sendo molestada no ônibus do trabalho voluntário.

  • Publicado em: 3 de julho de 2017 04:57
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Olá meu nome é Gabriela, sou de pele branca cabelos escuros seios médios coxas torneadas e claro o Bumbum acompanha minhas coxas, não sou o estilo gostosona sabe mulherão, mas sou oque os garotos dizem ser filezinho, pois tudo isso esta distribuído em 1,50 MT de altura.
Bom sou uma garota que foi criada sobre forte vigilância de minha mãe e todos da minha família e meus amigos têm certeza que sou uma santinha e ingênua, acontece que sou uma garota com a cabeça voltada para o sexo, para onde eu olho vejo sexo e por isso acabo em sites e coisas assim, quero dizer que todos meus relatos são reais, assim como esse, pois ainda estava trocando mensagens com um amigo aqui do site e ainda mencionei que iria começar um trabalho voluntário, vamos começar.
Minha professora falou que iria dar aula por duas semanas em uma escola de uma localidade do interior aqui da cidade e disse que precisaria de duas voluntárias para ajudar ela pela parte da tarde, bem ela falou isto e ninguém se prontificou, mas quando ela falou que valeria nota na média do trimestre, eu me prontifiquei, a professora ainda disse que eu não precisaria pois estou passada, mas como mais ninguém se prontificou ela aceitou, mas antes me deu uma autorização para minha mãe assinar, pois bem seria o seguinte essa professora iria de manhã com o carro dela e eu iria de tarde em um ônibus da prefeitura mas depois poderia retornar com ela, mas eu teria que pegar o ônibus as 12:25h. Nada de mais começou na segunda o tal serviço voluntário, fui à parada perto de casa, vestindo uma blusinha meia manga, e uma calça jeans, quando chegou o ônibus escrito escolar do lado bem grande tinha adesivos de crianças nos vidros sabe aqueles adesivos furadinhos que não vemos de fora pra dentro, mas de dentro pra fora se vê tudo, eram esses, quando entrei me assustei ele estava cheio e eu era a única moça no ônibus, estava cheio de homens com inchadas, baldes de pintura, o ônibus tinha duas portas e entre elas tinha uma roleta, mas como ele abriu a da frente eu não passei pela roleta e me sentei na poltrona e fiquei os caras pareciam me despir com os olhos, eu ficava toda hora me olhando na câmera frontal e via os caras me olhando e se tocando cochichando com outros, bom chegamos à escola era 13h30minh fui logo levada na sala de minha professora que ficou muito feliz e disse que achou que eu desistiria, pois era horrível vir de ônibus da prefeitura, nada de mais ocorreu, ei ficava com a professora em sala de aula, de ajudante distribuindo Xerox e coisa assim, boa final do dia fomos embora às 17h30min e chagamos na cidade às 18h10min mais ou menos.
Fiquei lembrando os caras me olhando e desejando, eu pensei vou provocar eles um pouco, no outro dia fui com uma regata e uma camisa de abrir na frente branca e um Short Jeans desfiado que tapava somente as nádegas e quando sentava ou me curvava pra frente um pouco se quer ,entrava na minha bundinha, muito curtinho, bom na parada a porta da frente se abriu e eu dei boa tarde pro motorista e fui entrando e sentei nesse dia as olhadas foram mais e uma cantada em voz baixa sabe, quando cheguei à escola a professora disse, olha Gabi, achei que a Flavia vinha no ônibus, mas ela vem de carro mais cedo, cuidado você vir assim só tem home naquele ônibus, eu disse que tudo bem, que ninguém fez nada, na quarta feira eu fui vestindo outra regata, e uma camiseta de abrir só que amarelinha com um nó atado na frente deixando a cintura de fora, fui com outro Short bem curto só que folgadinho, mas quando cheguei a parado o ônibus veio e abriu a porta de frente e quando eu estava chegando ele fechou e abriu a de trás, eu subi e todos os bancos antes da roleta estavam lotados e eu fiquei em pé e logico tinha um banco sobrando na parte da frente, bom eu ficamos em pé toda a viajem, e eu claro olhando pelo reflexo do celular, e também filmei discretamente os caras atrás de min sentados se masturbando discretamente, e lógico que eles nem ofereceram lugar, chegando à escola fui ao vestuário e troquei de shorts coloquei uma leguem. Na quinta o ônibus abriu direta a porta de traz só que agora tinha uns quantos em pé na parte traseira, e muitos bancos na frente vazios, eu esta a vestido mesmo Short curto e porem lago do dia anterior e uma Blusinha meia manga, eu entendi oque ia acontecer, e deixei rolar, eu ficava toda hora no celular falando (fingindo) e dizia assim “Sim, já estou dentro do ônibus, estou a caminho, logo chego” para que não tentassem me estuprar sabe, mas a sacanagem começou, eles sem falar uma palavra começaram e sarrar em min, o primeiro se encostou e eu dei uma olhada e ele disse:
-(Homem) Desculpa ai.
E eu disse:
-(Eu) Não tem problemas, esta cheia mesmo!
Tipo uma senha pra continuar sabe e ele logo entendeu, quando começou a buraqueira na estrada ele ainda segurou na minha cintura e disse:
– (Homem) Cuidado pra não cair em, você quase não alcança nos apoios né? E o pior que os bancos da frente não têm cinto e estão com cheiro de urina, por isso que viemos pra traz.
E eu disse:
-(Eu) Bar ainda bem que o senhor me segurou e eu não sentei lá então, que buraqueira essa estrada.
Ai foi festa ele me colou no corpo dele e eu sentia a piroka dura subindo entre o meio das minhas pernas e ele cheirava meus cabelos, ele então pegou confiança e abriu a mão e foi enfiando o mindinho na bainha da minha calcinha nas partes frente e foi descendo, minha bucetinha não tem pelos, alias como tenho descendência de índio na minha família, eu não tenho pelos em meu corpo, minha bucetinha é lisinha, e ele deu uma pequena bulinadinha na frente, mas eu me mexi e ele escorregou o dedo pela lateral, como ele tinha uma mochila de meia alça no ombro ele tapava a mão, talvez para não ficar tão explicito o abuso sabe, tão descarado, e foi para a parte de trás da calcinha ele então tirou a mão depois que dedilhou meu rego, e, pois ela por fora do Short no meio das minhas pernas, e puxou minha calcinha pro lado e me assustei quando senti algo me cutucando por baixo, e ele, pois a mão e a piroka junto, mas quando ele foi enfiar o dedo ele sentiu um selinho, KW é virgem como sempre falei em meus relados, mas eis que ele leva o dedinho pra trás e acha meu buraquinho, meu cuzinho que vocês sabem que já foi capaz de engolir um tubo de Rexona aerossol, e ele estava bem molhadinho, e ele então direcionou a atenção pra ele, lógico que ele não enfiou ficou esfregando o dedinho e logo trocou pela piroka quente dele e a cabeça na entrada da bundinha até que senti algo quente sujar um pouco meu buraquinho, ele ficou nisso 20 minutos, até que ele disse:
-(homem) fulano me do teu lugar quero me sentar um pouco, e ele então sentou e veio outro, antes ele cochicharam um pouco.
Veio então o segundo, esse como tinha visto com certeza oque tinha acontecido e como estava com confiança, ele chegou com as mãos pra cima, foi logo encostando a piroka dura na minha bundinha, só que a piroka dele era dura e esticada pra frente, ele então disse assim:
– (Homem) Se caso tu te desequilibras eu te seguro, pode ficar tranquila.
E eu falei bem assim.
-(Eu) Acha, esta boa sou bem atrapalhada.
Ele então desceu uma mão até a lateral esquerda da minha cintura e puxou a cintura do meu Short puxou e logo desceu a outra mão e puxou as duas laterais juntas e acabou socando ainda mais o meu Short que já era curto, porém largo, na bundinha, eu sentia o vento bater entre minhas pernas, o Shorts estava tão enfiado quanto à calcinha, ai ele aproveitou que o ônibus balançou e colocou a mão esquerda na minha barriga, e com a mão direita pegou a bainha da perna direita do meu short que estava socado e puxou para traz dando uma folguinha e com um dedo ele enfiou dentro da calcinha e foi passando o dedo no cuzinho e na bucetinha, ele enfiou dedo na bucetinha e eu ali, me mexi ele então recuou um pouco e encostou-se à entradinha do cuzinho, ele deve ter sentindo que estava meladinho, e ficou fazendo movimentos circulares, e começou a conversar comigo, comigo coisas normais, mas ele quase teve um ataque cardíaco quando ele foi enfiando o dedo no meu cuzinho e quando ele ainda estava enfiando eu virei o rosto pra traz e disse assim?
– (Eu) Isso sim é bom-é eu adoro.
Ele disse:
-(Homem)queeeeeeÊ
Foi tão engraçada quando ele me ouviu falando aquilo, mas tirando da bolsa uma garrafa de 600 ml de coca cola e tomando, ele ficou com uma cara, pois ele estava com o dedo enfiado no meu cuzinho, ele deve ter achado que eu estava falando sobre isso, me ouviu falando aquilo, ele deve ter gosado nas cuecas.
Ai com o dedo ele puxou a calcinha para o lado e foi encaixando a piroka no lugar do dedinho e deixou a cabeça encaixada na entradinha do cuzinho e deu uma empurrada nhá, sabe quem leu meus contos anteriores sabe, meu cuzinho é guloso além de molhar rápido, então foi entrando fácil eu então dei uma trançadinha e não deixei a cabeça passar e o cara deu uma forçada e eu ali travando, o tal carinha entendeu que dali não iria passar e ficou em um vai e vem, e eu comecei a sentir uma excitação tão grande, pois ia fazer quase um ano dês da minha ultima aventura, e a respiração dele ficou ofegante, então eu relaxei e dei uma entradinha com a bundinha pra tez, e só parei de empurrar quando senti o zíper dele na minha bundinha, mas como não sei quem é o cara e não sei que doença ele tem, eu empurrei a bunda pra traz e na mesma hora eu puxei pra frente, como ele estava em trane, ele não teve reação de me prender, ou algo assim, eu então me virei de lado e ajeitando meus Shorts e a calcinha e como estava de óculos olhei pra baixo e vi os jatinhos de esperma saindo da piroka dele e ele ainda estava mordendo só lábios, eu coloquei a bolsa na lateral de modo que ficasse de frente pra ele pra que ele não me sujasse, e falei:
-(Eu) calor insuportável, quer um gole?
E ele meio gaguejando:
-(Homem) Multo, não valeu. Ele então antes de chegarmos me disse o seguinte:
-(Homem) Semana que vem, vamos arrumar o buraco que tem na parede que divide os banheiros masculinos e os femininos, no ultimo sanitário tem buraco, dá pra passar um braço de um lado pro outro, você nunca viu? E eu.
–(Eu) eu uso o banheiro dos professores.
-(Homem) Quê pena, quer dizer ainda bem, imagina você vai ao banheiro que poderiam te espiar, que perigo.
-(eu) Ainda bem, que perigoso.
Chegamos à escola fui ao banheiro dos professores me limpei me troquei e o resto do dia foi normal.
Na sexta feira fui de vestidinho e por baixo uma cueca feminina, sabe com rendinha, eu estava a fim de deixar eles loucos bons na parada a mesma coisa, a porta de traz se abriu eu entrei e pude perceber certa disputa para ver quem ia ficar em pé, foram dois, eu de pé e os dois caras fazendo um Sanduíche de min, nos primeiros 10 minutos tudo normal o da frente falou:
-(Frente) Que calor, credo, tu ainda pode usar um vestido e nos de calça e camiseta todo o dia no sol. E o outro disse:
-(Traz) Verdade, nós com toda essa roupa concertando e capinando, você ainda pode usar roupas leves.
E eu:
-(Eu) Pois é, aproveitei que este calor pra eu usar.
Eu estava muito safada aquele dia, pois tinha olhado muito vídeo pornô com meus fones dê ouvida a noite, pois estava na sala a minha prima posou comigo e eu não pude me tocar de noite então pensa num fogo.
Ai chegou à estrada de chão, o cara de traz, foi logo colocando a mão esquerda na minha coxa esquerda e foi subindo até a cintura, desceu de volta e colocou a mão pela frente nos fundilho da calcinha e puxou pra baixo um pouco e pro lado direito e foi esfregando a piroka na bucetinha, porque os homens querem tanto a minha bucetinha?
Ei que o da frente desce a mão esquerda e coloca na minha coxa direita e faz a mesma cosa mas quando toca na mão do de traz o de traz sobe a piroka e encosta no meu cuzinho, e o da frente na entradinha da bucetinha, eu então fecho um pouco as pernas e tudo isso com nos três conversando coisas normais como a reforma da escola, o clima e tal, acredita. Mas logico que eu não ia dar minha bucetinha virgem pra eles e muito menos nesta condição. Então eu começo a favorecer o de traz, e empurro a bundinha pra traz, mas o da frente este tão alucinado que eu acabo me preocupando demais com ele e acabo esquecendo que tem uma Pipoca bem grossa pelo que senti entrando na minha bundinha, e tudo isso me deixou super. Excitada e não é que eu acabei molhando meu cuzinho e a piroka entrou no meu cuzinho, pois eu acabei empurrando demais a bunda pra traz fugindo da piroka da frente, pois bem eu estava bem dizer escorada pra frente e empinada pra traz, e o homem de traz me segura pela cintura e começa e estocar um vai e vem bem rápido e curto de modo que a piroka não sai da bundinha e o da frente muito alucinado tentando enfiar, ai no desespero que eu estava dei uma relaxada e quando eles acharam que eu ia ceder eu girei rápido e me sentei em um banco vazio com a calcinha e vestido do jeito que estava, e como estava de óculos pode ver os caras tapando suas ereções, ai eles vieram se encostar-se a mim, o da frente quase esfregando a piroka no meu rosto e se jogando em mim e o de traz esfregando, esse sim, a piroka no meu ombro e um pouco na minha nuca, eu sentia o cheiro de piroca, ai foi que senti gotas de algo quite, leitinho na minha nuca, acredita que o cara gozou nos meus cabelos.
Chegando à escola eu fui me lavei e tudo normal.
Durante a tarde eu lembrava os homens do ônibus toda hora, pois a professora disse que teria uma reunião para programar a próxima semana, a partir das 15h30minh e eu poderia ficar a vontade, bom eu ali me lembro do tal buraco na parede que divide os banheiros e resolvo ir ali, quando chego ao banheiro dos alunos vou até o ultimo sanitário e esta ai o buraco que se passa um braço e espio e ele fica do outro lado em um sanitário, eu ali percebo que o buraco fica bem na altura de uma piroka, observo e ninguém aparece, então resolvo sair do Box e ficar no espelho, escuto barulho no banheiro do lado, então eu penso que deve ser os tal pedreiros, pois os alunos tinham sido liberados, eu entro no Box e eles estão ali e percebem que entra uma pessoa no Box (eu) então eles ficam espiando e eu me olhando na câmera frontal de costas eu que eu vejo um piroka, pequena por sinal , saindo pelo buraco eu então vou para o lado do buraco e fico pensando e olhando e não resisto agarro com minha mão esquerda aquela piroga e aperto com minha mão, fico um segundos assim e começo a bater uma punheta, ai como já estou salivando eu resolvo dar uns beijinhos naquela pequena piroka, mas quando chego com meu rosto perto, sinto o cheiro de piroka azeda, nossa se eu não tivesse muito excitada e uns lencinhos umedecidos na bolsa eu ia pensar em desistir, com a mão direita eu peguei o lenço e passei na piroka que ficou com cheirinho bom ai cai de boca, comecei com umas sabidinhas e depois fui chupando da cabeça até as bolas eu só escutava os gemidos, pude perceber que tinha um murmurinho doutro lado, segui chupando até que eu matei o cara quando fiz garganta profunda e ainda pus minha língua pra fora e passei nas bolas dele ainda segurando as duas bolas dele com a mão direita, quando sentir pulsar eu tirei do fundo da garganta e fiquei de ladinho e olhei os jatos lindo longe, e escutava o pé dele batendo do outro lado, ai ele saiu ou melhor foi tirado e logo apareceu outra piroka mais Grossa, eu então comecei a bater punheta com minha mão direita visto que a esquerda estava cansada, mas resolvo brincar melhor, vendo que a pika esta bem molhada e meu cuzinho muito melado, eu me viro de pé levanto meu vestido e tiro a calcinha vou chegando a bundinha pra traz, e eu que domino tudo em vista que o braço não passa pelo buraco e eu sito que o dono da piroka tenta se esticar ao máximo quando ele sente meu buraquinho quente encostando-se à cabeça da pika.
Ai eu vou empurrando a bunda pra traz, o cara fica empurrando o máximo a piroka, eu não deixo entrar nada, apenas encostar, mas como estou muito excitada eu dou uma entradinha e deixo que a piroka entre um pouco, por causa do burlado a piroka não atinge uma boa profundidade, ai eu desencaixo a pika do meu cuzinho e fico esfregando ela na bucetinha sem por amam, até que o cara goza, ai vem o terceiro, com uma pika enorme, nossa, era muito grosa e comprida, essa eu pude ágar com as duas mãos, nossa que delicia e ela estava cheirosinha, era cheia de veias, cai de boca, olha namorei um garoto que tinha uma pika de 19 cm e eu conseguia fazer garganta profunda, mas esse eu enterrei até o fundo da minha garganta e sobrou piroka pra fora, nossa e eu agarrava com as duas mãos, chupei ele tanto quase uns 40 minutos, eu já escutava as vozes do outro lado dizendo:
– Sai minha vez.
– Nossa vez.
E ele disse mais cinco minutos e dizia vira.
Eu virei encostei aquela piroka na entradinha do cuzinho, e dei uma forçada, claro que eu ficava bem pra de modo que ele não pudesse empurrar a pika pra frente, imagina aquela piroka entrando, me rasgava toda, dei uma forçada pra traz, mas não chegou a passar a cabeça, ela além de grossa era cabeçuda, chegou a esticar meu cuzinho e não entrou, quando estava forçando senti latejar , sai logo e ele gozou no chão, ele então foi tirado e veio outra piroka, média, normal, como já estava com a boca cansada eu segui tentando enfiar no cuzinho que já estava meladinho, e dei uma forçadinha e entrou fácil e fundo, e essa eu pude encostar-me à parede que entrava toda sem problemas, só que aconteceu uma coisa, essa cara deixava escapas toda hora, mas estava bom mesmo assim e nem esquentei, e uma hora dessas que escapou quando ele foi colocar de volta quem colocou de volta foi aquela piroka gigantesca seria, e eu estava com a bunda encostada na parede, de modo que só meu cuzinho ficasse a disposição, ali eu enxerguei estrelas, cheguei a escutar um estralo no meu ouvido, e com o susto eu tentei me mover pra frente e meu pé escorregou eu demorei um pouco e o cara enfiou uma vez, demorou um ou dois segundos estocou rápido umas três vezes, ai a mim me escapei, eu sai do Box, me apoiei na pia e passei a mão na bundinha meu cuzinho estava normal, porém macio, sabe parecia que eu poderia enfiar três ou quatro dedos dentro dele, mas ardia muito, ai eu escuto os caras dizendo, vamos lá, eu me desesperei, pensei rápido, peguei meu celular, fui ao contato da Paty, e comecei a gravar um vídeo, quando ele entrou no banheiro eram oito, eu disse:
-Podem parar estou gravando todos vocês, sabem oque é isso, é um vídeo gravado, é só eu soltar o dedo e vai direto pra minha amiga e ela chama a policia, tenta fazer algo tenta, virei à câmera pra min e falei Paty se algo me acontecer, foram esses os estupradores.
E um falou:
– deixa a gente brincar, não íamos e nem vamos te estuprar.
– Não tem de brincadeira, já brincamos e um de vocês me machucou.
Um deles ficou rinho, deveria ser o dono da anaconda.
Sai e fui pra sala dos professores, e fiquei lá até que terminasse a reunião quando terminei eu voltei com a professora e disse que não iria querer voltar mais a fazer o trabalho voluntário, ela disse que não tinha problemas que era outra escola que iria seguir.
Em casa de noite eu depois de um banho dormi sem calcinha, meu cuzinho estava passadinho, devido àquela anaconda.
E foi essa minha aventura. Esperam que gostem comentem.

Referência do Anúncio ID: 2175952a7dd8afe6

   

734 visualizações, 0 hoje

  

4 Comentários para “Sendo molestada no ônibus do trabalho voluntário.”

  1. Anjinha_Rockeira em 4 de julho de 2017 @ 12:26

    Ual guria que loucura, adorei

  2. kralho adoro uma vadia assim..putinha sem pudores gafas87@hotmail.com

  3. vem falar comigo

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: Jbcuritiba, Jbcuritiba, 94 Guests, 18 Bots