Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Surpresas da Vida (A Viagem 3/Continuação.) 12 de Maio 2016

  • Publicado em: 17 de janeiro de 2017 14:53
  • Expira: Nunca!
Surpresas da Vida (A Viagem 3/Continuação.) 12 de Maio 2016
Surpresas da Vida (A Viagem 3/Continuação.) 12 de Maio 2016 - Imagem1Surpresas da Vida (A Viagem 3/Continuação.) 12 de Maio 2016 - Imagem2

Detalhes do Conto Erotico:

[Após a confusão com Josias e Isaias, Arthur convidou JP para espairecer e esquecer todo o ocorrido desde sua chegada à fazenda o convidando para uma tarde divertida na lagoa para esfriar a cabeça].

-Mandou bem JP! Eu não disse pra tú que ia dar certo?!
Você não pode deixar uns merdas daquele montarem em você, eles podem ter mais corpo que você, mas você é um dos donos dessa fazenda e como empregados eles devem te respeitar.
-Obrigado pela presença Arthur, você está certo, não posso os deixar montarem em mim, não vou deixar acontecer esse erro novamente.

JP conversava com Arthur, mas não tirava o olho do velocímetro do veículo, que apesar de ser uma pequena picape, tinha motor 1.4 e podia passar dos 160 km/h, se em uma estrada já seria perigoso, na terra era morte na certa.
A estrada estava um lameiro só, mas Arthur não alisava,chegando até a extrapolar um pouco o limite do bom senso, algo imprudente, ainda mais em um carro com centro de gravidade alta, enquanto que apesar de alargado,no cú de JP não passava um fio de cabelo.
Depois de alguns minutos de emoção, finalmente chegaram a lagoa.
Era uma bela paisagem, um lugar de águas calmas, límpidas e com muito verde ao redor.
Arthur disse que geralmente era freqüentada pelos peões e garotos da fazenda e das proximidades, tanto para diversão, como para matar a sede e banhar os animais e cachaçadas além de sacanagens com putinhas.
Arthur sem cerimônia tirou a roupa ficando somente com uma boxer e correndo,mergulhou na lagoa que tinha uma boa profundidade.

JP não se fez de tímido e após tirar a roupa, já estava fazendo oque sabia de melhor: Nadar!
Por minutos ambos ficaram brincando como se fossem duas crianças de 12 anos, jogando água um no outro como em um dia de praia.

Depois de muito brincar,ambos saíram e se sentaram lado a lado a beira da lagoa onde ficaram papeando por muito tempo, sobre os mais variados assuntos, até chegarem ao ponto delicado.

Arthur olhou para JP e olhando seriamente lhe disse:
-Sei que não é da minha conta “tampinha”, cada um faz e é oque é na vida, eu vi você sendo currado, apesar de ver que eles estavam abusando de você, pude ver em certos momentos que você estava parecendo gostar, foi à primeira vez que você trepou com macho JP?

JP tentou sair pela tangente, desconversar, mas pela expressão facial do amigo nadador que não encarava ele, Arthur sabia que ele estava certo e que aquilo não era novidade na vida de José Pedro e insistiu.

-Porra JP, até parece que não somos amigos, posso até ser um cara do mato, da roça, mas saco das coisas, oque conversamos morre aqui,acho que já dei provas de minha amizade,se fosse outro com certeza já teria falado a seus pais e ao Padrinho e a merda estaria feita,mas não sou menino para fazer dessas coisas.

Apesar do constrangimento, José Pedro abriu o jogo para Arthur, pois sentiu que poderia confiar nele, pois apesar da pouca idade, via que ele era um homem e cumpriria com sua palavra.

– Você está certo, não foi à primeira vez, foi a segunda que aconteceu.
Eu fui abusado por dois Bad boys filhos da puta, que fazem o terror no colégio, me ameaçaram e me usaram dentro de minha casa, e se fizeram de amigos meus para minha mãe para passarem um dia lá em casa como se eu os tivesse convidados.
Você não tem idéia de como é ser usado e violentado por alguém que você tem ódio, por alguém que você despreza.

– Eles eram cafuçus como Josias e Isaias?
-Pior que não, são de boa família e aparência, cheirosos, com um corpo sarado, jogam no time do colégio e fazem judô, intelectualmente são duas antas e gostam de oprimir alunos mais fracos, tirando dinheiro do lanche, se aproveitando da inteligência dos nerds e batendo nos alunos viadinhos.

Atento ao drama de JP, Arthur perguntou a ele algo que o deixou com raiva.

– Como eles descobriram que você era viado? Você deu pinta?
-Porra Arthur!Eu nunca tinha dado o rabo, nunca tinha chupado uma rola, nunca nem fui curioso quanto a homossexualismo, troca-troca ou filmes gays…

-Foi mal “Tampinha”, não quis ofender, mas uma “presepada” dessas não acontece assim de uma hora para a outra para eles pegarem no seu pé, tipo: “Porra, bora comer o rabo desse playboy e pronto”.

José Pedro não queria tocar no assunto, pois tudo oque aconteceu de ruim em sua vida se deu devido ao fatídico encontro com Max e sua “brincadeira” no banheiro presenciado por Erik.

Mas estava à vontade com Arthur e depois de pensar muito, falou então sobre Max, o incidente no banheiro, do passado “Bad Boy” de “Bullyings” dele, da antiga inimizade de como ele era popular no colégio e de como ele salvou sua vida de dois pivetes até o relacionamento atual.

Arthur ficou espantado com as histórias de JP, pois ele nunca pensou que entre os garotos “ricos” da cidade poderia acontecer esse tipo de coisa, pois achava que era mais fácil conseguir garotas para sacanagens.

– Caralho “tampinha”! Que “fuleragem” da “moléstia”… História doida da porra, parece coisa de novela.
– Quer dizer então que você tem um rolo amoroso com o macho que você odiava?
-Fazer oque não é? O mundo é um lugar estranho Arthur, mas cada um com suas paranóias.

Após se abrir para Arthur, JP também queria saber da vida íntima de seu amigo e começou a perguntar sobre seus costumes.

– Mas e quanto a você Arthurzinho? Como anda sua vida? Muita rapariga no seu pé, alguma namorada ou tem algum perobinha escondido?

Deitado na beira da lagoa, Arthur rindo disse a JP:
-Namorada?! É ruim heim “Tampinha”… Tem até algumas sem vergonhas do colégio que dão bola pra mim, umas já liberaram o “barbudinho”, têm outras que são frescas cú doce e se acham o último biscoito do pacote… E quanto a namoradas, só tive duas, mas na hora do pé de pica, deram para trás, e quanto a algum perobinha “Tampinha”,acho difícil algum deles ter coragem de liberar o “Zé Golinha”…

Como assim, deram para trás?
Rindo, Arthur começou a massagear sua rola sob o calção, fazendo o tomar forma, passando de um cacete flácido para uma tora preta, enorme e dura.
E olhando para JP falou:

– Vai me dizer que se você fosse uma gata e visse uma “macaxeira” dessas não iria arregar?

Disse rindo e balançando o pedaço de carne no ar.
José Pedro se espantou, apesar de ter dividido o chuveiro com Arthur e o visto totalmente nú,não podia acreditar no que estava vendo,era algo enorme, grosso, a princípio maior que a do seu “macho” Max.
-Assim fica difícil heim JP…
-Acho que sim Arthurzinho… “Mas que porra é que vocês comem nesse fim de mundo?” disse o nadador rindo e sem olhar o “vergalhão”.

– Que foi JP? Vai dizer que está com vergonha? Até parece que não me viu pelado…
– Só de olhar me dá um pouco de nervosismo, ainda mais pelo tamanho.
-Besteira JP! É só tamanho, mas é só brincar direito que não tem problema…

Em um impulso rápido, Arthur pegou o braço de José Pedro o fazendo segurar sua rola que latejava de tão dura, JP tremia de nervosismo tanto por sentir as dimensões daquele belo cacete e por saber oque poderia ocorrer, ainda mais sendo Arthur um amigo que ele tinha como parente.

– Está tremendo “tampinha”? Está com frio?
– Eu tenho medo do que pode vir agora.
– Desde que eu te vi tomando banho lá em casa, eu não tiro sua bundinha da cabeça “Tampinha”, nunca comi o rabo de um macho, alguns moleques até já quiseram me dar, mas você é diferente.

Eu quero ferrar você “tampinha”, lhe dou minha palavra que vou lhe tratar com carinho, não vou fazer nada que você não queira.

Arthur puxou José Pedro para perto e segurando-o pela cabeça, apesar de um pouco de hesitação do nadador, pôs sua rola em sua boca.

JP aceitou o desafio, fechou os olhos e caiu de boca no belo pedaço de carne de Arthur, que gemia a cada chupada, a cada lambida de seu amigo.
Arthur segurava “peixinho” pelos cabelos empurrando sua cabeça para cima e para baixo,em um rápido vai e vem.

-Aaaah… Que gostoso “Tampinha”… Que mamada decente… Parece a boca de uma puta! Quente e molhada… Vai JP… Chupa gostoso minha nervuda… Putinha sem vergonha! Vou dar um trato nesse rabão que você não vai esquecer…
Chupa gostoso Pedrinho… Seu “tampinha” safado,vou encher essa sua boquinha de leite quente!

Arthur delirava com a boca de JP, suspirando e gemendo a cada mamada do nadador, que por sua vez tentava engolir cada centímetro do cacete do amigo.

Devido a excitação, não demorou muito para Arthur começar a esporrar leite na boca de JP, que mal conseguiu engolir tudo de tanto que era…

-Mama tudo sua putinha rabuda… Senão seu macho aqui não vai gostar, fresquinho de vergonha não desperdiça leite!
José Pedro, atendendo a Arthur, não desperdiçou nada, engolindo cada gota de porra.

Arthur pediu que JP continuasse a mamar apesar dele ter gozado, até ele novamente ficar no ponto para o 2º round.
-Caramba JP, você tem cara de santinho mas é um “exterminador” de rola,sua boquinha parece um aspirador de pó…
Assim… Continue mamando o salsichão, daqui a pouco vai inchar bem legal na boquinha… Depois vai ser só alegria nesse rabão macio !

Ao sentir sua jeba dando vida, Arthur pediu para que JP parasse e levantou-se indo em direção ao carro e pegou uma lona, onde estendeu no chão.

– Vem Pedrinho, fica frio, abaixe o calção, deite na lona e relaxe… Prometo que vou lhe tratar com cuidado, mas vou lhe dar algo que você nunca vai esquecer e vai pedir mais…

José Pedro confiou e abaixando suas roupas, deitou-se na lona esperando a reação de Arthur.

-Nossa JP! Isso sim é um rabo de respeito… Tú nasceu para levar rola! Pedrinho, que rabinho macio… Não vejo a hora de ver meu pau brincando nessa sua bundinha suculenta!Vamos ver se minha jeba cabe nesse cuzinho…

JP abriu suas pernas e afastou as poupas de sua bunda, fechando os olhos ele esperou sentir Arthur lhe penetrar, mas ficou surpreso ao sentir o amigo cair de boca no seu cú.
José Pedro gemia de excitação com a língua quente de Arthur em seu rabo, lambuzando todo o cuzinho, sentindo tesão a cada linguada.

Não aguentando mais, José Pedro começou a suplicar:
-Me fode Arthur! Me fode… Eu não aguento mais, você vai me matar!

Arthur com um sorriso safado no rosto respondeu:
– Oque minha putinha me pede chorando que eu não faço sorrindo?!

Sem perder tempo, Arthur se posicionou entre as pernas de JP e começou a pincelar a entrada do cuzinho do nadador e falou:

-Fica frio Pedrinho vai ser como levar uma injeção, a picada vai doer, mas depois tudo fica tranquilo, fora que você já foi “amaciado”, aí fica mais fácil…

Arthur começou uma lenta penetração enfiando aquele “charuto” no meio da bunda de JP, que gemia ao sentir aquele cacete enorme abrindo caminho dentro de seu rabo.

– Aaaaaah… Devagar Arthur… Devagar!ainda está doendo…
-Calma Pedrinho… Calma que só foi a “cabecinha”… Fique frio, que depois da dor a diversão vai começar.
Daqui a pouco você vai gemer e rebolar gostoso na rola do “negão” aqui…

Arthur começou então a foder JP em um vai e vem lento mas constante,o nadador gemia sentindo a pressão no rabo,podendo sentir todo aquele pedaço de carne lá dentro,José Pedro sentia como se o seu cú estivesse pegando fogo!

-Aaaaaai! Meu deus… Você vai me matar cacete!
-Deixa de manha JP! Para quem conseguiu brincar com dois peões, comigo é besteira, e eu ainda sou carinhoso…
-Vai Pedrinho, toma o pirocão no rabo! Vou arregaçar esse cú, vou meter tanto que vou assar todo esse rabinho…

Arthur metia sem parar em José Pedro e oque antes era dor aos poucos foi se tornando puro deleite, JP agora gemia de prazer com o “Vergalhão” de Arthur atolado no rabo,agora, parecendo até estar possuído, JP suplicava:

– Me fode Arthur! Me arregaça meu “burrinho” de fazenda… Me fode com esse “charuto” de carne!
-É isso que você quer putinha?! Quer ser arregaçado?! Quer gemer e chorar na “Macaca”?!

– Sim! Sim! É isso… Quero ver se você é macho ou é só conversa… Me diz que essa rola não é só para enfeite !
Excitado e incentivado, começou a bombar fortemente, socando com tanta força e constância que parecia uma maquina, JP gemia a cada centímetro de rola dentro de seu rabo, gemendo e chorando como uma puta sem-vergonha…

-Aguenta Viadinho safado! Não queria rola?! Agora é tarde para desistir…

Arthur metia com fúria em José Pedro que após minutos sendo penetrado constantemente sem parar, sentiu seu rabo encher de esperma em meio aos gemidos de Arthur que parecia comemorar uma vitória sofrida.
-Aaaaaaaaaaah caraaalho! Puta que pariu JP… Que gozada fudida… Isso sim é um cuzinho… Caralho JP, você é um herói!

Satisfeito, Arthur deitou-se ao lado de José Pedro que continuava de bruços, descansando da sessão de sexo que ainda não terminaria por ali, a tarde ainda prometia, e após se esbaldarem mais na água ainda tiveram tempo para uma derradeira trepada.

Ao fim da tarde, voltaram a fazenda chegando a tempo para o jantar.
Mas as férias só estavam a começar para José Pedro, muita coisa iria acontecer e não somente com ele.

Continua…

Referência do Anúncio ID: 6835864496d49993

Não há Tags

2896 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: jaquelinecesar, 267 Guests, 42 Bots