Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

Swing supresa

  • Publicado em: 20 de setembro de 2017 14:33
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

Á dias atras eu e a minha esposa estávamos a conversar sobres os nossos amigos, e veio á conversa a dificuldade económica que um desses casais atravessava.
Dias depois eu marquei uma aproximação aos veados (cervos).
A Bela perguntou-me em que dia era.
Eu disse-lhe que era numa quinta feira, e que ia dormir á casa de férias de uns tios dela, em que tenho chave para quando quero ir caçar para essa zona.
A Bela perguntou-me se eu não queria ficar até domingo lá. Dar umas voltas pelas zonas históricas e comer nuns restaurante bons que lá conheço.
Eu disse-lhe que por mim tudo bem e que se a aproximação corresse mal até ia no dia seguinte.
Ela logo me disse que não. Disse que ia convidar os nossos amigos que Artur e Paula (amigos que estavam com dificuldade). Que a Paula lhe tinha confessado que este ano não iam para fora por falta de dinheiro, e como nós estávamos numa fase boa economicamente os ia convidar. Que tudo era por nossa conta.
Ri-me, pois como o Artur tinha sido o 1º homem na nossa cama depois de casados desconfiei e disse-lhe.
A Bela logo me disse que tinha adorado foder com ele, mas que isso tinha sido antes de ele casar, no nosso inicio do swuing. Que os convidava porque gostava muito dela, que era tudo sem segundas intenções.
No dia seguinte a bela falou-me que já tinha falado com eles e que eles aceitaram.
Na semana seguinte lá fomos buscar o Artur e a Paula a casa ás 12 horas de quarta porque o Artur trabalhava e só podia ir a essa hora.
A viagem foi feita a altas velocidades pois demorava no mínimo 2,30 horas e eu tinha de estar em pé ás 5 da manha.
Quando chegamos eu fui logo para a cama dormir, deixando a Bela e eles na sala a conversar.
Quando me levantei de manha eles ainda estavam em pé, a beber uns copos a a comer uns bolos que tinha-mos levado. Estavam alegres. Bebi um sumo e comi um bolo e disse á Bela que o carro ficava com eles para irem dar uma volta, que a organização me vinha buscar á porta de casa e que não almoçava em casa.
Ouvi um carro á apitar e sai logo de casa.
A Caçada foi uma merda. Não apareceu a tiro nenhum animal que valesse a pena.
Cheguei a casa ás 19,30.
Não estava ninguém em casa. Aproveitei e fui tomar um banho.
Quando estava no banho ouvi barulho e percebi que tinham chegado.
Vesti uma roupa e desci até á sala.
Estavam todos animados.
Perguntaram como tinha sido o meu dia.
Respondi que tinha sido uma cagada, não tinha matado nada.
Perguntaram se estava cansado.
Disse que não, porque só cacei até ás 10 horas e depois descansei um bocado e almocei ás 15 e fui dar uma volta da parte da tarde mas também nada. Que estava com fome. Que ia-mos jantar a um restaurante muito bom que conhecia.
Disseram que iam tomar um banho, e foram todos os 3.
Passados uns segundos já ouvi a água a correr.
A Bela chamou por mim, mas demorei ainda uns 2 minutos. Quando lá fui a Bela vinha do quarto deles só de cuecas fio dental, com aquelas tetonas á mostra e umas roupas na mão.
O quarto deles ficava mesmo em frente ao nosso.
Olhei para o deles pois tinha a porta aberta e vi a Paula só de langeri. Foda-se. Ela estava com tudo no sitio. Um tesão de mulher.
Entrei no nosso quarto e perguntei á Bela o que queria.
Ela disse-me que nada porque já tinha ido perguntar á Paula qual achava a roupa mais bonita para o jantar.
Vi que tinha escolhido um vestido bem comportado, se não abrisse os botões á frente, pois ele era de abotoar á frente de alto a baixo.
Fui para a sala e quando desceram o Artur vinha norma (calças de ganga e camisa), mas a Paula vinha com uma saia rodada e uma camisa com os 3 primeiros botões desapertados e podia notar que tinha tirado o sutiã. Estava linda, sexy.
A Bela disse-me:
– Fecha a boca ó babão.
– Não tenho culpa de vocês serem tão sexys.
– Mentiroso, pensa que não sei que é por causa da Paula
Todos nos ri-mos.
Levei-os a jantar a um restaurante muito bom mesmo. Boas entradas, e de prato principal uma excelente carne tudo regado com bom vinho.
No fim fomos até um bar na cidade mais próxima. Bebemos mais uns copos. A Paula foi ao WC sendo acompanhada pela Bela. Quando chegaram fomos embora. As duas vinham muito alegres (efeito do que tinham bebido).
No caminho as duas iam atrás sempre a rirem-se. O Artur estava sempre a olhar para trás e eu como tinha de estar atento á estrada, comecei a olhar pelo retrovisor. Vi logo o porquê dele estar sempre a olhar para trás. A Bela tinha o vestido subido e a Paula a saia. As duas vinham sem cuecas e podia-mos ver as bordas da cona das duas.
Fiquei logo de piça tesa, e reparei que o Artur estava igual.
Chegamos a casa e eu só queria era foder.
Fomos logo para os quartos e mesmo antes de entrar já tinha tirado o vestido da Bela. O Artur e a Paula viram-na nua antes de entrar. Deixamos ambos a porta aberta.
A Bela disse logo alto sem se importar com eles:
– dá-me já essa piça que estou cheia de tesão.
Eles de certeza que ouviam tudo o que dizíamos.
– aaaaaaaaagggggg putaaaaaa que boca booooooaaaaa – Gemi logo
Ouvi-mos a Paula a gemer:
– siiiiimmmmm siiiimmmmmmm enteeeeeerra-mmmmeee essa piça boooaaaa.
Ouvimos então o Artur:
– O que tu querias não era a minha era a dele sua puta, nunca te vi assim pareces um rio a escorrer leite dessa cona.
– haaaiiiiiiiii aaaaaaiiiiiiiiiii que jáááááááa mmmme venhoooooooo – gemeu a Paula.
Comecei a lamber a cona á Bela e ela começou a gemer:
– oooooooooohhhhhhhh que linguuuuaaaaaaa continuaaaaaaa continuaaaaa que me vou viiiiiiir jáááááááaáááá.
Eu estava louco e parei de a lamber.
– Não pareeeeeesssss não pareeeeeesssss -gritou a Bela
– Só continuo se me disserem quem querias que lambesse e fodesse porque eu sei que não era eu, diz-me, diz-me -disse-lhe
– quando me estiver a vir eu digo mas lambe
Comecei a lamber ainda com mais vontade e a Bela começou a gritar:
– Artuuuuuuuur Artuuuuuurrrrrrr siiiiiimmmmmm siiiimmmmmm venhooooo-mmmmmmmme Arturrrrrrrr Artuuuuuurrrrrrr aaaaaaagggggggg – gemeu a Bela.
Lambi todo o leite que saiu daquela cona sem desperdiçar uma gota.
Ouvi passos de alguém ir á cozinha. Levantei-me mesmo todo nu e fui ver em bicos de pé sem fazer barulho quem era..
Pensei que era o Artur, mas não era. Era a Paula. Estava com um robe transparente.
Aproximei-me dela por detrás e encostei a minha piça tesa ao cu dela.
– ai que susto. Disse ela, mas não se afastou de mim.
Com uma mão envolvi o corpo dela e fui-lhe apalpar uma mama e com a outra comecei a acariciar a cona.
Virei-a para mim.
Desapertei-lhe o robe.
Enfiei a minha lingua na boca dela e fui correspondido.
Peguei numa mão dela e levei-a á minha piça.
Segurei na mão dela e comecei a tocar uma punheta, e com a minha outra mão fui acariciar a cona dela enquanto nos beijava-mos.
Pelo canto do olho vi que o Artur nos espiava, mas logo saiu.
A Paula começou a soltar pequenos gemidos quando lhe enfiei um dedo na cona. Ela cada vez mais rápido me tocava uma punheta.
Virei-a de costa para mim e posicionei a piça na entrada da cona.
– Pára Paulo pára, eles estão lá em cima e vão ouvir tudo não quero que a Bela fique zangada comigo.
Olhei para ela e disse:
– não faças barulho, anda.
Peguei numa mão dela, e levei-a até á entrada do nosso quarto.
Quando ela olhou para dentro ficou estática. A Bela mamava na piça do marido como um bezerro. Dava para ver a piça toca lambuzada. A Bela estava a gostar do que fazia. O Artur estava de olhos fechado.
Tirei o robe á Paula e comecei á acariciar a cona e as mamas dela.
O Artur deitou a Bela na cama e espetou a piça até aos colhões.
A Bela não aguentou e gemeu de tal maneira que era impossível não ouvir nem que estivesse-mos na rua á entrada.
– aaaaaaaaagggggggg siiiiiiimmmmmm fodeeeee-mmmmmeeee fodeeee-mme.
A Paula parecia que estava hipnotizada. Forcei-a para baixo e pôs-lhe a piça na boca.
Ela acordou do transe que estava e começou a mamar com uma vontade tremenda.
O Artur já nos tinha visto á porta e gemia:
– hooooooooo que coooonaaaaaaaa boaaaaa que quente que éééééééésss putaaaaaaaa.
– hooooooooo siiiiiiiiiimmmmm siiiiiiimmmmm rebenta-me todaaaaaaa -gemia a Bela
Peguei na Paula e a pôs de gatas ao lado da Bela e enterrei tudo de uma vez só.
– aaaaaaaaiiiiiiiiiiii aaaaaaiiiiiiiiiiii dááááááá-meeeeeeee -gemeu a paula.
A Bela puxou a cabeça da Paula e começou a beijar la. A Paula correspondia ao linguado. A Bela puxou-a mais um pouco e começou a lamber as tetas da Paula e a Paula lambia as da Bela.
– veeeeeeenhoooo-meeeeeee veeeeeenhoooooo-meeeeeeeee -gemeu a Paula
– caralhoooooooo tambémmmmmm meeeeeee venhoooooooooo -gemeu a Bela.
Tanto eu como o Artur ainda não nos tinha-mos vindo. A Bela chegou-se mais para baixo e desencabou a minha piça da cona da Paula e começou a lamber o leite que escorria da cona dela. A Paula fez o mesmo ao marido e agora as duas faziam um lindo 69. Ambas bebiam o leite uma da outra.
O Artur pôs-se detrás da Bela e quando lhe ia espetar novamente a piça pela cona adentro eu fiz-lhe sinal para parar.
Pôs-me ao lado da Bela e abri-lhe as nádegas.
A Paula viu o que estava a pensar e passou a lingua pelo olho do cu da Bela.
A Paula deu duas lambidelas, pegou num dedo e passou pela cona da Bela. O dedo ficou todo lambuzado e ela enfiou-o pelo cu da Bela acima enquanto lhe lambia a cona. Ao fim de uns segundos a Paula meteu outro.
A Bela que não é burra, viu logo o que o Artur lhe ia fazer e para não ficar atrás meteu um dedo no cu da Paula mesmo sem o molhar.
– uaaauuuuuuu esta putinha tem o cu apertado – disse a Bela debaixo da Paula
Paula reclamou com um gemido, mas a Bela fez-se de surda.
– pára Bela sou virgem do cu e não vou aguentar, por favor. reclamou a Paula.
A Bela disse-me:
– deita-te.
Deitei-me. A Bela espetou a minha piça pelo cona acima e deitou-se no meu colo para facilitar a entrada do piroco do Artur pelo cu acima. A Bela olhou para a Paula e disse-lhe:
– não sabes o que perdes mas mais logo vou-te ensinar e daqui para a frente não vais querer outra coisa. Olha bem como eles me fodem.
O Artur encostou a piça no cu e começou a forçar. A piça dele desapareceu no cu da Bela:
– aaaiiiiiiiiiiii siiiiiiiiiimmmmm siiiiiiimmmmm -gemia a Bela
A Paula não tirava os olhos da cona e do cu da Bela.
Nós homens movimentávamos cada vez mais rápido.
O Artur começou a cavalgar como um maluco desenfreado:
– Haaaaaaaaaaaaggggg siiiiiiimmmmmm que cuuuuuuuuu vou-te encheeeerrrrr de leiiiiiiite putaaaaaaaaaaa.
A Bela começou a revirar os olhos e a gritar:
– siiiiiiiiiiimmmmmmm siiiiiiiimmmmm veeeenhooooo-meee venhoooo-meeee.
– eu também meeeee venhoooooooooo -gritou o Artur
A Bela desfaleceu no meu peito de tanto se vir.
O Artur desencabou a piça do cu da Bela. Eu ainda não me tinha vindo mas também parei de a foder.
A Paula olhou para a cona e cu da bela e foi lá lamber, beber o leite da Bela e o do Artur que saía pelo cu da Bela.
– aaaaiiiiiiiiiii puuuuuuta que meeee matas com essa linguaaaaaaa -gemeu a Bela
A Bela começou a entrar em convulsões de orgasmos e desmaiou.
Quando acordou passado uns segundos olhou para a Paula e disse-lhe:
– é a melhor coisa do mundo ter todos os buracos preenchidos adoroooooo.
Foram os 3 tomar banho e eu fui fazer um lanchinho noturno enquanto tomavam banho. Quando acabaram vieram todos nus para a cozinha. Tinham pão, queijo, presunto e uma garrafa de champanhe geladinha.
Eu disse que ia tomar banho e eles que fossem comendo.
Quando voltei tinham comido tudo e bebido a garrafa toda. Foi buscar mais um pouco para mim.
A Bela disse que ia com a Paula para cima e quando eu acabasse de comer, que eu e o Artur fosse-mos ter ao quarto onde ouvisse-mos gemidos.
O Artur quis ir logo com elas, mas a Bela não deixou.
Demorei uns 10 minutos e quando subia-mos ouvimos gemidos da Paula no meu quarto.
Entramos e vimos a Bela a lamber a cona da Paula, mas a Paula tinha um plug anal com vibração todo enfiado no cu.
Olhei em volta e vi em cima da cama mais 2 vibradores e gel.
– aaiiiiiiiiiiiiiiiii siiiimmmmmm siiiimmmm é boooooooommm -gemia a Paula
Vi a Bela estender a mão e pegar no vibrador mais grosso. Passou o vibrador no pote do gel e começou a meter na cona da Paula.
– aaaaiiiiiiiiiii Belaaaaaaaaa que me mataaaaaaas de prazeeeeeer -gemeu a Paula.
Bela movimentava o vibrador e o plug cada vez mais depressa.
De repente a Bela olhou para mim e fez-me sinal para lhe dar o outro vibrador.
Percebi o que queria.
Peguei no outro vibrador e enchi-o de gel. Aproximei-o do cu da Paula e quando a bela tirou o plug pegou no vibrador e enterrou-o quase todo pelo cu acima da Paula.
– aaiiiiiiiiiiii aiiiiiiiiiiiiii aiiiiiiiiiiii rasgas-meeeee todaaaaaa -gritou a Paula.
A Bela não se importou e começou a movimentar o vibrador que a Paula tinha na cona. Uns segundos depois já a Paula gemia de prazer com os 2 vibradores todos enterrados.
– hoooooooooo siiiiiiiiiimmmmmmm siiiimmmmmm -gritava aquela puta.
A Bela mandou o Artur deitar-se debaixo da Paula, e quando ele já lá estava tirou o vibrador da cona e sentou a Paula na piça dele.
– então minha putinha santa gostas ou não de 2 ao mesmo tempo -perguntou a Bela.
– siiiiiiiiiiimmmmmm siiiiiiiimmmmm adoroooooooooo -gemeu a Paula.
Peguei no pote de gel e passei montes de gel na minha piça. A Bela tirou o vibrador do cu e eu entrei logo com tudo.
– aaaaiiiiiiiiiiiii aaaaiiiiiiiiiiii que me raaaaaasgas todaaaaaaaa -gritou a Paula.
– o pior já está -disse-lhe a Bela ao ouvido
Ficamos parados uns segundos até ela se acostumar.
O Artur começou a tirar e meter de vagar.
A Bela foi lamber as tetas da Paula e dizer coisas porcas ao ouvido dela, como por ex.:
– Anda putinha tu gosta de piça e agora estás cheia, anda fode-os, tira-lhes o leite dos colhões,eles vão-te encher a cona e o cu de leite.
Ela começou a gemer e a mexer-se.
Eu dei umas palmadas nas nádegas e comecei enterrar e tirar até á cabeça da piça. O cu dela já estava relaxado e a puta pedia mais.
– aaaaaiiiiiiiii siiiiiiiiiiimmmmm siiiiiiiiimmmmm vou-meeeeee viiiiiiiiiiiiir vou-meeeeee viiiiiiiiiiiiiiir – gritou a Paula
O Artur não aguentou, sacou a piça da cona dela e foi-se esporrar na boca dela e da Bela.
– veeeeeeenhoooooooo-meeeeeeeeeeee -gritava ele.
Comecei a encabar mais rápido e rápido e esporrei-me no cu dela:
– aaaiiiiiiiiiiiiii que cuuuuuuuuuuuu boooooooommmmm toma leite por essas tripas a deeennnntro puuuuuuuutaaaaaaaaa – es enchi-lhe o cu de leite.
Deitamos-nos os quatro naquela cama.
A Paula confessou que tinha adorado e que queria repetir outra vez antes de ir-mos embora.
A Bela chamou-a de putinha e disse-lhe que lhe ia ensinar mais coisas antes de ir-mos embora, disse-lhe também que era-mos swuinguers e que mais para a frente ia-mos leva-los a um clube onde vamos muitas vezes, que lhe ia dizer com quem valia a pena foder e quando fosse-mos a uma festa privada eles iam como nossos convidados e lá ela ia sair toda rebentada mas satisfeita e o Artur com os colhões secos para vários dias.
Ri-mos nos todos.

Referência do Anúncio ID: 42359c0f5d3ba3fa

Não há Tags

288 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: 69 Guests, 38 Bots