Bem Vindo, visitante! [ Cadastre-se | Entrarrss

 

 

VADIA 01: Voltando pra casa by Solange

  • Publicado em: 23 de junho de 2002 10:41
  • Expira: Nunca!

Detalhes do Conto Erotico:

VADIA 01: VOLTANDO PRA CASA

“Quinta-feira: Estava voltando para casa e pensando em o quanto estava precisando de um homem. Um que logo me fizesse gozar e acabasse comigo. Hoje só tinha tido uma amostra grátis que nem deu para a saída. Foi quando lembrei que este mês é de férias e que eu pudesse encontrar o Beto quando chegasse no prédio. Ele não tem aula mas ia chegar na cara de pau na porta dele e falar o quê, se ele nem me cumprimenta no elevador. Ele me dá tanto tesão e parece estar sozinho. Vim maquinando um plano no metrô mas não consegui bolar nada convincente. Cheguei e ao invés de ficar em casa preferi ir para o playground na esperança de que o encontrasse por lá. Estava quase todo apagado, acho que a sindica quer fazer economia. Aproveitei para dar uma olhada e tive a impressão de vê-lo próximo a piscina. Fui andando sorrateira no escuro. Era ele sim e ao me aproximar o peguei sendo chupado pela Aline, amiga da irmã dele. Que inveja daquela piranha!!! Ele ofegava gostoso e eu via que ela engolia com vontade. Fiquei ali parada apreciando o espetáculo e ficando molhada, comecei a acariciar meu peito – que já ficava com os mamilos durinhos. Fui flagrada pelo casal. “Tá querendo também! Vai lá em casa daqui a meia hora.” ele disse, “Agora me deixa gozar”. Fiquei sem graça e sai dali. Será que ele estava falando sério? Mas o que tinha a perder, nada. Só a dignidade. O tempo não passava e fiquei imaginando como fui boba em achar que a Aline e a Mônica, irmã do beto, tinham um caso. Tesuda peguei o elevador e apertei o último andar. Quando desci no 12º andar estava sem graça mas toquei a campainha. Para minha surpresa, Aline abriu a porta só de sutiã e calcinha,me mandou entrar. Beto ao me ver exclamou “Ela é vadia mesmo, nem me conhece e veio até aqui”. fiquei encabulada mas queria aquele pau. “Você tem que tirar a roupa para ficar aqui”, disse Aline. Fui tirando e fiquei só de calcinha e sutiã amarelo. Criou-se um silêncio constrangedor, beto se levantou do sofá e foi até a cozinha. Vi que ele falava com alguém no interfone e desligou rapidamente. Voltou e disse, “Você quer me chupar?” Concordei com a cabeça. “Você quer dar para mim?” Ia concordar com a cabeça quando ele gritou:”Fale, piranha” “S-s-sim”, respondi tímida. “Mais uma buceta para minha coleção” Ele tirou a camisa e vi que tinha o corpo perfeito, horas na faculdade de ed. física., imaginei. Pude sentir o pau dele endurecendo dentro da calça. Ele foi se aproximando, a mão esquerda agarrou minha bunda e apertou sentindo como ela era durinha, e sussurrou no meu ouvido, “Transa com ela pra eu ver.” Que decepção. Eu atrás de uma pica dura e gostosa e tinha que devorar uma buceta, que castigo! mas seria recompensada e como, já sonhava. Aline ouvindo isto foi ao que eu imaginei ser o quarto de Mônica e voltou com um consolo duplo e um normal. Colocou os numa mesinha e começou a desabotoar meu sutiã. Estava tão assanhada, que ao sentir o calor de seu corpo, molhei minha calcinha toda. Ela parece ter percebido pois enfiou seu dedo ali e lambeu, “hmmmmmmmm”. Depois enfiou novamente e levou a minha boca. Eu chupei com vontade, como se fosse o caralho do beto Ela gostou e mandou ver sugando meus mamilos. Gemi devagarinho mas logo perdi o controle. Ela me pôs de quatro e começou a lamber entre minhas pernas e a beijar minhas coxas. Como estava bom. Logo rolava um 69 sensacional com duas bocas sedentas explorando e sugando aquele suco gostoso. Nós duas gemíamos como se estivéssemos no cio. Ele pegou o consolo e enfiou no meu rabo, dei um gritinho mas logo me recompus e rebolava com aquilo dentro de mim. Vendo que eu já estava delirando e que ia ter um orgasmo ela tirou rapidamente e me virando, recolocou-me de quatro e gentilmente enfiou um lado do consolo duplo em minha grutinha e outro ela acomodou jeitosamente na sua bucetinha molhada. Um vai e vem frenético começou e lamentava nunca ter experimentado aquilo antes. Era tão bom, Aline sabia satisfazer uma vadia como eu. Beto passou perto de mim voltando para o sofá, nem vi quando ele saiu. “Estão gostando?”, ele perguntou. Ia responder que muito quando tive uma surpresa. “Elas são fogo.” falou Adair, o chefe dos porteiros, parado na porta da cozinha e com Jerônimo, um outro porteiro do lado, “Essa aqui é uma piranha mesmo” falou apontando para mim. Fiquei sem graça. Não sabia o que fazer. Queria sumir ou ao menos me vestir, não me agradava ficar ali na frente deles. Que vergonha. Há quanto tempo estavam ali? Será que viram muito? Com certeza viram o suficiente para eu nunca mais passar pela portaria. E ainda tinha o Jerônimo que havia me cantado algumas vezes, quando não falava umas besteiras, que eu passava direto e fingia não ouvir. Pois quando reclamei com a sindica ela me disse que ele era muito educado e já trabalhava para ela há cinco anos sem nenhum problema mas ele continuava me importunando. E agora isso? beto olhou para mim, riu. Fez um sinal para Aline que se levantou e pegou o consolo duplo. Ela ainda me sacaneou pois ao invés de tirar logo de mim, deixou ali e fez um rápido vai e vem que me fez escapar um gemidinho que garantiu um risinho do Adair. Aline desabotou a calça do beto e começou a chupa-lo. Eu não sabia o que fazer. Não sabia o que tinha acontecido com minhas roupas. Vi o sutiã e a calcinha nos pés do Jerônimo. Ia ser muita humilhação. Comecei a engatinhar na direção do beto e ele disse, “você acha que vai chupar minha pica? Que eu vou te foder agora? Não vê que a gostosa aqui tá me comendo. Sou gostoso mas uma de cada vez, piranha. Vai servindo os amigos aí ou cai fora.” Nunca havia sido tão humilhada. Voltei a engatinhar na direção das minha calcinha e sutiã, nem olhava para cima para não ver a cara de satisfação do Jerônimo e do Adair. O que fazer agora? Pegar a roupa nos pés deles e ir embora ou foder com eles e ter o beto depois. Dúvida cruel. Fui me aproximando e estava esticando a mão para pegar o sutiã quando Jerônimo pôs o pé em cima dele e disse, “Nunca imaginei que você fosse tão gostosa, vadia. Você tá ansiosa pelo meu caralho eu posso apostar” Aquilo me tirou a dúvida e já ia lhe dar uma resposta quando ele continuou, “Se eu não ficar satisfeito todo o prédio vai saber a vadia que tu é, Solange” Continua….” Email: sm77xxx@yahoo.com.

Referência do Anúncio ID: CT-000009524

Não há Tags

6809 visualizações, 0 hoje

  

Deixe seu Comentário

É necessário fazer login para poder inserir um anúncio.

Para obter informações sobre este anúncio, preencha o formulário abaixo para enviar uma mensagem para o anunciante.

Novidade!

Usuarios Ativos

Users: PSilva2011, 109 Guests, 16 Bots